Coritiba cobra Corinthians por suposto calote na contratação de Kazim

Coritiba cobra Corinthians por suposto calote na contratação de Kazim

Por Meu Timão

Kazim foi contratado pelo Corinthians na última janela de transferências

Kazim foi contratado pelo Corinthians na última janela de transferências

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Corinthians vem sendo cobrado por dirigentes do Coritiba por conta de um suposto calote na contratação do atacante Colin Kazim. O Timão ainda não teria depositado nenhuma quantia referente à compra do inglês naturalizado turco.

Em declaração reproduzida pelo portal Lance!, o diretor de futebol do Coritiba, Alex Brasil, declarou que "no total, são cinco parcelas. Não pagaram a entrada e nem a primeira parcela até agora", se referindo à dívida do Corinthians.

De acordo com o portal Yahoo! Esportes, o dirigente do Coritiba esteve em São Paulo nos últimos dias em visita ao CT Joaquim Grava justamente para cobrar o Corinthians. O Timão acordou, no início do ano, pagar R$ 1,2 milhão para contratar Kazim.

Vale destacar que Kazim vem sendo visto com bons olhos pela comissão técnica e a própria diretoria do Corinthians neste início de temporada. O "gringo da favela" já soma 12 atuações com a camisa alvinegra, tendo marcado dois gols.

Veja mais em: Kazim, Mercado da bola e Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Jô passou em branco nesta noite de quarta, diante do Grêmio

    Corinthians não cria, apenas empata com Grêmio na Arena, mas mantém vantagem na liderança

    ver detalhes
  • Corinthians de Romero corre risco de ver Santos se aproximar

    Corinthians mantém diferença, mas tem de secar rival nesta quinta; veja classificação atualizada

    ver detalhes
  • Rodriguinho foi eleito o pior em campo

    Carille e dupla de meias são eleitos vilões de tropeço do Corinthians contra Grêmio

    ver detalhes
  • Kazim discutiu com torcedor do Corinthians durante aquecimento

    Kazim discute com torcedor na Arena Corinthians durante duelo contra Grêmio

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes