Motivo inusitado uniu Corinthians e outros dois rivais em ação judicial; entenda

10 mil visualizações 58 comentários Comunicar erro

Por Meu Timão

Processo deixou rivalidade de Corinthians e Palmeiras somente para o interior das quatro linhas

Processo deixou rivalidade de Corinthians e Palmeiras somente para o interior das quatro linhas

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Pouquíssimas vezes vimos três rivais em torno de uma causa. Nesta semana, no entanto, Corinthians, Palmeiras e Santos se uniram. A união, no entanto, nada tem a ver com o Campeonato Paulista ou campanhas de paz nos estádios. Os times entraram na Justiça juntos contra um posto de gasolina localizado em São José do Rio Preto. As informações são do ESPN.com.br.

O processo se refere à venda de chaveiros, em formato de abridor de garrafa, com o escudo dos times. Segundo o trio, o “Posto Monte Carlo Iguatemi” viola os direitos autorais, além de fazer concorrência desleal - os itens são vendidos a R$ 5. Conforme pedido pelos clubes, o juiz Paulo Marcos Vieira deferiu um mandado de busca e apreensão no local.

Leia também:
Reserva no último jogo, Clayson se diz preparado para voltar ao time titular do Corinthians
Porco na brasa e invasão da Fiel: revista inglesa destaca Corinthians em relato de histórico Dérbi

No documento, o responsável pelo caso encaixa os chaveiros na categoria de "produtos contrafeitos, folhetos, catálogos, listas de preços, cartazes, ilustrações e outros que ainda sob qualquer modalidade os contenham, sob pena de multa diária de R$ 15.000,00".

Não se pode permitir a existência de produtos fabricados, e comercializados por terceiros não autorizados, com a inserção das denominações e emblemas das Requerentes (os clubes). Saliente-se, ainda, que as Requerentes fazem investimentos pesados, seja de planejamento e divulgação, seja na área mercadológica e marketing”, argumenta advogado do escritório Braga e Associados, representante dos clubes.

Leia também:
Paulinho recorre a fisioterapeuta do Corinthians para tratar 'misteriosa' lesão

Como prova do que vem ocorrendo, Corinthians, Palmeiras e Santos anexaram ao processo um dos chaveiros vendidos no local, acompanhado da nota fiscal para comprovar o preço praticado. O item contém, além do escudo, o nome de cada um dos clubes.

"A prática da requerida se agrava pelo fato de comercializar, produtos 'piratas' contendo os emblemas e imitações das propriedades dos clubes autores de forma ostensiva, vulgarizando, dessa forma, a boa imagem das entidades desportivas. Passa a requerida a ser responsabilizada, inclusive, por propaganda enganosa”, completa a defesa.

Veja Mais:

  • Corinthians perdeu para o Cruzeiro por 2 a 1 neste sábado

    Corinthians deixa G4 e pode perder posição até o fim da rodada do Brasileirão; veja tabela

    ver detalhes
  • Em meio a crise, Fábio Carille seguirá no comando do Corinthians

    Diretor do Corinthians garante permanência de Fábio Carille

    ver detalhes
  • Tiago Nunes negou um suposto interesse do Corinthians para a próxima temporada

    Tiago Nunes ressalta respeito a Carille e nega contato com o Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians nunca havia perdido um jogo em que saiu na frente do adversário na Arena

    Após 184 jogos, Corinthians leva a primeira virada jogando na Arena

    ver detalhes
  • Corinthians foi superior, mas não soube converter suas chances em gol em Joinville

    Com briga no fim e vacilos, Corinthians sai atrás nas quartas da Liga Futsal

    ver detalhes
  • [Vitor Chicarolli] Há quanto tempo o Corinthians não joga bem?

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: