Com o pai, Pedrinho relembra caronas no início da carreira e comemorações por gol pelo Corinthians

Com o pai, Pedrinho relembra caronas no início da carreira e comemorações por gol pelo Corinthians

Por Meu Timão

Pedrinho é tido como uma das maiores promessas do Corinthians

Pedrinho é tido como uma das maiores promessas do Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Por trás de todo jogador existem grandes história. Do elenco do Corinthians, Pedrinho é um dos mais humildes. De origem nordestina, o garoto ia aos treinos de ambulância no início da carreira. Nada de lesões: era apenas um favor que faziam a seu pai Pedro, funcionário de um hospital público em Maceió, e que muitas vezes não tinha condições de arcar com passagens de ônibus.

"Eu não tive estudo para arrumar um emprego bom e ganhar um bom dinheiro, mal terminei o primário, sempre tive dificuldades. Mas trabalhei duro, ganhei meu salário e mantive minha família. Para o Pedrinho comprando chuteira, lanche... Dei tudo o que eu pude. Às vezes ele pegava até carona de ambulância para ir para os treinos, porque o dinheiro da passagem eu não tinha e nem quem levasse", contou Seu Pedro, em entrevista concedida junto do filho, ao Lance!.

"Foi muito difícil, mas Deus abençoou. Às vezes eu pedia para o motorista das ambulâncias, eles faziam esse favor e respondiam: 'deixei o canela seca em casa já' (risos)", completou.

Dispensado de Vitória e São Paulo ainda nas categorias de base, Pedrinho teve de contar com o pai para não desanimar. Cercado de dificuldades, as coisas mudaram após uma semana de testes no Corinthians. Já em um de seus primeiros toques na bola, o camisa 38 marcou um golaço e chamou atenção dos avaliadores do Timão.

"Foi uma semana de testes, sendo que no terceiro dia teve um jogo-treino contra o Vitória. Foram três times, sendo que nenhum dos três eu entrei. O primeiro era titular, o segundo reserva e o terceiro de testes, eram justamente 11 meninos. Ele colocou os dez de linha e eu fiquei fora. Só eu. Aí fiquei pensando tudo aquilo de ser dispensado de novo... Faltando cinco minutos o técnico me colocou e eu meio com raiva peguei a primeira bola no meio-campo e dei na gaveta. Aí começou tudo...", lembrou o meia.

Leia também:
A portal, conselheiros do Corinthians destrincham acordos nocivos à Arena
'Não sei nem se chegarei hoje à noite em casa', filosofa Balbuena sobre defender Corinthians dia 11

Se no teste Pedrinho logo conheceu as redes, na equipe principal o garoto levou mais tempo para marcar. Mas nada de pressa. Em sua 14ª oportunidade entre os profissionais, calma para tocar por cima do goleiro do Patriotas, em Itaquera. Na casa de Seu Pedro, comemoração não faltou. O pai orgulhoso, no entanto, tem conhecimento que, depois de aproveitar o momento, é preciso foco, pois as avaliações mudam muito rápido no mundo da bola.

"Logo que ele fez o gol já coloquei uma carninha para assar para comemorar. A gente pulou dentro de casa, felizes da vida. Não tanto pelo gol, mas pelo momento, de ver que ele não se aperreou, de ver que ele sabia que os momentos bons vão e vêm. Hoje a imprensa coloca ele para cima, mas qualquer merda que fizer vai ser o contrário. Até peço desculpa pela palavra", analisou o pai do corinthiano.

Se em Maceió a carne foi para a churrasqueira, em São Paulo Pedrinho preferiu algo mais rápido. Depois de seu primeiro gol, o meia comemorou em uma rede de fast food, ao lado de seu amigo e empresário. A repercussão da celebração do garoto foi tão grande que o Burger King, onde ele comeu, o deu 100 combos de sanduíches de graça.

"Fiquei até meio surpreso com a repercussão, porque é normal, eu como sempre ali, independente de fazer gol ou não, é caminho de casa. No outro dia quando acordei e vi a repercussão fiquei surpreso. Muitas pessoas falaram que eu poderia ir em um lugar melhor, mas não me importo muito com isso. Quando saía dos jogos em Maceió ia comer coxinha, essas coisas simples. Não posso achar que preciso ir sempre nos melhores lugares, não pode subir à cabeça", relembrou Pedrinho.

"Para mim é o que menos importa. O que importa é estar com as pessoas que eu gosto. Graças a Deus meu pai sempre trabalhou para cuidar de dois filhos e independente do salário que ele ganhava nunca deixou faltar comida em casa. Sei que às vezes ele deixava de fazer coisas por ele, mas comida nunca faltou. Nunca passei fome. O importante é comer e não reclamar do alimento", finalizou.

Fora da lista de relacionados há cinco partidas, Pedrinho deve voltar a figurar o plantel do Corinthians neste domingo, no duelo contra o Cruzeiro, às 16h, no Mineirão. O meia não atua desde o dia 5 de agosto, contra o Vitória, por conta da recuperação após cirurgia para retirada das amígdalas.

Veja mais em: Pedrinho e Base do Corinthians.

Veja Mais:

  • Pablo já disse mais de uma vez que quer permanecer no Corinthians

    Corinthians sobe oferta e espera sim de Pablo: 'Espero que seja suficiente'

    ver detalhes
  • Alvo do Corinthians, Roger deve ser oficializado como reforço do Internacional nos próximos dias

    Decisão de Roger não é repudiada pela diretoria do Corinthians: ‘Faz parte...’

    ver detalhes
  • Ginásio Wlamir Marques recebeu jogo 4 da final do NBB em 2017

    Corinthians faz pré-inscrição na Liga Ouro e reativa basquete após 21 anos

    ver detalhes
  • 32 mil torcedores foram ao estádio em Itaquera no último treino aberto

    Por agradecimento à Fiel, Corinthians deve abrir treino no sábado na Arena

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes