Auxiliar técnico de Cristóvão Borges enaltece esquema tático e revela contribuição de Tite

Auxiliar técnico de Cristóvão Borges enaltece esquema tático e revela contribuição de Tite

Por Meu Timão

Cassiano de Jesus e Cristóvão Borges conversam durante treino no CT Joaquim Grava

Cassiano de Jesus e Cristóvão Borges conversam durante treino no CT Joaquim Grava

Foto: Agência Corinthians

Prestes a comandar o Corinthians pela quinta partida desde que assumiu o comando técnico da equipe, Cristóvão Borges possui um ambiente de trabalho muito positivo e cercado de otimismo. Quem garante é o auxiliar técnico Cassiano de Jesus, velho parceiro do atual técnico corinthiano que também tem grande parcela de participação na arrancada do Timão nas últimas partidas.

“Nosso trabalho tem influência de várias escolas, já que sempre pesquisamos muito sobre futebol. Da qualidade do jogo, dos times que propõem o jogo, que têm posse de bola e sistema defensivo sólido. O ideal é sempre ter um equilíbrio entre os sistemas defensivo e ofensivo e é isso que a gente busca. Sempre tendo o controle do jogo”, disse, em entrevista ao globoesporte.com.

Auxiliar de Cristóvão há três anos, Cassiano ajudou no baiano nas passagens por Bahia, Fluminense, Flamengo e Atlético Paranaense. Agora em meio ao maior desafio da carreira, conforme classificado pelo próprio Cristóvão, o auxiliar crê que a situação encontrada no Corinthians foi muito boa devido ao trabalho deixado por Tite, antigo dono do cargo.

“É uma herança muito boa, a parte defensiva, as bolas paradas defensivas, o controle do jogo, a filosofia é parecida, de equilíbrio entre os setores. Aos poucos Cristóvão vai conseguindo implantar situações da filosofia dele, comportamentos de jogo que podem ser mudados, mas a ideia de jogo não terá grandes mudanças”, acrescentou.

Consciente de que a equipe está no caminho certo após as vitórias sobre Santa Cruz, América Mineiro e Flamengo, Cassiano de Jesus ainda pontuou os principais objetivos da equipe e revelou as exigências da atual comissão técnica.

“Para ter mais a bola você precisa ser agressivo para marcar. Encontramos um time que pode fazer pressão pós-perda. Temos um sistema sólido, então buscamos esse comportamento agressivo na transição. Prezamos linhas próximas, jogar compactado. Isso é bem gritante no nosso trabalho. Não temos linha defensiva alta, é que as nossas linhas andam juntas no momento ofensivo, se compactam”, finalizou o auxiliar.

Corinthians e Chapecoense se enfrentam neste sábado, às 16h30, na Arena Condá, em duelo válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Dono da segunda melhor campanha do torneio até o momento, o Timão soma 25 pontos.

Veja Mais:

  • Recuperado de lesão, Balbuena volta a compor zaga com Pablo; dupla terá de parar melhor ataque do Paulista

    Defesa x ataque: Corinthians e São Paulo buscam vitória e equilíbrio em clássico no Morumbi

    ver detalhes
  • Auricchio (à dir.) passou a integrar diretoria da base do Corinthians

    Corinthians nomeia ex-diretor de futebol para cargo na base

    ver detalhes
  • Após 1 a 1 na Arena, Timão volta a campo contra São Paulo na tarde deste domingo

    Rival tropeça, e Corinthians pode diminuir distância para primeira colocação geral

    ver detalhes
  • Carille não confirmou a equipe titular que enfrenta o São Paulo

    Rodriguinho não treina e Balbuena volta: veja provável escalação do Corinthians para o Majestoso

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes