Mirandinha relembra troca de insultos e socos com Rincón em clássico de 97

Mirandinha relembra troca de insultos e socos com Rincón em clássico de 97

Por Meu Timão

7.1 mil visualizações 79 comentários Comunicar erro

Mirandinha, na época em que atuava pelo Corinthians

Mirandinha, na época em que atuava pelo Corinthians

Foto: Reprodução

O ex-jogador Mirandinha recordou a briga que teve com o então volante Freddy Rincón no Corinthians em 1997. Conhecido por não ter "papas na língua", o hoje treinador contou os bastidores do exaltado desentendimento com o colombiano e revelou ter sido alvo de injúria racial antes de trocar socos com o meio-campista.

"Nós precisávamos ganhar do Santos pra ter uma vantagem contra o São Paulo no Campeonato Paulista. O Vanderlei botou o 4-4-2, depois o 4-3-3 com três velocidades na frente, e um atacante tinha que voltar. Só que o Vanderlei Luxemburgo disse: 'Mirandinha, não volte porque você é o homem de maior velocidade, explore o contra-ataque'. Eu disse: 'Tá beleza'. Isso ele me falou no campo, não no vestiário pra todos", recordou Mirandinha, em entrevista à ESPN Brasil.

"O Rincón: 'Volte, Mirandinha, volte!'... Xingando todo tipo. Aí teve um 'xingamentozinho' que eu não concordei. Atacante, na minha cabeça, é pra atacar, não pra voltar e dar carrinho. Dei um carrinho em um zagueiro, foi falta, ele chegou e pisou na minha mão com uma trava de alumínio desse tamanho (estica o dedo indicador). Rincón: 'Levanta aí!'. 'Pô, mas eu marquei o cara. Meu jeito de marcar é esse, o cara não prosseguiu'".

A discussão entre os corinthianos ganhou ares de discriminação momentos depois de Mirandinha deixar o gramado da Vila Belmiro. "'Volte, macaco!'. Aí eu disse: 'Como é que é, rapaz? Como tu fala um absurdo desse'. Naquela época não tinha aquelas câmeras (leitura labial). Aí eu disse: 'Macaco é você que vem da Colômbia assim, King Kong'", esbravejou, à época, dando início à troca de socos com o jogador colombiano.

"A Vila é estreitinha a descida do túnel. Desci rápido porque ele estava com chuteira de trava e eu de borracha. De cima, ele deu um tapa na minha cabeça, eu me desequilibrei. Ele veio descendo, escorregou e a gente começou a brigar naquele corredor perto do túnel. Ali o pau foi grande. Dei graças a Deus que chegou o pessoal do 'deixa disso', senão o negócio ia ficar feio".

O episódio rendeu uma multa financeira à dupla de atletas alvinegros. De acordo com ex-atacante, ele e Rincón voltaram a se entender no Timão e, inclusive, se tornaram amigos. "Fomos suspensos pelo Vanderlei, nenhum treinador aceita esse absurdo. Depois voltamos, treinamos em campos separados em Itaquera. Ele passando aqui nesse campo e eu passando lá do outro lado. Não nos falávamos. Tomamos um uísque, uma cerveja, aí viramos amigos, nos respeitamos, nos abraçamos, o Vanderlei perdoou a dívida de 30% do salário e o cara virou amigo", finalizou.

Veja Mais:

  • Rodriguinho foi o autor do gol do Corinthians na final contra o Palmeiras

    Rodriguinho expõe certeza interna no Corinthians: Palmeiras pagou bicho antes da final do Paulista

    ver detalhes
  • Zagueiro é quarta opção para setor que já tem dupla titular consolidada

    Corinthians estuda empréstimo para dar rodagem a Léo Santos; três clubes de olho

    ver detalhes
  • Clayson, assim como Felipe Melo, foi punido pelo TJD nesta segunda-feira

    Corinthiano Clayson leva gancho de quatro jogos por confusão com Felipe Melo, do Palmeiras

    ver detalhes
  • Juiz voltou atrás após marcar pênalti de Ralf, que tocou só bola

    Tribunal arquiva inquérito que apurava possível interferência externa em Corinthians x Palmeiras

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes