Fagner fala sobre salários atrasados no Corinthians e pede posição da diretoria

Fagner fala sobre salários atrasados no Corinthians e pede posição da diretoria

75 mil visualizações 157 comentários Comunicar erro

Fagner concedeu entrevista nesta sexta-feira

Fagner concedeu entrevista nesta sexta-feira

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Um dos pilares do atual elenco do Corinthians, o lateral-direito Fagner abriu o jogo a respeito do assunto que movimentou a quinta-feira do clube: o atraso no pagamento de atletas e funcionários. Em entrevista coletiva concedida no fim da tarde desta sexta, no CT Joaquim Grava, o jogador confirmou a informação e revelou que boa parte do grupo profissional não recebeu o salário referente a outubro.

“Não é fácil, né? A gente sabe, há muito tempo isso não acontecia aqui, mas foi um fato que aconteceu. A gente vai tentar deixar isso de lado para que a diretoria resolva o quanto antes e fazer nosso papel dentro de campo para que as vitórias aconteçam. Vamos deixar isso do lado de fora e torcer para que se resolva o quanto antes”, afirmou Fagner.

Apesar do tom político, o ala alvinegro disse ter conversado com companheiros sobre o assunto e até contatado o gerente de futebol Alessandro Nunes para buscar um parecer da diretoria do Timão, o que não ocorreu ainda.

“Conversando com a maioria dos atletas, o salário de novembro não foi pago ainda. Espero que isso seja resolvido. Com os atletas ninguém falou nada, eu mandei mensagem para o Alessandro e ele disse que seria resolvido nos próximos dias. Até vimos se dava para conversar com eles e ter uma posição definitiva para passarem alguma coisa”, declarou o camisa 23.

Os vencimentos de outubro, que deveriam ser quitados pela direção do Corinthians até o quinto dia útil (7) deste mês, permanecem em atraso. O clube havia se comprometido a pagar os salários até o dia 14 (segunda-feira), mas não honrou com a promessa. Questionado acerca de 2015, quando o elenco ficou boa parte da temporada sem receber em dia, Fagner foi pragmático.

“A comparação é difícil de fazer. Era outro grupo, situações diferentes. Esse ano foi complicado por todo mundo que saiu, tivemos que refazer o time duas vezes, saíram jogadores, chegaram, pressão é grande. Um clube como o Corinthians precisa estar sempre lá em cima, é fato”, frisou.

“Mas com relação a salário, tem que ser resolvido lá dentro, o pessoal está se empenhando para resolver o quanto antes. Nós temos que fazer nosso trabalho em campo”, finalizou.

Veja mais em: Roberto de Andrade e Fagner.

Veja Mais:

  • Gil e Ralf estão em foto publicada pelo Corinthians

    Corinthians e Gil interagem nas redes sociais e indicam acerto pelo retorno do zagueiro

    ver detalhes
  • Ralf e Gil foram parceiros no Corinthians de 2013 a 2015

    Ralf, sobre iminente retorno do zagueiro Gil ao Corinthians: 'Dispensa comentários'

    ver detalhes
  • Fellipe Bastos, Marlone e Giovanni Augusto, três de quase 30 que ficarão sem contrato até 31 de dezembro de 2019

    Corinthians prevê economia de milhões com fim do contrato de quase 30 atletas em 2019; veja a lista

    ver detalhes
  • Jogadores e comissão técnica ficaram a muitos metros de distãncia dos jornalistas nesta quarta-feira

    Corinthians treina 'escondido' e volta a ter desfalques; à tarde uma nova atividade no CT

    ver detalhes

Comente a notícia: