Roberto de Andrade esclarece novo acordo com a Caixa e critica ex-prefeito de São Paulo por CIDs

27 mil visualizações 87 comentários

Por Meu Timão

Corinthians voltou a pagar financiamento da Arena depois de quase um ano e meio

Corinthians voltou a pagar financiamento da Arena depois de quase um ano e meio

Bruno Teixeira Rolo

Depois de um ano e meio sem pagamentos, o Corinthians selou, no início de dezembro, um novo acordo com a Caixa para voltar a arcar com os custos do financiamento da Arena. As negociações, no entanto, ainda continuam. Isso porque o clube tem até abril de 2018 para apresentar as garantias de pagamento ao banco e discutir as cláusulas do novo contrato.

A definição, porém, deve ficar para o próximo presidente alvinegro, mas Roberto de Andrade já adianta que a intenção é não ceder parte dos ganhos com o Fiel Torcedor - o programa foi um dos pedidos da Caixa.

"Continuamos conversando. A questão das garantias não chega a ser um entrave. Estamos conversando para viabilizar uma forma que não mexa com o Fiel Torcedor. Isso vai ficar para o próximo presidente, mas não porque eu queira, mas porque o assunto é complexo", explicou o mandatário, ao GloboEsporte.com.

Com a ideia de prolongar o prazo de pagamento descartada, Corinthians e Caixa chegaram a um acordo para que as parcelas aumentarem gradativamente. Ou seja, nos primeiros anos de acordo, o Timão arcaria com valores menores. A concretização dessa e outras cláusulas, porém, só deve ser discutida na nova gestão, como dito por Roberto. Além dos acertos com a Caixa, o presidente alvinegro explicou a situação dos Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs).

"O (ex-prefeito) Gilberto Kassab, quando saiu, havia empenhado o valor dos CIDs dentro do orçamento da prefeitura. E eu não sei por que o Haddad cometeu um crime, que foi tirar esse valor do documento", disse, criticando o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Leia também:
Sem acordo por máster, Corinthians fecha 2017 com metade da receita prevista com patrocínio
Justiça cobra Corinthians por creche que devia ser entregue em 2014 como contrapartida da Arena
Estudo aponta que Fiel aceitaria mudança na Arena Corinthians após venda de naming rights

Por meio de nota, Haddad respondeu as críticas feitas pelo presidente do Corinthians. No comunicado, o ex-prefeito municipal falou sobre a instabilidade dos CIDs, além de falar em desinformação de Roberto de Andrade - confira nota na íntegra abaixo.

"O presidente Roberto Andrade sabe que os CIDs, por conta de um questionamento do Ministério Público, tornaram-se títulos instáveis. Nada a ver com a Prefeitura ou com o ex-prefeito Fernando Haddad. Sabe também que o prefeito rejeitou a proposta indecorosa e imoral do Corinthians (Via Andrés Sanchez) e de diretores da Odebrechet, para que a Prefeitura recomprasse as CIDs pelo valor de rosto", disse.

"Até onde se sabe, a única empresa que ser mostrou interessada em comprar as CIDs foi mesmo a Odebrechet. Não é possivel que o presidente do Corinthians, Roberto Andrade, esteja desinformado sobre isso. Portanto, não há que se acusar o prefeito Fernando Haddad de ter cometido um crime, um pecado, um equívoco, ou seja o que ele imagina", completou.

Vale lembrar que os certificados nada mais são do que títulos que podem ser comprados por empresas para abater impostos municipais. No caso dos CIDs da Arena, o valor total é de R$ 420 milhões. Com dificuldades para vender, o Corinthians teve pedido de R$ 350 milhões negado pela Prefeitura, que concedeu apenas R$ 45 milhões ao clube.

"Ninguém está pedindo para colocar no orçamento tudo de uma vez só. A Prefeitura não tem condições e nem vai fazer isso, ainda mais em um mandato novo, de um prefeito que não foi quem deu os CIDs", explicou Roberto de Andrade.

Confira a resposta de Fernando Haddad ao presidente Roberto de Andrade

O presidente Roberto Andrade sabe que os CIDs, por conta de um questionamento do Ministério Público, tornaram-se títulos instáveis. Nada a ver com a Prefeitura ou com o ex-prefeito Fernando Haddad. Sabe também que o prefeito rejeitou a proposta indecorosa e imoral do Corinthians (Via Andrés Sanchez) e de diretores da Odebrechet, para que a Prefeitura recomprasse as CIDs pelo valor de rosto. A questão do orçamento é um mero detalhe. Os títulos têm valor de rosto e só podem ser resgatados para pagamentos de impostos municipais ou de dívida ativa. Consequentemente com impacto relativo no orçamento. Até onde se sabe, a única empresa que ser mostrou interessada em comprar as CIDs foi mesmo a Odebrechet. Não é possivel que o presidente do Corinthians, Roberto Andrade, esteja desinformado sobre isso. Portanto, não há que se acusar o prefeito Fernando Haddad de ter cometido um crime, um pecado, um equívoco, ou seja o que ele imagina.

Veja mais em: Arena Corinthians.

Veja Mais:

  • Corinthians encara o Fortaleza no Castelão com ótimo retrospecto

    VÍDEO: Corinthians encara o Fortaleza no Castelão com ótimo retrospecto

    ver detalhes
  • Jogadores comemoram gol de Fábio Santos, contra o Coritiba, no Couto Pereira

    Corinthians visita Fortaleza para se consolidar na parte de cima do Brasileirão; saiba tudo

    ver detalhes
  • Adriana no jogo contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro Feminino, na Neo Química Arena

    Corinthians encara Palmeiras pela ida da semifinal do Paulistão Feminino; veja detalhes

    ver detalhes
  • Raul Gustavo aparece em algumas equipes sugeridas pela torcida

    Torcida do Corinthians sugere escalação ideal para duelo contra o Fortaleza; veja tuítes

    ver detalhes
  • Cássio está motivado a brigar por melhores posições no Campeonato Brasileiro

    Cássio credita evolução do Corinthians a Mancini e diz que é hora de olhar para cima no Brasileirão

    ver detalhes
  • Thiaguinho está de volta ao Corinthians depois de empréstimo

    Após empréstimo, Thiaguinho tem volta ao Corinthians oficializada no BID

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: