Neto crava primeiras medidas que tomará se for eleito presidente do Corinthians

Neto crava primeiras medidas que tomará se for eleito presidente do Corinthians

Por Meu Timão

191 mil visualizações 336 comentários Comunicar erro

Neto foi entrevistado no programa Bola da Vez

Neto foi entrevistado no programa Bola da Vez

Foto: Reprodução/TV

Após lançar candidatura à presidência do Corinthians para 2021, o ex-meia e ídolo alvinegro Neto detalhou quais serão suas primeiras medidas como mandatário do Timão se for eleito. As declarações do hoje apresentador e comentarista da TV Bandeirantes giraram em torno da política do clube e da administração da Arena e foram ao ar na noite desta terça-feira, durante exibição do programa Bola da Vez, da ESPN.

No que diz respeito ao estádio do Corinthians, que vem sendo alvo de polêmicas como obras inacabadas e vazamento de milhões de litros de água no subsolo, Neto afirmou que iniciaria uma grande investigação em cima de todos que trabalharam com as contas do empreendimento. Os juros que fizeram o custo real da Arena saltar para R$ 1,6 bilhão, conforme revelado em julho pela Folha de S.Paulo, deixaram o ex-meia estarrecido.

"Eu ia fazer uma auditoria para ver quem roubou e quem não roubou. Pegaria a Caixa Econômica para ver quanto deram, R$ 350 milhões, e para ver para onde foram esses R$ 350 milhões. Por que comprei mármore, escada rolante? Por que tive um time campeão em 2015, paguei R$ 140 milhões de dívidas e mesmo assim o preço do estádio foi de R$ 1 bilhão pra R$ 1,6 bilhão? Juros? Aposto que ele (Roberto de Andrade) não age assim com as contas na casa dele", disparou.

"Se o Corinthians não ficar esperto, o estádio do Corinthians vai ser fechado. Eu falo isso", acrescentou.

Ao ser questionado se tais problemas de gestão da Arena seriam motivados por incompetência ou má fé, Neto levantou bola para um fato curioso a respeito do estatuto do Corinthians: o presidente não é remunerado. Uma eventual gestão do ex-meia mudaria tal regulamento visando melhorar a atuação do dirigente.

"É incompetência e má fé de todos os dirigentes que fazem isso com os clubes.
Presidente tem que ser remunerado. Quem quiser votar em mim vota, quem não quiser não vota. O presidente tem que ficar 24 horas no clube e tem que ser remunerado, não pode ser por paixão", declarou.

Outra exigência que Neto faria a respeito da diretoria do Corinthians, segundo revelado pelo próprio ex-meia, é comparar os valores patrimoniais de cada dirigente antes de assumir o cargo e depois de deixá-lo. A ideia seria evitar supostos desvios de verba.

"Tem que pegar o valor patrimonial antes de assumir, ver quantas casa tem, quantas fazendas, quantos passarinhos e, depois, checar o valor patrimonial na hora de sair. Ah, você tem R$ 20 milhões a mais? Por que você tem R$ 20 milhões a mais e o clube está com déficit?", explicou.

Por fim, falando sobre sua possível gestão à frente do Corinthians, Neto "colocou" o diretor do Flamengo Rodrigo Caetano como seu futuro braço-direito. Ele seria o responsável por ajudar no planejamento do futebol corinthiano.

"Se eu fosse presidente hoje, o Rodrigo Caetano seria meu vice-presidente de futebol. Ele é um monstro. Foi um jogador razoável, mas como administrador de futebol é (um monstro)."

Veja mais em: Neto.

Veja Mais:

  • Titular diante do Botafogo, Roger é 'baixa inesperada' para clássico no Morumbi

    Roger sofre entorse e desfalca Corinthians no Majestoso; veja três possibilidades de escalação

    ver detalhes
  • Por que o Morumbi é o Salão de Festas do Corinthians | 68

    VÍDEO: Por que o Morumbi é o Salão de Festas do Corinthians | 68

    ver detalhes
  • Clayson reforça Timão no primeiro clássico pós-Copa do Mundo; Roger está fora

    Sem Roger, Loss relaciona Douglas e ganha retorno de atacante para clássico contra São Paulo

    ver detalhes
  • Douglas foi apresentado na tarde desta sexta-feira no CT

    Apresentado no Corinthians, Douglas se diz 200% curado de doença e já se coloca à disposição

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes