Novas regras do futebol já valem pro Brasileirão; confira a estranha lista de mudanças

Novas regras do futebol já valem pro Brasileirão; confira a estranha lista de mudanças

Por Meu Timão

Assim como no CT, bandeiras de escanteio poderão ser customizadas na Arena

Assim como no CT, bandeiras de escanteio poderão ser customizadas na Arena

Foto: GazetaPress

Com o início do Campeonato Brasileiro, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu antecipar a adoção das mudanças das regras do futebol, impostas pela Associação Internacional de Futebol em março deste ano. A modificação - a maior realizada nos últimos 130 anos - teria como objetivo endereçar regras que hoje geram polêmicas e dúvidas no esporte.

As novas regras já estão em vigor no Brasil e devem ser adotadas em todo mundo até o começo do próximo mês, quando passam a ser obrigatórias. Algumas das determinações, no entanto, são bastante curiosas e ditam de normas para o gramado, expulsões, cobranças de pênaltis e até mesmo para a participação de animais no gramado.

Por isso, o Meu Timão, com a ajuda do colunista Walter Falceta Jr., desvendou e explicou algumas destas mudanças. Confira!

Mudanças no campo

- A nova regra regulamenta os campos híbridos (caso da Arena Corinthians), mas não permite que a área dentro das quatro linhas tenha partes com grama sintética e grama natural.
- Cabe a cada competição determinar as medidas que serão aceitas para os campos.
- Toda propaganda precisará ter uma distância mínima de um metro para as laterais.
- Logos das competições, escudos de time e outros emblemas podem aparecer nas bandeiras de escanteio (assim como nas bandeiras do CT Joaquim Grava), mas não podem ser comercializadas para propaganda.

Jogadores

- Número mínimo de jogadores em campo por equipe é sete.
- Jogador pode ser expulso pelo árbitro antes mesmo de a bola rolar (neste caso, pode ser substituído por algum jogador que constava então como reserva. Esse substituto, no entanto, não poderá ser substituído, tendo de jogar os 90 minutos. Se não tiver condições, por contusão, sairá e o time ficará com um a menos).
- Caso um jogador reserva (ou que já tenha sido substituído), técnico, massagista, médico ou jogador expulso interfiram na partida, a falta será marcada. Se o lance for dentro da área, será marcado pênalti.
- Supondo que um cachorro ou qualquer animal esteja o campo de jogo e a bola que estiver indo para a meta desvie no mesmo, o gol será validado, algo não permitido anteriormente. Depois da mudança, o gol somente será invalidado caso a direção da bola não esteja apontada para a meta. Neste caso, o desvio, seja em um animal, ou objeto atirado no campo, é invalidado.
- Se um gol for marcado quando houver uma ou mais pessoas em campo e caso a partida não tenha sido paralisada pelo árbitro, o gol será validado.

Equipamento dos jogadores

- Fitas sobre o meião precisam, obrigatoriamente, ter a mesma cor.
- Caso a meia ou a caneleira (obrigatórios) caia em campo, o jogador poderá jogar sem tais equipamentos até o jogo ser paralisado.
- O jogador que sair de campo por conta de problema no equipamento ou no uniforme pode voltar com a bola em jogo, depois que a correção for aprovada pelo quarto árbitro.
- Shorts térmicos precisam ter a mesma cor do calção ou de algum detalhe do calção. Todos os jogadores que utilizarem shorts térmicos têm de utilizar de uma mesma cor.

Árbitro

- O árbitro não poderá mudar sua decisão quanto ao início ou intervalo de partida, assim que uma vez realizada.
- Em caso de infrações simultâneas, a obrigação do árbitro é punir o autor da pior. Exemplo: uma confusão em que alguém merece amarelo e alguém merece vermelho. Prioridade é punir o elemento do segundo caso.
- Um atleta machucou outro e, por isso, foi punido com cartão amarelo ou vermelho. A vítima pode ser rapidamente acessada pela equipe médica e tratada dentro do campo de jogo.

Início ou reinício de jogada

- A bola somente está em jogo depois que claramente se mover. Só pisar sobre ela não caracteriza o início da partida.
- O árbitro não determina mais o resultado de uma bola ao chão.
- Saída da bola do meio campo não precisa ser mais para frente. Pode ser tocada em qualquer direção.

Decisão por pênaltis

- Substituição de goleiro será permitida ao longo de uma decisão por pênaltis.
- Na cobrança de pênaltis, o lance só termina quando a bola ultrapassa a linha (dentro ou fora do gol), quando o goleiro a agarra ou quando para de se mover.
- Caso o encarregado de cobrar o pênalti deixe o gramado no meio da série de cobranças, a tentativa será dada como perdida.

Impedimento

- A posição dos braços não terá influência no impedimento.
- Interferir na movimentação de um oponente, depois de bola salva ou rebote, vale como impedimento.

Faltas

- Nem toda mão na bola é punida com cartão amarelo. Só será punida quando parar um ataque promissor do outro time ou nele interferir.
- Conduta violenta é cartão vermelho, mesmo que o golpe não acertar o adversário. O determinante é a intenção.
- Agredir o rosto ou cabeça do adversário vale cartão vermelho direto.
- Em caso de ofensas contra reservas ou comissão técnica da outra equipe, será marcada falta contra o autor. Desentendimentos com a comissão de arbitragem também serão considerados.
- Falta sobre um jogador da equipe de adversária fora do campo de jogo será considerada. Caso seja atrás da grande área, será marcado pênalti.
- Falta dentro da grande área quando a bola não estiver em disputa será punida com cartão vermelho e a marcação do pênalti.
- Toque de mão para evitar o gol adversário também será punido com cartão vermelho direto, mesmo fora da área.

Pênalti

- Outro jogador não poderá chutar o pênalti a não ser o batedor posicionado. Caso ocorra, será marcado o tiro livre indireto contra a equipe.
- Levando em conta o caso protagonizado por Messi e Suárez recentemente, a jogada só poderá ser realizada caso a bola seja rolada para frente da linha da cal. Caso contrário, será marcado o tiro livre indireto.
- Paradinha "ilegal" gera tiro livre indireto contra o time do cobrador indeciso.

Tiro de meta

- Tiro de meta só com bola parada. Na regra anterior, não era obrigatório.
- Gol contra a partir de um tiro de meta não será considerado. A jogada gera um escanteio à equipe adversária.
- O tiro de meta não poderá servir como lançamento à área adversária. O atacante só poderá tocar na bola depois do defensor da outra equipe.

Escanteio

- Em uma situação que o batedor vença seu próprio goleiro e marque um contra de escanteio, gol não será validado. O árbitro terá de prosseguir a partida com a marcação de um escanteio para a equipe adversária.

Veja Mais:

  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes
  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes