Paulo Schmitt pode assumir cargo para fiscalizar clubes no Ministério do Esporte

Paulo Schmitt pode assumir cargo para fiscalizar clubes no Ministério do Esporte

Por Meu Timão

Paulo Schmitt é procurador do STJD desde 2006. Clubes já exigiram que houvesse alternância de poder no cargo que ele ocupa

Paulo Schmitt é procurador do STJD desde 2006. Clubes já exigiram que houvesse alternância de poder no cargo que ele ocupa

Foto: Reprodução

O procurador do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, pode assumir o cargo mais relevante da Autoridade Pública do Futebol (APFut), segmento do Ministério do Esporte. Essa possibilidade foi comentada nos bastidores da Justiça Desportiva e fez com que grandes clubes brasileiros se mobilizassem para enviar um ofício ao Ministério, rejeitando a ideia.

Denominado APFut, o segmento do Ministério do Esporte tem como objetivo fiscalizar as equipes de futebol em relação ao cumprimento das medidas estabelecidas pelo Profut (norma que recalculou os débitos dos clubes em troca de medidas de gestão responsável nas finanças). Os clubes de futebol que não cumprirem as determinações estabelecidas por essa entidade podem ser rebaixados de divisão.

O procurador Schmitt, que poderia assumir o cargo após o encerramento de seu mandato no STJD, no mês de julho, é considerado, pelos clubes que enviaram o ofício ao Ministério do Esporte, uma pessoa muito próxima à CBF e, por conta disso, inapropriado para denunciar e julgar os clubes que não cumprissem as normas do Profut.

O Timão, em conjunto com outros nove grandes clubes do Brasil, já havia, inclusive, pedido o afastamento do procurador do STJD, em março deste ano, após vazamentos de conversas que deixaram claro a parcialidade com a qual Schmitt tomava suas decisões como procurador geral.

Atualmente, quem comanda a APFut é César Carrijo, advogado da União e que foi nomeado ao cargo dias antes de Michel Temer assumir a presidência da República. Se as especulações forem confirmadas, Schmitt ocuparia o lugar dele no cargo de presidente da APFut, recebendo remuneração de R$ 11,2 mil e devendo evitar conflitos de interesse com os casos julgados pela entidade.

No mês de março, o blog de Gabriela Moreira, do ESPN.com.br, informou que quem estava procurando um candidato para assumir a vaga de presidente da APFut era o deputado Jovair Arantes (PTB/GO). Em contrapartida, o ministro negou qualquer tentativa de busca por possíveis indicados ao cargo. Já no início desta semana, o blog “De Prima”, do Lance!, divulgou a informação de que o Ministério do Esporte convidou Wladimir de Moraes Camargos, relator da Comissão especial criada no Senado, para discutir alterações nas leis esportivas. Porém, ele teria rejeitado o convite.

Veja Mais:

  • Fernando César (empresário), Roberto de Andrade, Pablo, Flávio Adauto e Alessandro em reunião

    Corinthians acerta permanência de Pablo; resta acordo com Bordeaux

    ver detalhes
  • Com derrota por 3 a 0 no placar agregado, Timão ficou com o vice do Brasileirão 2017

    Valente, Corinthians/Audax sofre nova derrota e é vice-campeão brasileiro de 2017

    ver detalhes
  • Walter não será liberado pelo Corinthians

    Corinthians bate o martelo e não libera Walter para o São Paulo; novo encontro no sábado

    ver detalhes
  • Meia sentiu a costela após dividida com Betão

    Jadson tem fratura constatada e desfalca Corinthians por um mês

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes