Volante brasileiro que enfrentou Drogba nos EUA garante: 'Ele é um jogador diferenciado'

Volante brasileiro que enfrentou Drogba nos EUA garante: 'Ele é um jogador diferenciado'

Por Meu Timão

10 mil visualizações 64 comentários Comunicar erro

Marcelo foi revelado no Corinthians e deu sua opinião sobre Drogba

Marcelo foi revelado no Corinthians e deu sua opinião sobre Drogba

Foto: Divulgação

O volante brasileiro Marcelo Sarvas, revelado nas categorias de base do Corinthians e que hoje defende o DC United (EUA), analisou a possível chegada do centroavante Didier Drogba no Timão. Adversário do atacante durante os playoffs do MLS Cup (Major League Soccer) na temporada passada, enquanto o mesmo ainda atuava pelo Impact de Montreal, o jogador garantiu que a possível contratação alvinegra é uma grande aposta para o futebol brasileiro – que sofre carência de grandes jogadores no setor.

Questionado sobre a temporada de Drogba e sua condição física no futebol norte-americano durante a última temporada, onde já atua há seis anos, Marcelo ressaltou que mesmo com a idade avançada nos termos do futebol, a grande qualidade técnica do atacante de 38 anos é inegável. Para o volante, a chegada do atleta do Corinthians chegaria para somar.

“Ele chegou lá em 2015, foi o primeiro ano dele lá. Ele chegou muito bem, fez muitos gols, foi artilheiro na equipe e acho que ele teve uma média de quase um gol por jogo, no primeiro ano dele. Tanto que ele não ia voltar, então fizeram uma campanha pra ele, e ele voltou. Esse ano não foi a mesma coisa, eu joguei contra ele dois jogos. No começo da temporada ele jogou todos os jogos, no meio ele não estava mais jogando. Teve um problema de grupo, teve um problema de lesão, e terminou o campeonato sem jogar”, comentou Marcelo em entrevista à Rádio Globo.

É um jogador que todo mundo sabe da qualidade técnica dele, a qualidade dele de fazer gols. Ele é muito forte, acho que foge do biotipo do brasileiro, onde não é tão fácil encontrar um jogador que tem a força dele. O posicionamento dele dentro da área também é impressionante. Bate muito bem para o gol, é um jogador um técnico que chega ao gol. Acho que se chegar no Corinthians, mais pela falta que existe nessa posição no Brasil, ele vai somar muito”, completou.

Marcelo Sarvas enfrentou Drogba em 2016 nos EUA, pelo MLS Cup

Marcelo Sarvas enfrentou Drogba em 2016 nos Estados Unidos, pelo MLS Cup

Brad Mills / Brad Mills-USA Today Sports

Quanto ao possível desempenho de Drogba no futebol brasileiro, o volante ressaltou o que é certo esperar do atacante em campo. “Eu acredito que ele é um jogador diferenciado. Isto aí você não tenha dúvida, é um jogador mundialmente conhecido, famoso. Principalmente a parte de marketing vai fazer muita diferença. Dentro de campo é sempre uma incógnita. Você tem que apostar", revelou.

"Acho que se você for esperar dele ali dentro da área, ele definir e fazer gol, criar situações, puxar dois marcadores, ter atenção dele ali dentro do jogo, você está preparado. Agora se você esperar que ele vá buscar o jogo, sair em contra ataque, é uma posição que ele não vai conseguir fazer hoje por que ele não é o mesmo Drogba que jogava pelo Chelsea”, completou.

Sobre a movimentação que o centroavante marfinense alcança atualmente, Marcelo comentou a principal característica que Drogba exerceu nos Estados Unidos: o atacante finalizador que aparece na área no momento certo. “Ele é um jogador de explosão ali perto da área”, garantiu.

“Lógico, é um jogador forte, que você pode usar ele para fazer a parede, pois ele sabe trabalhar muito bem de costas. Mas é um jogador que joga ali nos 20 metros perto da área, que vai driblar e bater ali de perto da área, que vai aparecer em um cruzamento, em um lance. Não esperar ele vir ali do meio-de-campo e dar um pique no zagueiro, não vejo ele dessa forma. Mesmo pro que nos Estados Unidos, que é um futebol mais rápido e não tão técnico, ele fazia essa função”, completou.

Por fim, Marcelo Sarvas comentou as diferenças que o futebol dos Estados Unidos tem em relação do brasileiro na preparação de seus jogadores. "Nos Estados Unidos a gente treina uma vez por dia, é sempre pela parte da manhã. Nenhum time que eu estive teve treino em dois períodos, nem em pré-temporada, e eu tenho quase certeza que no Montreal não era em dois períodos”, afirmou.

“É um lugar que não se trabalha a parte física como se trabalha aqui, tênis lá é só pra você ir do vestiário até o campo e depois é chuteira. Isso conserva um pouco mais o físico do jogador e deixa mais tranquilo para a hora do jogo. Eu tenho certeza que o Corinthians, quanto a isso, vai fazer um plano especial não só por ser o Drogba, mas também pela idade dele e pelo tempo de futebol. Tenho certeza que esse plano já tá preparado, principalmente por que os preparadores brasileiros sabem trabalhar bem com isso”, finalizou.

Veja mais em: Mercado da bola e Drogba.

Veja Mais:

  • Torcida do Corinthians está atenta aos resultados da rodada no Brasileirão

    Rivais diretos empatam, e Corinthians 'respira' na saideira da 29ª rodada; veja classificação

    ver detalhes
  • Renatinho (à dir.) marcou os dois gols do Corinthians em Foz do Iguaçu

    Valente, Corinthians arranca empate em jogaço pelas oitavas da LNF

    ver detalhes
  • Romero está entre os relacionados do Corinthians para final da Copa do Brasil

    Com Romero e Léo Santos, Corinthians divulga relacionados para final; concentração é antecipada

    ver detalhes
  • Corinthians estreia no Novo Basquete Brasil (NBB) nesta terça-feira

    Corinthians no NBB: elenco renovado, rivais e mais sobre a estreia na elite do basquete nacional

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes