Fagner fala sobre salários atrasados no Corinthians e pede posição da diretoria

Fagner fala sobre salários atrasados no Corinthians e pede posição da diretoria

Fagner concedeu entrevista nesta sexta-feira

Fagner concedeu entrevista nesta sexta-feira

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Um dos pilares do atual elenco do Corinthians, o lateral-direito Fagner abriu o jogo a respeito do assunto que movimentou a quinta-feira do clube: o atraso no pagamento de atletas e funcionários. Em entrevista coletiva concedida no fim da tarde desta sexta, no CT Joaquim Grava, o jogador confirmou a informação e revelou que boa parte do grupo profissional não recebeu o salário referente a outubro.

“Não é fácil, né? A gente sabe, há muito tempo isso não acontecia aqui, mas foi um fato que aconteceu. A gente vai tentar deixar isso de lado para que a diretoria resolva o quanto antes e fazer nosso papel dentro de campo para que as vitórias aconteçam. Vamos deixar isso do lado de fora e torcer para que se resolva o quanto antes”, afirmou Fagner.

Apesar do tom político, o ala alvinegro disse ter conversado com companheiros sobre o assunto e até contatado o gerente de futebol Alessandro Nunes para buscar um parecer da diretoria do Timão, o que não ocorreu ainda.

“Conversando com a maioria dos atletas, o salário de novembro não foi pago ainda. Espero que isso seja resolvido. Com os atletas ninguém falou nada, eu mandei mensagem para o Alessandro e ele disse que seria resolvido nos próximos dias. Até vimos se dava para conversar com eles e ter uma posição definitiva para passarem alguma coisa”, declarou o camisa 23.

Os vencimentos de outubro, que deveriam ser quitados pela direção do Corinthians até o quinto dia útil (7) deste mês, permanecem em atraso. O clube havia se comprometido a pagar os salários até o dia 14 (segunda-feira), mas não honrou com a promessa. Questionado acerca de 2015, quando o elenco ficou boa parte da temporada sem receber em dia, Fagner foi pragmático.

“A comparação é difícil de fazer. Era outro grupo, situações diferentes. Esse ano foi complicado por todo mundo que saiu, tivemos que refazer o time duas vezes, saíram jogadores, chegaram, pressão é grande. Um clube como o Corinthians precisa estar sempre lá em cima, é fato”, frisou.

“Mas com relação a salário, tem que ser resolvido lá dentro, o pessoal está se empenhando para resolver o quanto antes. Nós temos que fazer nosso trabalho em campo”, finalizou.

Veja mais em: Roberto de Andrade e Fagner.

Veja Mais:

  • Walter aguarda diretoria do Corinthians para selar permanência no clube

    São Paulo insiste e aumenta oferta pela terceira vez; Walter segue no aguardo do Corinthians

    ver detalhes
  • Meia marcou primeiro gol com a camisa do Corinthians nesta quarta-feira

    De Messi a Romarinho: as reações da torcida do Corinthians ao primeiro gol de Pedrinho; veja

    ver detalhes
  • Gol de Balbuena abriu o placar nesta quarta-feira

    Balbuena e Pedrinho marcam, Corinthians despacha colombianos e avança na Sul-Americana

    ver detalhes
  • Timão se aproximou ainda mais da segunda colocação no Torcedômetro

    Fiel Torcedor volta a crescer e Corinthians diminui diferença para segundo lugar no Torcedômetro

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes