Presidente confirma empresa brasileira por NR e explica atraso para fechar acordo

137 mil visualizações 290 comentários

Por Meu Timão

Presidente desde fevereiro de 2015, Roberto de Andrade não obteve sucesso na venda dos NR da Arena

Presidente desde fevereiro de 2015, Roberto de Andrade não obteve sucesso na venda dos NR da Arena

Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, reforçou a intenção de anunciar a venda dos naming rights (direitos de nome) da Arena Corinthians ainda em 2016. O acordo, que prevê o pagamento de cerca de R$ 350 milhões pelo prazo de 20 anos ao Timão, é discutido minuciosamente com uma empresa brasileira, de acordo com o dirigente.

“É um assunto que estamos trabalhando bastante. Ele está vivo. Quero que as pessoas entendam que não é simples. Os advogados estão conversando. Como é um contrato por 20 anos e com valores expressivos, você precisa se cercar de todas as garantias. Espero que em um breve espaço de tempo a gente consiga resolver”, afirmou Roberto de Andrade em entrevista ao GloboEsporte.com.

Por conta do sigilo das tratativas, algumas especulações vieram à tona. A possibilidade de uma companhia do ramo financeiro adquirir os direitos de nome do estádio, além de assumir o Fiel Torcedor, programa de fidelização do clube, acabou desmentida em nota oficial.

“Não posso dizer o segmento, mas é uma empresa brasileira. Não tem nada de internacional”, revelou o dirigente alvinegro. “Tem muita coisa que, às vezes, a outra parte não concorda com o que estamos exigindo. Não são valores. São garantias, porque em 20 anos muita coisa pode mudar. Uma vírgula muda tudo. Aí volta e começa um novo processo de avaliação”.

O Corinthians enxerga como fundamental a cedência do nome da Arena para equilibrar suas finanças. Em julho de 2015, após um período de carência de 19 meses, a diretoria começou a quitar R$ 5 milhões mensais ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pela construção do estádio, avaliado em R$ 1,2 bilhão. No entanto, como as regras da instituição permitem que o período seja de 36 meses, o Timão interrompeu a pagamento das parcelas. A dívida com o BNDES é de R$ 400 milhões.

Como o Meu Timão publicou recentemente, a engenharia financeira elaborada para erguer a Arena Corinthians não funcionou conforme o planejado. Aliás, nem o possível sucesso pelos naming rights mudará o patamar financeiro do clube, que terá de retirar dinheiro do departamento de futebol para sanar a dívida bilionária.

Veja Mais:

  • Conselho não aprovou as contas do Corinthians em 2019

    Conselho Fiscal recomenda reprovação de contas de 2019 e questiona ausência de dívida por Jucilei

    ver detalhes
  • [Marco Bello] Como o Corinthians vai quitar a dívida com a Odebrecht pela construção da Arena

    ver detalhes
  • Jô pode assumir a titularidade do ataque do Corinthians no segundo semestre de 2020

    De Sidcley a Jô: podcast do Meu Timão debate ao vivo a nova escalação do Corinthians; veja detalhes

    ver detalhes
  • Ruan vinha sendo um dos grandes nomes do Sub-20 do Corinthians

    Corinthians trabalha para estender empréstimo de meia promovido por Tiago Nunes na volta aos treinos

    ver detalhes
  • Último jogo do Corinthians foi no dia 15 de março, com Arena vazia

    FPF define data para retorno do Paulistão e aguarda aval das autoridades para anunciar retomada

    ver detalhes
  • Maria Luiza, de 2, e Felipe, de 5 anos, já têm seus respectivos totens na Arena Corinthians

    Filhos de Cássio estarão na arquibancada da Arena Corinthians após paralisação

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: