Posicionamento da diretoria sobre torcida entra em linha de colisão com comissão técnica

Posicionamento da diretoria sobre torcida entra em linha de colisão com comissão técnica

Por Meu Timão

6.1 mil visualizações 143 comentários Comunicar erro

Tite e Roberto de Andrade tomaram posições bastante distintas em relação ao episódio dos torcedores no CT

Tite e Roberto de Andrade tomaram posições bastante distintas em relação ao episódio dos torcedores no CT

Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

O Corinthians vive uma situação delicada em seus bastidores. E tudo por conta da reunião entre membros da torcida organizada Gaviões da Fiel e alguns jogadores do elenco de futebol, realizada na quinta-feira da semana passada no CT Joaquim Grava. Após declarações de ambos os lados, ficou evidente uma diferença considerável de posicionamento entre a diretoria e a comissão técnica.

Em entrevista concedida nessa quinta, após a vitória do Corinthians sobre a Ponte Preta, na Arena, pelo Brasileirão, o presidente do clube, Roberto de Andrade, revelou ter sido o responsável por chamar os torcedores para conversarem com o elenco, que na época estava sendo alvo de críticas públicas por conta dos maus resultados. O mandatário ainda fez questão de avisar que nem jogadores nem comissão técnica têm de gostar da atitude, haja vista que ele é quem é o dono da última palavra.

"A comissão não tem que dar aval nenhum. O presidente sou eu. Se eu chamei para conversar, não chamei a comissão técnica. Chamei a torcida para conversar com os jogadores. A comissão não precisa falar se pode ou não. Eu sei o que pode", disparou Roberto de Andrade.

O mesmo discurso havia sido externado, com menos avidez, pelo diretor adjunto de futebol Eduardo Ferreira, na última segunda-feira. "Acho mais válido ser dessa forma do que eles virem à porta do CT para ficar gritando, tentando invadir, quebrando carro de jogador. Não tem problema algum recebê-los aqui. Certo ou errado, essa é uma cultura do clube", declarou o dirigente na ocasião.

O problema é que tal discurso vai de encontro com o pensamento de Tite, seus colegas de comissão técnico e boa parte do elenco. O treinador não gostou da facilidade com a qual os torcedores entraram no CT e da liberdade que tiveram para cobrar e questionar seus jogadores.

Ao longo da semana, alguns jogadores se pronunciaram sobre o ocorrido. O meia Guilherme, que não participou da reunião mas ficou sabendo do encontro pelos colegas de equipe, chegou a falar que "na minha opinião, atrapalha. Fato que é uma reconstrução. Tem que existir a cobrança, mas tem um limite".

Fato é que o Corinthians pode até ter vencido nessa quinta, mas as formas bastantes distintas como diretoria e comissão técnica lideram com a má fase vivida pela equipe no último mês ainda seguem dando o que falar.

Veja Mais:

  • Clayson, Luan, Sornoza, Marciel e Matheus Matias: confira o vaivém no Corinthians neste fim de 2018

    Corinthians no mercado da bola: saiba quem chega, quem sai e quem negocia com o Timão para 2019

    ver detalhes
  • Pepe rescindiu o contrato na Turquia e está livre no mercado

    Zagueiro Pepe rescinde contrato na Turquia e Fiel faz 'campanha' por negócio com o Corinthians

    ver detalhes
  • Denilson alertou para a necessidade de reforçar plantel de Carille para 2019

    Pentacampeão do mundo fala de aumento da responsabilidade de Carille e alerta: 'Não adianta só ele'

    ver detalhes
  • Corinthians tem compromisso importante ainda em 2018 para tentar classificação na Superliga

    Duelo pela Superliga e amistoso de futebol americano marcam últimos compromissos do Timão no ano

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes