Novato, ídolo e condenado a prisão: conheça o técnico do Nacional, próximo rival do Timão

Novato, ídolo e condenado a prisão: conheça o técnico do Nacional, próximo rival do Timão

Por Meu Timão

3.4 mil visualizações 33 comentários Comunicar erro

Múnua, durante partida do último fim de semana, pelo Campeonato Uruguaio

Múnua, durante partida do último fim de semana, pelo Campeonato Uruguaio

Foto: Divulgação/Nacional

Adversário do Corinthians nas oitavas de final da Libertadores, o Nacional é comandado por uma figura bastante conhecida em solo uruguaio. Ex-goleiro, condenado a prisão e ídolo da equipe tricolor, o técnico Gustavo Munúa, de apenas 38 anos, é um dos trunfos dos "Decanos" para sonharem com uma vaga nas quartas de final da competição sul-americana.

Munúa foi revelado como goleiro nas categorias de base do Nacional em 1997. Neste primeira passagem pelo clube uruguaio, conquistou o Campeonato Uruguaio quatro vezes. Na década seguinte, além de defender a seleção de seu país na Copa de 2002, passou pelos Deportivo La Coruña, Málaga e Levante e pela italiana Fiorentina. Retornou ao clube de origem em 2014 e conquistou seu quinto torneio local antes de pendurar as luvas e se dedicar à carreira de treinador.

Logo que parou de jogar, Múnua assumiu o comando técnico do Nacional, no meio do ano passado. Em sua primeira temporada como treinador, vai fazendo sucesso: foi vice-campeão do Torneio Apertura e agora briga ponto a ponto pela liderança do Clausura. Na Libertadores, venceu o Palmeiras duas vezes e se classificou na chave tida como "grupo da morte".

Chama atenção o fato de Múnua estar em evidência no cenário sul-americano mesmo sendo novo. Com 38 anos, ele é o terceiro treinador mais jovem da atual edição da Libertadores (Mariano Soso, 34, do Sporting Cristal, e Eduardo Domínguez, 37, do Huracán lideram no quesito).

Sua mais polêmica história, contudo, não está ligada ao Nacional tampouco à recente e já bem sucedida carreira de treinador: em 2008, quando defendia o La Coruña, Múnua foi condenado a prisão por agredir um companheiro de equipe.

Durante um treinamento, o uruguaio deu um soco no rosto do também goleiro Dudú Aouate. Tanto ele quanto o israelense foram afastados da equipe. Este último voltou a treinar com o elenco, enquanto Múnua acabou transferido para o Málaga.

Na Justiça, Múnua chegou a ser condenado a nove meses de prisão. A pena baixou para seis meses e, finalmente, acabou sendo definida em uma multa de 3,6 mil euros.

Brigão, novato e ídolo do Nacional: este é o primeiro adversário de Tite no mata-mata da atual edição da Libertadores.

Veja Mais:

  • Marcelo Aparecido de Souza foi pressionado por jogadores e torcedores no Allianz Parque

    STJD aceita pedido e vai julgar em outra sessão mérito que pode melar título paulista do Corinthians

    ver detalhes
  • Dupla voltou de Chapecó com problemas físicos e pode se tornar baixa

    Dupla será reavaliada e pode se juntar a Cássio como desfalque para Corinthians no sábado

    ver detalhes
  • Guilherme Castellani assinou com o Timão até o fim de 2020

    Goleiro da equipe Sub-20 assina primeiro contrato profissional com o Corinthians

    ver detalhes
  • Henrique quer Corinthians bem no Brasileirão até o embate pela Libertadores

    Em desembarque, Henrique fala em 'virar a chave' para se aproximar dos líderes no Brasileirão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes