Agente explica saída de Jadson da China e alerta: meia quer três anos de contrato no novo clube

Agente explica saída de Jadson da China e alerta: meia quer três anos de contrato no novo clube

Por Meu Timão

123 mil visualizações 162 comentários Comunicar erro

Jadson retorna ao Brasil nesta terça-feira

Jadson retorna ao Brasil nesta terça-feira

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Jadson, de 33 anos, está oficialmente fora do Tianjin Quanjian. Conforme antecipado pelo próprio jogador na manhã desta terça-feira, por meio das redes sociais, ele está a caminho do Brasil. Em entrevista concedida à Rádio Transamérica, também nesta terça, diretamente da China, o empresário Marcelo Robalinho explicou o procedimento de rescisão contratual do meia com a equipe asiática.

"Eu vim para a China junto com o Jadson por volta do dia 7, dia 8 de janeiro. A ideia era pressionar o clube para tomar uma decisão, uma vez que todos os dias o clube parecia estar contratando jogadores, como Diego Costa, James Rodríguez. Queríamos que o clube tomasse uma posição, porque não é interessante para o futuro do Jadson ficar como um suplente", informou Robalinho.

"Por conta disso, nossa estratégia foi pedir uma renovação de contrato no valor dos jogadores que estão chegando. O clube ofereceu algo nos valores que Jadson já ganhava. Então entramos em acordo pela rescisão", completou.

A partir de agora, então, os empresários responsáveis pela carreira de Jadson estão abertos a negociações. Com diversos clubes interessados - o Corinthians foi o primeiro a contatar os agentes, ainda em setembro do ano passado -, o meia tem noção de que terá de diminuir seu salário em comparação ao que era recebido na China para voltar ao Brasil. Uma coisa, contudo, ele não deve abrir mão: um contrato sólido de no mínimo três anos de duração.

"É evidente que ele tem mercado, por isso abrimos mão de uma quantia significante aqui (China) confiando no mercado que ele tem (no Brasil). Não podia haver negociação com clubes do Brasil sem a documentação assinada (de rescisão). Prezo muito pela ética. Não quis colocar nenhum clube numa situação de expectativa. Hoje, com a documentação assinada, vamos começar as conversas. Não existe proposta concreta de clube nenhum por enquanto porque não abrimos negociação. A partir de agora é que vamos conversar", disse.

"A readequação de salários é inevitável. Nenhum clube brasileiro pode competir com os salários da China. Mas o jogador vai ganhar em qualidade de vida, em chance de voltar à Seleção Brasileira. Se ficasse na China, ganharia mais, mas poderia ficar encostado. Nossa ideia de retorno ao Brasil é fazer um contrato de no mínimo três anos", alertou.

Veja mais em: Mercado da bola e Jadson.

Veja Mais:

  • Árbitro que prejudicou Corinthians diante do Flamengo é escalado para volta das semifinais

    Árbitro que prejudicou Corinthians diante do Flamengo é escalado para volta das semifinais

    ver detalhes
  • Agora capitão fixo do Corinthians, Cássio ergue a taça do hepta, em 2017

    Fim de rodízio? Volante do Corinthians nega conversa de Jair sobre escolha de capitão fixo

    ver detalhes
  • Pacaembu irá receber clássico entre Corinthians e Santos no Brasileirão

    Rival solicita, e Corinthians voltará ao Pacaembu ainda em 2018

    ver detalhes
  • Reservas fizeram uma atividade de um contra um durante boa parte desta terça-feira

    Treino do Corinthians tem ausência de titulares, um contra um dos reservas e goleiros no futevôlei

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes