Arquiteto se pronuncia após vazamento de e-mails sobre problemas estruturais na Arena Corinthians

Arquiteto se pronuncia após vazamento de e-mails sobre problemas estruturais na Arena Corinthians

Por Meu Timão

70 mil visualizações 125 comentários Comunicar erro

Estrutura da construção e terreno ainda devem ser avaliados em auditoria

Estrutura da construção e terreno ainda devem ser avaliados em auditoria

Foto: Reprodução (Crédito: Danilo Verpa / Folhapress)

O arquiteto responsável pelo projeto da Arena Corinthians, Anibal Coutinho, se pronunciou a respeito do vazamento de e-mails sobre problemas estruturais do estádio do Timão. Aníbal foi procurado pelo Meu Timão após as correspondências de sua autoria terem sido divulgados por um blogueiro do portal UOL.

Publicados pelo jornalista Ricardo Perrone, nesta sexta-feira, os materiais contém trechos de conversas do arquiteto com o presidente Roberto de Andrade, o ex-presidente Andrés Sanchez e outros profissionais ligados ao clube e ao estádio.

As mensagens são compostas por uma série de avaliações das estruturas da Arena Corinthians e de seus problemas. Um deles, por exemplo, trata de rachaduras e buracos nos estacionamentos abertos do estádio. No início do ano, foi preciso uma grande obra para recuperar os buracos - os e-mails são desta época.

Em contato com o Meu Timão, o arquiteto explicou que as mensagens não possuem um caráter de fiscalização e nem de cobrança contra aqueles que executaram às obras. Segundo Anibal, ele apenas relatava os fatos aos responsáveis pelo estádio alvinegro.

"Eu sou contratado pelo Corinthians para relatar as ocorrências da obra e não para fiscalização. O Corinthians tinha uma fiscalização. Eu sou obrigado, e faço isso em qualquer obra que trabalho, a relatar todas as cosias que fujam da normalidade. Como a obra terminou, a construtora foi embora e o Corinthians ficou sem estrutura de engenharia e fiscalização, eu comecei a repassar os e-mails diretamente para o presidente", explicou o engenheiro.

"Eu tenho cerca de dois mil e-mails que relato coisas que eu vejo que não estão de acordo com o projeto de arquitetura da Arena", completou.

Entre os problemas citados na época também estão um grande vazamento de água - que já causaram deslocamento de placas e quedas de pedaços do teto - e até mesmo uma instabilidade nas arquibancadas do estádio. Coutinho afirma que esses alertas eram necessários, pois o clube ainda não havia contratado uma empresa para realizar uma auditoria no estádio.

"Nós já tínhamos pedido há muito tempo para eles iniciarem uma auditoria, uma análise que ainda não tinha sido iniciada. Os meus e-mails eram para reforçar algo que já foi feito, que era a auditoria", ressaltou o engenheiro.

A auditoria está sendo realizada na Arena Corinthians desde a metade deste ano - quase um ano após a entrega das obras do estádio por parte da Odebrecht. Sobre os problemas relatados nos e-mails, Anibal Coutinho é direto e diz que prefere que a inspeção seja finalizada.

"Eu prefiro esperar o resultado da auditoria, que já foi contratada. Esses fatos quando eu relato, relato apenas o fato, não o culpado. Eu peço apurações dos fatos porque eu acho que quem é gestor, quem é cliente, tem que apurar as coisas que não acontecem. Eu não me omito na minha função", finalizou o engenheiro.

Veja Mais:

  • Andrés Sanchez mostrou incômodo com postura dos empresários de Balbuena

    Andrés Sanchez critica empresários de Balbuena em entrevista a jornal português

    ver detalhes
  • Timão pode erguer troféu da Liga Ouro já na sexta-feira, na casa do São José

    Corinthians vence batalha com quatro prorrogações e fica a uma vitória do título da Liga Ouro

    ver detalhes
  • Maioria dos titulares de Loss já completou sétimo jogo no BR; Cássio e Fagner, sequer seis

    Doze corinthianos já completaram sete jogos no Brasileirão; veja quem ainda pode se transferir

    ver detalhes
  • Caetano tem 18 anos e estava no Botafogo

    Corinthians acerta contratação de zagueiro indicado por Barroca, técnico do Sub-20

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes