Jornalistas 'quebram pau' ao vivo em debate sobre Arena Corinthians e Moisés Lucarelli

Jornalistas 'quebram pau' ao vivo em debate sobre Arena Corinthians e Moisés Lucarelli

Por Meu Timão

25 mil visualizações 187 comentários Comunicar erro

Programa Mesa Redonda desse domingo foi palco de barraco entre jornalistas

Programa Mesa Redonda desse domingo foi palco de barraco entre jornalistas

Reprodução/TV

Mal deu tempo para os veículos de imprensa anunciarem a decisão entre Corinthians e Ponte Preta para a edição de 2017 do Campeonato Paulista e já havia jornalistas "quebrando o pau". Trata-se de Chico Lang e Flávio Prado, que se exaltaram durante o programa Mesa Redonda desse domingo à noite, na TV Gazeta.

O assunto alvo de polêmica foi o estádio no qual a Ponte Preta deveria mandar o jogo de ida da final do Paulistão. Chico Lang, que usualmente toma partido do Corinthians nas discussões do programa, desconjurou a possibilidade de o clube campineiro receber a partida decisiva no Moisés Lucarelli, cuja capacidade atual beira os 15 mil lugares.

"Decisão de campeonato não pode ser naquele estádio ‘mixuruco’ que a Ponte tem, isso na minha opinião. É um estádio vagabundo diante da Arena (Corinthians) e não serve. Joga na do Palmeiras, aluga o estádio do Palmeiras. Agora um estádio sem vergonha daquele não pode ter a final do Campeonato Paulista", posicionou-se Lang.

Flávio Prado, por sua vez, rebateu veementemente o colega de bancada. O jornalista se baseou nas recentes notícias envolvendo a Arena Corinthians e as investigações contra a Odebrecht na Operação Lava-Jato.

"Não cai gesso, não inunda, não roubaram para fazer lá. A torcida pagou e fez. Ninguém roubou para fazer lá, não houve superfaturamento. Pergunte ao (Marcelo) Odebrecht se ele deu dinheiro para fazer o estádio. Veja se está na delação ‘Moisés Lucarelli’", ironizou Prado.

Chico Lang não entrou no debate levantado pelo companheiro de emissora, voltando a criticar o estádio da Ponte Preta:

"Tem mais de 100 anos essa porcaria de estádio. Vai jogar lá, em uma porcaria de estádio que tem mais de 150 anos", afirmou.

Por fim, Prado lembrou as finais do Paulistão de 1977, quando Corinthians e Ponte Preta disputaram os três jogos decisivos no estádio do Morumbi. Em meio às lembranças, porém, o jornalista se perdeu em infundados argumentos a respeito da Ditadura Militar.

"Em 1977 tiveram que fazer aquela sacanagem de trazer os jogos para cá (em São Paulo), mas agora não tem mais a Ditadura Militar para puxar o saco de vocês, não. Agora mudou, agora tem um monte de corrupto, como naquela época, só que naquela época a corrupção era escondida, agora não. Agora não tem a ditadura para defender o Corinthians", disse.

Fato é que Corinthians e Ponte Preta decidirão as finais do Paulistão nos próximos dois domingos e com estádios já definidos. No início de tarde desta segunda-feira, a Federação Paulista de Futebol confirmou aquilo que já era tendência: as partidas acontecerão nos estádios dos times (Moisés Lucarelli e Arena).

Veja mais em: Campeonato Paulista.

Veja Mais:

  • Elenco do Corinthians oscilou muito e chega com "patamares alterados" para 2019

    Do início ao fim: a trajetória do elenco do Corinthians durante o ano e como cada um chega para 2019

    ver detalhes
  • Mantuan será jogador da Ponte Preta em 2019

    Corinthians empresta volante Guilherme Mantuan à Ponte Preta

    ver detalhes
  • Desejado pelo Atlético-MG, Clayson quer ficar e retomar alto nível no Timão em 2019

    Clayson freia saída e faz Atlético-MG analisar outros corinthianos; acordo por Luan é mantido

    ver detalhes
  • Marciel está fora dos planos da comissão técnica do Corinthians para 2019

    Sem aval de Carille, Marciel não retorna ao Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes