1 em 30 milhões: ilustrador alvinegro faz do amor pelo Corinthians sua inspiração

23 mil visualizações 123 comentários Comunicar erro

Everson vem desenhando os principais personagens do hepta do Brasileirão

Everson vem desenhando os principais personagens do hepta do Brasileirão

Arquivo pessoal

Entre os apaixonados por futebol, a profissão dos sonhos é trabalhar com algo relacionado ao seu clube do coração. Em Atalaia, cidade no interior do estado de Alagoas, um torcedor do Corinthians tem conseguido realizar esse desejo. Ilustrador por vocação e profissão, Everson Santos, de 22 anos, tem no Timão a sua principal inspiração. Com lápis e papel, ele transforma o amor alvinegro em arte - e publica em seu canal do Youtube.

Saiba Mais: Meu Timão lança quadro '1 em 30 milhões'; aqui o torcedor é protagonista

Com grande parte de seu portfólio colorido pelo preto e branco do Corinthians, ele ainda busca clientela para se manter no meio, pouco valorizado no Brasil. Como não poderia deixar de ser, foi algo relacionado ao seu time do coração que lhe deu o empurrão que precisava: o fórum do Meu Timão.

"A arte no Brasil não é valorizada, infelizmente. Mas por meio do fórum, compartilhando meus desenhos, conheci muitos colecionadores que querem comprar o material. Tenho três reservados para mês que vem: uma do Tite, uma do Emerson Sheik, na Libertadores, e uma do Ronaldo, contra o São Paulo", conta o ilustrador.

"A cada quatro desenhos que faço, pelo menos dois são do Corinthians", completou.

Inspiração desde cedo

Sempre que perguntado quando começou a torcer pelo Corinthians, os torcedores alvinegros frisam que já nasceram amando o clube. Alguns, no entanto, levam um certo tempo para confirmar a paixão. Foi o que aconteceu com Everson. "Meu amor pelo Timão se confirmou em 2001, quando o Santos estava nos vencendo até o último segundo e o Ricardinho fez aquele golaço de fora da área. Eu era criança e falei 'que time é esse, que luta até o último segundo?'. Foi incrível!".

Junto com a paixão pelo Timão, a inspiração para os desenhos também apareceu cedo. Ainda com cinco anos, o ilustrador arriscava seus primeiros traços no papel. E, há tanto tempo atrás, seu principal tema já era o clube do coração. Mas nem só de Corinthians viviam seus cadernos. É claro que havia espaço para os rivais.

"Eu via meu irmão desenhando e aquilo me despertou curiosidade. Lembro que meu primeiro desenho foi um moleque mijando no escudo do São Paulo. Infelizmente o papel era comum e acabou se desgastando", relembrou Everson, aos risos, sobre sua primeira obra de arte.

Rivais já não protagonizam mais seus desenhos

Rivais já não protagonizam mais seus desenhos

Arquivo pessoal

Escapadinha da mãe e sonho de ir mais longe

Acompanhando e trabalhando com o Corinthians de tão longe, Everson viu o clube de perto apenas uma vez. Sem celular para eternizar o momento em imagens, não faltam lembranças na cabeça do alagoano, que teve de "despistar" sua mãe para realizar o sonho de ver o Timão no estádio.

"Foi contra o CRB, em Maceió. Ganhamos por 2 a 1. Foi uma sensação única. Minha mãe não queria me deixar ir, porque eu era menor de idade. Lembro que o Herrera fez um dos gols, não parei de cantar e pular em nenhum segundo. Parecia que o Corinthians estava em casa", relembrou.

Não há fotos de sua ida ao estádio, mas as memórias são suficiente

Não há fotos de sua ida ao estádio, mas as memórias são suficiente

Arquivo pessoal

Depois de convencer a mãe para ir até a capital, a vontade agora vai além. Quer, enfim, conhecer a casa do Timão. A sua casa. "Meu sonho é ir na Arena, conhecer o CT e a saudosa maloca (Pacaembu), que foi onde conquistamos a nossa Libertadores".

As loucuras pelo Timão

Como todo bom corinthiano que faz parte do bando de loucos, Everson também já aprontou das suas pelo Timão. Em uma delas, quem pagou o preço foram os vizinhos e ele mesmo, que teve de lidar com sua única ressaca da vida.

"Eu nunca tinha bebido, tanto que foi a primeira e última vez. Prometi que, se a gente ganhasse a Libertadores, eu beberia uma garrafa inteira de vodka, que era do meu irmão. Não deu outra, Corinthians campeão, bebi, gritei na rua e acordei todos os vizinhos. No dia seguinte ainda tive que ir para a aula com uma ressaca daquelas. Apesar de tudo, valeu muito a pena", conta.

Se deu para aprontar na Libertadores, é claro que o Mundial não passaria despercebido. Ao contrário do título continental, o alvinegro nem deu as caras na escola. Ficou em casa para ver outra conquista do Timão. "Passei a noite em claro e perdi uma prova só para assistir o Corinthians conquistar o mundo pela segunda vez. Nunca vou esquecer".

Sua vez!

Caro leitor, tem um causo marcante no qual o Corinthians seja protagonista? Já fez alguma loucura pelo Timão? Então entre em contato com a gente e envie sua história! Quem sabe você não se torna o próximo personagem do quadro 1 em 30 milhões aqui do Meu Timão?

Veja mais em: 1 em 30 milhões, Torcida do Corinthians e Especiais do Meu Timão.

Veja Mais:

  • Cássio, Manoel e Gil não ficam à disposição de Fábio Carille contra o Cruzeiro

    Com três desfalques, Corinthians divulga relacionados para duelo com Cruzeiro; veja provável time

    ver detalhes
  • Fábio Carille reclamou de dores no joelho esquerdo recentemente

    Carille vai passar por procedimento no joelho e vira 'desfalque' para o Corinthians

    ver detalhes
  • Escudo revelado nesta sexta-feira apareceu em livro de 2011 (canto inferior esquerdo)

    Escudo do Corinthians 'descoberto' nesta sexta-feira apareceu em livro de 2011; entenda

    ver detalhes
  • Urso apareceu em campo pela primeira vez desde que lesionou a coxa direita

    Júnior Urso volta a treinar em campo e se aproxima de retorno ao Corinthians

    ver detalhes
  • Fagner pode ganhar até quatro companheiros de posição no Corinthians em 2020

    Corinthians pode ter até cinco opções para lateral direita em 2020

    ver detalhes
  • Atacante agradou e fica para a Copinha

    Corinthians prorroga empréstimo de atacante paraguaio do time Sub-20

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: