Às vésperas de homenagem, Wlamir Marques fala sobre o Timão: 'Virei corinthiano por amor'

Às vésperas de homenagem, Wlamir Marques fala sobre o Timão: 'Virei corinthiano por amor'

Por Meu Timão

Ginásio será batizado com o nome do ídolo neste sábado

Ginásio será batizado com o nome do ídolo neste sábado

Foto: Reprodução/YouTube

Neste sábado, um dos atletas mais importantes do esporte brasileiro e ídolo do Corinthians no basquete, Wlamir Marques, será homenageado pelo clube. O ex-jogador e bicampeão mundial da modalidade pela seleção brasileira - nos anos de 1959 (Santiago) e 1963 (Rio de Janeiro) -, terá seu nome batizado no atual ginásio do Parque São Jorge.

Muito satisfeito com a atitude por parte do Timão, Wlamir relembrou o período em que começou a se identificar com o clube e, automaticamente, a ser um dos torcedores corinthianos. Para o ex-atleta, o Corinthians ultrapassou as barreiras de somente um clube como os demais em que defendeu em sua carreira, exaltando sua grandeza e força.

"Eu não sou corinthiano por nascimento, eu sou de São Vicente. Eu virei corinthiano por adoção: "Ah, você virou a casaca!". Virei e viraria outra vez. Eu virei corinthiano por amor, não foi por nascença. O Corinthians era minha casa, minha família. Meus filhos eram nadadores aqui do clube. Durante dez anos ele foi realmente a parte mais importante da minha vida. Eu sempre digo que para saber o que é o Corinthians, você precisa vestir a camiseta e jogar pelo Corinthians", declarou.

Em dez temporadas vestindo o manto alvinegro, tendo em vista que atuou pelo Corinthians de 1962 até 1972, Wlamir recordou a evolução do conjunto corinthiano na época, até se tornar uma das equipes mais fortes em nível nacional.

"Esse nosso time de basquete já era forte e foi ressurgindo aos poucos, com o incentivo da torcida. Nós éramos o tapa-buraco do Corinthians, enquanto o futebol não ganhava, nós ganhávamos tudo. O povo vinha aqui assistir e, ao mesmo tempo, em todos os nossos jogos era comum ver os jogadores de futebol do clube assistindo, a gente retribuía da mesma forma", acrescentou.

Prestes a nomear o ginásio localizado na sede do clube, atualmente palco de jogos de futsal do clube em sua maioria, o ídolo pontuou os principais memórias a respeito da construção do local de jogo, evidenciado as melhorias que pode ser vista no momento.

"Eu vim para São Paulo no dia 1 de maio de 1962 e esse ginásio ainda estava em construção. Nós não tínhamos onde jogar, jogávamos na quadra dos outros ou quadra emprestada. Acompanhei toda a construção deste ginásio e, a partir de 1963, na inauguração, nós passamos a jogar aqui. Ainda não era assim, ele estava sendo acabado, com uma quadra de madeira improvisada no meio e assim foi feita a inauguração", completou Wlamir, ídolo do do basquete brasileiro na geração que também contou com Amaury Pasos, Algodão e Rosa Branca.

Vestindo o manto alvinegro, Wlamir conquistou oito título estaduais. Vale lembrar que, atualmente o Timão não possui uma equipe de basquete masculino e, na categoria feminina, apresenta parceria junto à cidade de Americana, onde manda suas partidas.

Veja a entrevista com o ídolo corinthiano

Veja Mais:

  • Filha dá resposta sensacional ao pai palmeirense: 'Vai, Corinthians'

    Pai força garotinha a cantar música do Palmeiras, e ela surpreende com um 'Vai, Corinthians!'

    ver detalhes
  • Gaviões da Fiel se unirá as outras torcidas organizadas paulitas neste domingo

    Organizadas rivais de São Paulo se unem em evento no Pacaembu em homenagem à Chape

    ver detalhes
  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes
  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes