Justiça aceita habeas corpus de corinthiano preso após confronto no Rio

Justiça aceita habeas corpus de corinthiano preso após confronto no Rio

Gustavo, ao lado do enteado e da filha, estava preso há mais de um mês

Gustavo, ao lado do enteado e da filha, estava preso há mais de um mês

Foto: Arquivo pessoal

O torcedor do Corinthians Gustavo Inocêncio Meira Rosário, acusado de agredir policiais militares antes da partida do clube contra o Flamengo, no Maracanã, no dia 23 de outubro, teve a liberdade decretada nesta terça-feira à tarde.

Em contato com o Meu Timão, o advogado João Drummond Freitas, responsável pela defesa de Gustavo, confirmou que o habeas corpus foi acatado pela Justiça do Rio, que então providenciou o alvará de soltura. “Com essa decisão, o Gustavo responde o processo em liberdade até o final dele. Não quer dizer que ele foi absolvido, ele responde o processo em liberdade. Os outros continuam presos”, disse o especialista.

Gustavo foi um dos 31 corinthianos que teve a prisão preventiva decretada pela juíza Marcela Caram no dia 25 do mês passado, dois dias após o incidente no estádio. Ao Meu Timão, porém, familiares do avareense apresentaram provas que comprovaram sua inocênciaum vídeo divulgado que circula nas redes sociais mostra ele se distanciando do estopim do conflito iniciado no setor destinado à Fiel.

Dessa forma, outros 29 torcedores permanecem presos na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Bangu, no Rio de Janeiro. Há cerca de 15 dias, o jovem P.A., de 16 anos, também supostamente envolvido na briga no Maracanã, deixou uma unidade de internação por falta de provas.

Desde o episódio na capital carioca, o Meu Timão já divulgou provas que inocentam cinco corinthianos além de Gustavo: Fabio Barbosa Tomé, e André Luis Tavares da Silva, de 39 anos, Leandro da Silva Coelho, 23, P.A., 16, e Victor Hugo Souza de Oliveira.

De acordo com Freitas, a liberação de Gustavo justamente nesta quinta é uma forma de evitar a repercussão do caso, já que as atenções da grande mídia estão voltadas à tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense a Medellin, na Colômbia, durante a madrugada desta terça. “Eles aproveitaram essa tragédia de hoje para liberar e não dar repercussão, para não mostrar que eles erraram mesmo”, declarou.

Outro torcedor detido no Rio de Janeiro também teve o habeas corpus aceito nesta terça, mas seu nome não foi divulgado até o momento.

Relembre o caso

Minutos antes de a bola rolar para o jogo entre Corinthians e Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, parte da torcida do Timão presente na arquibancada entrou em confronto com policiais militares.

A confusão começou quando torcedores cariocas arremessaram copos e demais objetos em direção ao setor destinado aos paulistas. Em reação à agressão, alguns dos alvinegros tentaram invadir o espaço mandante, mas acabaram contidos pela PM, que usou cassetetes e spray de pimenta e, assim, aumentou o tumulto.

Vale destacar que, dos corinthianos ainda detidos, somente quatro foram identificados por reconhecimento de imagens. São eles: Kauã Gentil, Rogério Aparecido dos Santos, Anderson Zanqueta da Silva e Tiago de Lima. Os demais, acusados sob depoimento de quatro agentes do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), jamais tiveram o envolvimento na briga comprovado.

Veja mais em: Corinthianos presos no Rio.

Veja Mais:

  • Feliz, Jadson comemora 'primeira viagem' com Timão em rede social

    Feliz, Jadson comemora 'primeira viagem' com Timão em rede social

    ver detalhes
  • Campeão da Copinha, o jovem Pedrinho pode estrear na quarta-feira

    Com Pedrinho e Jadson, Corinthians divulga relacionados para pegar o Brusque; Rodriguinho fora

    ver detalhes
  • Jadson é opção a partir da próxima quarta-feira, dia 1º

    Jadson viaja a Santa Catarina e pode fazer a reestreia pelo Corinthians

    ver detalhes
  • Carille comandou trabalho do Corinthians no CT antes de viagem a Brusque

    Com Jadson, Corinthians se reapresenta e faz último treino no CT; Camacho retorna

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes