Caio Ribeiro aponta baixa ofensividade do Corinthians contra Santos: 'Criou muito pouco'

Caio Ribeiro aponta baixa ofensividade do Corinthians contra Santos: 'Criou muito pouco'

Por Meu Timão

1.6 mil visualizações 40 comentários Comunicar erro

O comentarista Caio Ribeiro analisou a derrota do Timão no clássico contra o Santos

O comentarista Caio Ribeiro analisou a derrota do Timão no clássico contra o Santos

Foto: Reprodução / TV Globo

Na derrota de 2 a 0 do Corinthians no clássico contra o Santos, do último domingo, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro a pouca força ofensiva da equipe do Parque São Jorge chamou atenção na Vila Belmiro. Ao menos foi o que apontou o comentarista Caio Ribeiro, que viu o meio-campo corinthiano pouco produtivo diante do rival litorâneo. O ex-jogador também ressaltou a baixa eficiência do técnico Fábio Carille durante a partida – mesmo afastando a culpa do treinador.

"Você vê a organização ofensiva. Chegam cinco, seis jogadores contra cinco do Santos, mas falta aquele último passe. Aquela situação de deixar o companheiro na cara do gol. No Corinthians ontem (domingo), principalmente, do meio para frente não aconteceu. Jadson um pouco abaixo, Rodriguinho, o próprio Romero. São jogadores importantes para fazer com o que o Jô entre na partida, e o Corinthians criou muito pouco", analisou Caio Ribeiro em participação no programa Globo Esporte, da TV Globo.

A derrota do Corinthians diante do Santos foi a terceira da equipe no segundo turno do Brasileirão. O time havia amargado uma derrota de 1 a 0 diante do lanterna Atlético-GO e outra contra o Vitoria, pelo mesmo placar, sendo ambas realizadas na Arena em Itaquera. O único resultado positivo veio na vitória de 1 a 0 sobre a Chapecoense, em Santa Catarina. Com isto, foram apenas três pontos convertidos em quatro partidas disputadas.

Leia também:
Corinthians 'dá spoiler' da festa de 107 anos e convoca Fiel para comemorar na arquibancada
Carille perde duas seguidas pela primeira vez após 64 jogos como treinador do Corinthians

A campanha vem destoando em comparação a do primeiro turno, onde terminou invicto e com a maior pontuação somada em um único turno do Brasileirão na era dos pontos corridos. Em campo, a principal diferença aparece na posse de bola. Ao contrário do início do Brasileirão, nas últimas quatro partidas que disputou o Corinthians sustentou uma posse de bola maior que os adversários. Contra o Vitória, foram 72% de posse alvinegra, assim como diante do Atlético-GO, onde o Timão manteve o domínio da bola durante 66% do tempo de jogo. No clássico diante do Santos, o time de Fábio Carille manteve sua marca em 55%.

Analisando a posse de bola do Timão, Caio Ribeiro viu a falta de ofensividade como fator predominante para as derrotas. "O Corinthians é um time armado para se defender e contra-atacar. Eu tiraria deste scout (de posse de bola) o jogo do Atlético-GO, porque aqui foi onde o Corinthians teve quase o dobro da posse de bola, ele criou chances reais de gols e perdeu os gols. Contra o Santos e o Vitória não”, analisou.

“O Vitória foi extremamente eficiente na estratégia, e contra o Santos o resultado foi justo. O Santos foi muito superior, Lucas Lima e Bruno Henrique tomaram conta do jogo, para mim foram os destaques. E do lado corinthiano, quando você tem o Cássio fazendo dois, três milagres, é porque alguma coisa não funcionou", completou o comentarista.

Leia também: Apesar de derrota, chances de título do Corinthians dão salto; veja probabilidades

Tentando dar mais velocidade ao ataque do Corinthians, o técnico Fábio Carille utilizou as três alterações que tem acesso durante o clássico – todas elas durante o segundo tempo. O volante Camacho foi o primeiro a entrar em campo, no lugar de Gabriel, seguido pelo atacante Clayson, ocupando a vaga de Romero, e o meia Giovanni Augusto, substituindo Marciel. Para Caio Ribeiro, as mudanças não tiveram impacto na postura do Timão.

"Eu acho que ele (Carille) tentou de tudo, mas elas (as substituições) não surtiram efeito. Aí já não acho que é para a conta do treinador, é pelo momento do time. Individualmente, esses jogadores não conseguiram fazer a diferença. Tanto o Camacho como o Giovanni Augusto e o Clayson, eles entraram com uma proposta de acelerar mais o jogo, tonar mais ofensivo. Mas na prática, isto não aconteceu”, finalizou.

O Corinthians segue líder do Brasileirão, com 50 pontos somados. Mesmo com a derrota no final de semana, a diferença para o vice-líder Grêmio se manteve com sete pontos, graças a derrota de 1 a 0 dos gaúchos diante do Vasco, no último sábado. O Santos, terceiro colocado, diminuiu a distância com o Timão para nove pontos com a vitória na Vila Belmiro.

Veja mais em: Corinthians x Santos e Campeonato Brasileiro.

Veja Mais:

  • Vôlei alvinegro começa sua caminhada na Superliga nesta semana

    Brasileirão, estreia na Superliga e final no feminino: a semana de compromissos do Corinthians

    ver detalhes
  • Atacante já marcou dez gols na atual edição da Serie B e deve chegar ao Timão

    Torcida do Corinthians repercute possível acerto com André Luis para 2019; veja tuítes

    ver detalhes
  • Pedrinho garantiu foco total no Corinthians

    Com cabeça no Corinthians, Pedrinho pede tranquilidade para seu empresário

    ver detalhes
  • Roger marcou o segundo gol corinthiano no duelo deste domingo

    Corinthians vira nos acréscimos, mas ainda leva gol de empate e tropeça no Vitória

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes