Timão explica ruptura com patrocinador, nega falta de pagamento e mantém meta dos R$ 70 milhões

Timão explica ruptura com patrocinador, nega falta de pagamento e mantém meta dos R$ 70 milhões

135 mil visualizações 155 comentários Comunicar erro

No fim de janeiro, Winner foi apresentada como nova patrocinadora do Corinthians

No fim de janeiro, Winner foi apresentada como nova patrocinadora do Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Depois de pouco mais de seis meses, o namoro entre Corinthians e Winner Play, site gratuito de palpites esportivos, chegou ao fim. A rescisão do contrato de patrocínio assinado no dia 29 de janeiro foi divulgada na manhã desta terça-feira pela assessoria do clube paulista. Segundo Gustavo Herbetta, superintendente de marketing do Timão, o rompimento do negócio avaliado em R$ 21 milhões, os quais seriam pagos no período de três anos, se deu em razão dos resultados inesperados da empresa no Brasil.

“Primeiro, esclarecer dois pontos, 'boataria': a decisão de romper partiu deles; número dois: o Corinthians foi pago (proporcionalmente), e foi pago antecipado no ano passado. Na rescisão, foi paga a multa rescisória prevista no contrato”, afirmou Herbetta, em rápida conversa por telefone, ao Meu Timão.

A Winner, responsável pela página online Winner Play, funciona como um site de apostas no exterior. Entretanto, como a prática ainda é ilícita no mercado nacional, a empresa investiu na área de palpites gratuitos, prometendo premiações aos vencedores, e estampou as omoplatas da camisa corinthiana ao longo do primeiro semestre, além de ser exposta em backdrops do clube, uniformes de treinamento e placas de publicidade no CT Joaquim Grava.

De acordo com Herbetta, o contrato assinado entre as partes envolvia, a cada seis meses, a discussão do prosseguimento do patrocínio. Nesta primeira conversa, a Winner decidiu pôr fim ao acordo e, inclusive, quitou a multa rescisória – a quantia não foi divulgada. “Havia dois momentos para se conversar: depois de seis meses e um ano. Foi uma decisão unilateral deles”, acrescentou o profissional. “A operação deles dependia de outras variáveis. O Corinthians era uma delas”.

A partir de agora, o marketing do Timão acrescenta à sua lista de objetivos buscar um novo parceiro para o espaço do uniforme deixado pela empresa de apostas. Mesmo que admita surpresa pelo declínio do contrato, Herbetta reiterou que o clube alvinegro mantém a meta de arrecadação anual superior a R$ 70 milhões apenas com propriedades do manto corinthiano.

Atualmente, três marcas estampam a camisa do atual campeão brasileiro e líder momentaneamente da edição 2016 da Série A: Caixa Econômica Federal (R$ 30 milhões, peito), Special Dog (R$ 3 milhões, calção) e TIM (R$ 4 milhões, números) – valores aproximados. O contrato com a Winner renderia o equivalente a R$ 7 milhões por temporada aos cofres da equipe do Parque São Jorge.

A comunicação corinthiana negocia, afora as omoplatas, outras três propriedades da camisa: a parte superior das costas (estimada em R$ 12 milhões), a barra inferior traseira (R$ 6 milhões) e as mangas da camisa (R$ 12 milhões).

Veja Mais:

  • Roger foi apresentado como novo centroavante do Corinthians nesta sexta-feira

    Roger é apresentado no Corinthians e lembra de passado torcedor na cidade de Campinas

    ver detalhes
  • Recém-chegado, Roger participou do treino do Corinthians nesta sexta-feira

    Volta de emprestado, presidente na área e Roger em campo... a sexta-feira do Corinthians

    ver detalhes
  • Sheik não enfrenta Paraná Clube neste domingo

    Sem Roger nem Sheik: Carille relaciona 22 para jogo contra Paraná

    ver detalhes
  • Roger vestiu camisa do Corinthians pela primeira vez nesta sexta-feira

    Roger não joga Copa do Brasil pelo Corinthians; Libertadores, só se Timão avançar às oitavas

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes