Mirandinha relembra troca de insultos e socos com Rincón em clássico de 97

Mirandinha relembra troca de insultos e socos com Rincón em clássico de 97

Por Meu Timão

Mirandinha, na época em que atuava pelo Corinthians

Mirandinha, na época em que atuava pelo Corinthians

Foto: Reprodução

O ex-jogador Mirandinha recordou a briga que teve com o então volante Freddy Rincón no Corinthians em 1997. Conhecido por não ter "papas na língua", o hoje treinador contou os bastidores do exaltado desentendimento com o colombiano e revelou ter sido alvo de injúria racial antes de trocar socos com o meio-campista.

"Nós precisávamos ganhar do Santos pra ter uma vantagem contra o São Paulo no Campeonato Paulista. O Vanderlei botou o 4-4-2, depois o 4-3-3 com três velocidades na frente, e um atacante tinha que voltar. Só que o Vanderlei Luxemburgo disse: 'Mirandinha, não volte porque você é o homem de maior velocidade, explore o contra-ataque'. Eu disse: 'Tá beleza'. Isso ele me falou no campo, não no vestiário pra todos", recordou Mirandinha, em entrevista à ESPN Brasil.

"O Rincón: 'Volte, Mirandinha, volte!'... Xingando todo tipo. Aí teve um 'xingamentozinho' que eu não concordei. Atacante, na minha cabeça, é pra atacar, não pra voltar e dar carrinho. Dei um carrinho em um zagueiro, foi falta, ele chegou e pisou na minha mão com uma trava de alumínio desse tamanho (estica o dedo indicador). Rincón: 'Levanta aí!'. 'Pô, mas eu marquei o cara. Meu jeito de marcar é esse, o cara não prosseguiu'".

A discussão entre os corinthianos ganhou ares de discriminação momentos depois de Mirandinha deixar o gramado da Vila Belmiro. "'Volte, macaco!'. Aí eu disse: 'Como é que é, rapaz? Como tu fala um absurdo desse'. Naquela época não tinha aquelas câmeras (leitura labial). Aí eu disse: 'Macaco é você que vem da Colômbia assim, King Kong'", esbravejou, à época, dando início à troca de socos com o jogador colombiano.

"A Vila é estreitinha a descida do túnel. Desci rápido porque ele estava com chuteira de trava e eu de borracha. De cima, ele deu um tapa na minha cabeça, eu me desequilibrei. Ele veio descendo, escorregou e a gente começou a brigar naquele corredor perto do túnel. Ali o pau foi grande. Dei graças a Deus que chegou o pessoal do 'deixa disso', senão o negócio ia ficar feio".

O episódio rendeu uma multa financeira à dupla de atletas alvinegros. De acordo com ex-atacante, ele e Rincón voltaram a se entender no Timão e, inclusive, se tornaram amigos. "Fomos suspensos pelo Vanderlei, nenhum treinador aceita esse absurdo. Depois voltamos, treinamos em campos separados em Itaquera. Ele passando aqui nesse campo e eu passando lá do outro lado. Não nos falávamos. Tomamos um uísque, uma cerveja, aí viramos amigos, nos respeitamos, nos abraçamos, o Vanderlei perdoou a dívida de 30% do salário e o cara virou amigo", finalizou.

Veja Mais:

  • Fiel promete lotar Arena para empurrar Corinthians rumo ao título paulista

    Corinthians inicia venda de ingressos para final e dá orientação a inadimplentes

    ver detalhes
  • Para Roberto, Arena Corinthians é 'dez vezes melhor' que o Morumbi

    Roberto de Andrade ironiza possibilidade do Morumbi sediar finais do Paulista

    ver detalhes
  • Jogadores comemoram vaga na final do Paulista após eliminar o São Paulo na Arena

    FPF confirma datas, horários e locais das finais do Paulistão 2017

    ver detalhes
  • Raphael Claus tem um retrospecto polêmico em jogos do Timão

    Pivô de polêmicas, árbitro é escalado para jogo de ida da final entre Corinthians e Ponte Preta

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes