Andrés Sanchez questiona decisão judicial que cobra R$ 400 milhões do Corinthians por Arena

Andrés Sanchez questiona decisão judicial que cobra R$ 400 milhões do Corinthians por Arena

Por Meu Timão

4.7 mil visualizações 53 comentários Comunicar erro

Andrés garante que decisão judicial vai ser revista

Andrés garante que decisão judicial vai ser revista

Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Eleito presidente do Corinthians no início deste mês, Andrés Sanchez ganhou, nesta quarta-feira, uma nova dor de cabeça. Por uma ação de 2013, a Justiça Federal do Rio Grande do Sul condenou o clube e demais envolvidos na construção da Arena a devolver R$ 400 milhões para a Caixa. O mandatário alvinegro garante que não há nenhuma irregularidade no negócio e que o departamento jurídico das partes vai resolver o problema.

"Nosso departamento jurídico já respondeu sobre essa decisão. É em primeira instância ainda, mas essa história vem desde 2012. O advogado começou questionando o patrocínio da Caixa na camisa, apesar de mais de 20 clubes terem a marca. As pessoas questionam só um clube. Mas tudo bem, o departamento jurídico do Corinthians, da Odebrecht, do Fundo e da Caixa estão resolvendo e todo mundo vai entender que tudo foi feito corretamente", disse, ao GloboEsporte.com.

"Tenho certeza de que o jurídico de todas as partes vai explicar tudo direitinho e que essa decisão vai ser revista. São pessoas técnicas que estão tratando do assunto e não tem nada político na discussão agora", completou.

Leia também:
Integração entre marketing e Arena, patrocínios e 'carinho' pela Caixa: Rosenberg fala ao Meu Timão
Tratando lesão no CT, atacante aprova possibilidade de ficar no Corinthians: 'Seria interessante'

Quem também repercutiu o assunto foi Fábio Trubilhano, diretor jurídico do clube. Para o dirigente, Corinthians, Odebrecht e Caixa possuem as garantias necessárias para manutenção do contrato, ao contrário do que determinou a juíza federal Maria Isabel Pezzi Klein, da 3ª Vara Federal de Porto Alegre, após ação do advogado Antônio Pani Beiriz.

"Não havia razões para esse decisão. A dívida está plenamente garantida, com garantias reais, que foram devidamente avaliadas, então não há qualquer risco para o patrimônio público, para os cofres públicos, não há razão então de aplicar essa antecipação do vencimento", disse Fábio.

Veja mais em: Andrés Sanchez e Arena Corinthians.

Veja Mais:

  • 'Nem Pedrinho salva...': Timão não foi páreo para o Grêmio na noite deste sábado

    Pobre tecnicamente, Corinthians é derrotado pelo Grêmio no fim do primeiro turno

    ver detalhes
  • Walter 'voa' para afastar perigo de gol do Grêmio; nem arqueiro evitou revés em casa

    Walter evita o pior, e Loss é eleito 'vilão': as avaliações do revés corinthiano

    ver detalhes
  • Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol do Corinthians, falou sobre a ausência de Fagner

    Na esteira de rivais, Corinthians também reclama da convocação de Fagner: 'Não ficamos satisfeitos'

    ver detalhes
  • Corinthians tem campanha irregular no Brasileiro nas mãos de Loss

    Fiel dispara contra Loss na web após derrota do Corinthians; veja melhores comentários

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes