Segundo jornal, custo da Arena Corinthians será de pelo menos R$1,64 bilhão ao clube

Segundo jornal, custo da Arena Corinthians será de pelo menos R$1,64 bilhão ao clube

Por Meu Timão

7.0 mil visualizações 83 comentários Comunicar erro

Financiamento do clube pelo pagamento do estádio tem término previsto para 2028

Financiamento do clube pelo pagamento do estádio tem término previsto para 2028

Agência Corinthians

O tão sonhado estádio corinthiano está longe de ter saído barato ao clube. A partir das apurações do jornal Folha de S.Paulo, que teve acesso às planilhas financeiras da Odebrecht, construtora da Arena Corinthians, a obra custará aos cofres do clube, pelo menos, R$ 1,64 bilhão.

Palco da abertura da Copa do Mundo de 2014 e também garantido nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o estádio em Itaquera teve o valor estipulado a partir do prazo de financiamento previsto para terminar em 2028. Caso o Corinthians, atrase parte das parcelas ou ocorra crescimento na inflação, a quantia tende a aumentar. Sendo assim, como efeito contrário, na possibilidade de adiantar o pagamento, o valor será menor.

Atualmente, o clube desembolsa cerca de R$ 5 milhões por mês pelo financiamento ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). O acordo tem acompanhamento da Caixa, que arca com o pagamento em situações de atraso por parte do próprio Corinthians.

Com o valor de construção estipulado em R$ 820 milhões, a Arena Corinthians foi apresentando significativos crescimentos em seu orçamento com o decorrer do tempo. A partir do reajuste no valor, o estádio passou a ser cotado em R$ 1 bilhão.

Após a definição do novo preço, o clube, impossibilitado de arcar com a quantia, optou pelo empréstimo de R$ 400 milhões junto ao BNDES que, conforme o planejamento, seria pago através dos Naming Rights, algo ainda não concretizado. Além disso, o Corinthians também arcaria com as demais despesas através dos CIDS, os incentivos fiscais da Prefeitura de São Paulo, avaliados em R$ 420 milhões.

Apesar do planejamento se encaixar, o clube acabou surpreendido pelo atraso na liberação do empréstimo e dos CIDS. Sendo assim, a Odebretch arcou com as despesas, já que a obra não poderia ser interrompida. Ao contrário do planejado, a construtora realizou empréstimo junto ao Banco do Brasil e Banco Santander, o que elevaram drasticamente os valores antes previstos pelo empréstimo do BNDES.

Segundo o próprio jornal, a construtora Odebretch garantiu que não irá se pronunciar sobre os valores envolvidos na construção do estádio em Itaquera, enquanto o Corinthians não se manifestou quando foi procurado. A Caixa, que também possui uma grande parcela de participação nos investimentos, afirmou que a quantia deve ser mantida em sigilo.

Veja Mais:

  • Thiago Neves desperta interesse no Corinthians

    Corinthians formaliza interesse em Thiago Neves e Sassá, relata Cruzeiro

    ver detalhes
  • Ramiro foi peça importantes nos últimos títulos do Grêmio

    Pai de Ramiro revela conversas adiantadas com o Corinthians e fala em acerto ainda nesta semana

    ver detalhes
  • Matias Ávila, diretor financeiro, e Roberto Gavioli, gerente financeiro, em coletiva nesta quarta-feira

    Corinthians confirma déficit em 2018, mas prevê explosão de receitas com TV e patrocínios

    ver detalhes
  • Meio campista está bem perto de se tornar novo reforço do Corinthians

    Diretor do Fluminense confirma 'sim' de M. Gabriel e Corinthians se aproxima de acerto por Sornoza

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes