Reunião na Arena neste sábado define futuro político do Corinthians

48 mil visualizações 58 comentários

Por Meu Timão

Reunião será realizada na Arena Corinthians

Reunião será realizada na Arena Corinthians

Mayara Munhoz/Meu Timão

As decisões a serem tomadas pelo Conselho Deliberativo do Corinthians neste sábado, dia 27 de agosto de 2016, será fundamental para os rumos do clube. Membros do grupo se reunirão na Arena Corinthians, a partir das 10h (de Brasília), para discutir quatro alterações relevantes no Estatuto Social. Abaixo, o Meu Timão lista cada uma delas, além de suas consequências.

Fim do Chapão

A principal reivindicação diz respeito ao sistema político-eleitoral em vigor no Corinthians. O chamado “Chapão” contempla, a cada três anos, o preenchimento das 250 vagas no Conselho por meio da vitória de uma única chapa. O método permite que não haja a devida fiscalização sobre as ações dos mandatários, já que os eleitos estarão a favor do grupo vencedor. Além disso, a assembleia debaterá chapas com 25 ou 50 nomes à votação, o que aumenta a participação de visões diferentes de comando.

Antecipação das eleições

Atualmente, a eleição presidencial no Timão acontece a cada três anos, sempre em fevereiro. A ideia é antecipar a votação para novembro do ano anterior, dando tempo ao dirigente designado planejar sua primeira temporada de trabalho, se ambientar com o cargo, tomar conhecimento das finanças, executar projetos, etc. Se a pauta for atendida, Roberto de Andrade, que assumiu o Corinthians em 2015, deixará seu posto não no início de 2018, mas no fim de 2017.

Inelegibilidade

A proposta de membros do Conselho é dar fim à inelegibilidade de um presidente por dois mandatos, ou seja, garantir que um ex-mandatário possa se candidatar novamente ao cargo após uma eleição apenas. Por exemplo, caso Roberto de Andrade deixasse o Timão hoje, ele não poderia concorrer às próximas duas eleições para presidente. A medida possibilitaria o retorno de políticos num menor período.

Ficha Limpa

Baseada na Lei da Ficha Limpa, que determina a inelegibilidade, por oito anos, de políticos condenados em processos criminais em segunda instância, cassados ou que tenham renunciado para evitar a cassação, a proposta de mesmo nome visa impedir que uma pessoa condenada pela Justiça se candidate a qualquer cargo no Corinthians pelo período de oito anos.

Veja Mais:

  • Roger Guedes está na mira do Corinthians

    Negociações entre staff de Roger Guedes e chineses avançam rumo ao último estágio; veja detalhes

    ver detalhes
  • Neste sábado, Sylvinho comandou penúltima atividade antes de enfrentar o Cuiabá

    Corinthians faz trabalho tático em penúltimo treino para enfrentar o Cuiabá; veja provável time

    ver detalhes
  • Corinthians teve registro de marca para uso em aplicativos negado no último mês de maio

    Corinthians tem registro de marca negado após concessão feita para Gaviões da Fiel

    ver detalhes
  • Cauê marcou três vezes para dar a vitória ao Corinthians no Brasileiro Sub-20

    Cauê faz três e Corinthians vence Cruzeiro pelo Brasileiro Sub-20 na estreia de Siston

    ver detalhes
  • Corinthians vence Real Madruga em último compromisso pela fase de grupos do Paulista de Futsal

    Corinthians vence Real Madruga em último jogo da primeira fase do Paulista de Futsal

    ver detalhes
  • Jonathan Cafu tem contrato com o Corinthians até dezembro de 2023 e está emprestado ao Cuiabá

    Corinthians e Cuiabá têm 22 jogadores agenciados pela mesma empresa; clubes jogam nesta segunda

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

x