Sacrifício pessoal, carinho de Carille e DNA do Corinthians: Sheik se emociona na Libertadores

Sacrifício pessoal, carinho de Carille e DNA do Corinthians: Sheik se emociona na Libertadores

Por Meu Timão

46 mil visualizações 186 comentários Comunicar erro

Sheik saiu do banco de reservas aos 22 minutos do segundo tempo nesta quarta

Sheik saiu do banco de reservas aos 22 minutos do segundo tempo nesta quarta

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

A relação entre Corinthians, Emerson Sheik e Libertadores é das mais marcantes dos quase 108 anos de existência do clube alvinegro. Não à toa, o hoje experiente atacante se emocionou ao voltar a entrar em campo pelo Timão num jogo do torneio sul-americano.

"39 anos, né? Poucas pessoas sabem dos cuidados que hoje eu tenho, que há um tempo eu não tinha tanto. Abdicando de coisas importantes na vida de qualquer cidadão para poder treinar bem, me condicionar o quanto antes", disse, em entrevista à Fox Sports após o empate de 0 a 0 do Corinthians diante do Millonarios, na Colômbia, nesta quarta.

"É gratificante entrar, cooperar e receber elogios. Então, a pegada vai continuar a mesma", completou.

Emerson Sheik, que hoje é reserva - diferente de 2012 quando foi titular e protagonista da vitoriosa campanha corinthiana -, saiu do banco de reservas aos 22 minutos do segundo tempo para tentar mudar o panorama da partida entre brasileiros e colombianos.

"Eu venho treinando forte, o Fábio (Carille) vem acompanhando não só os 11 que entram jogando, ele tem olhado todos os atletas e tem dado oportunidade. Fico feliz, em primeiro lugar de cada jogo estar melhorando e consequentemente de poder ajudar", afirmou, entendendo portanto ter sido peça importante na estreia do Corinthians na Libertadores-2018.

Leia também: Defesa se destaca e dupla ofensiva destoa: Fiel aprova estreia do Corinthians na Libertadores

"Eu fico feliz! Essa gratidão com o Corinthians eu sempre deixei muito clara. É o clube que me mostrou no cenário nacional e internacional também. Gratidão e, ao mesmo tempo, querendo sempre melhorar para poder honrar a camisa do Corinthians e fazer valer a minha presença aqui", acrescentou.

Ao ser questionado sobre aonde o Corinthians pode chegar na atual edição da Libertadores, Sheik citou um tal "DNA" do Timão para disputar a taça do mais importante torneio sul-americano. A equipe alvinegra, ora, é a brasileira com mais participações na competição nesta década, conforme publicado mais cedo pelo Meu Timão.

"Há muitos anos, o Corinthians adotou uma postura, já tem um DNA dentro do clube e certamente seguindo essa fórmula, a possibilidade de conquistar algo é grande. Humildade, sabendo que não tem estrela nenhuma, que cada um tem que dar a sua parcela de cooperação para no final o coletivo sobressair. Um DNA que já existe, com esse pensamento de colaboração e tenho certeza absoluta que pode chegar longe", ponderou.

Veja mais em: Emerson Sheik, Libertadores da América e Ídolos do Corinthians.

Veja Mais:

  • Dupla voltou de Chapecó com problemas físicos e pode se tornar baixa

    Dupla será reavaliada e pode se juntar a Cássio como desfalque para Corinthians no sábado

    ver detalhes
  • Gustavinho foi um dos destaques do Timão em vitória diante do América

    Em recuperação, Corinthians conquista segunda vitória no Campeonato Paulista de Basquete

    ver detalhes
  • Jadson marcou de falta o gol contra a Chapecoense, pela Copa do Brasil

    Análise: Corinthians garante classificação na Copa do Brasil e sofre pouco diante da Chapecoense

    ver detalhes
  • Guilherme Arana fez seu primeiro gol com a camisa do Sevilla

    Ex-Corinthians, Arana marca pela primeira vez em goleada do Sevilla; veja vídeo do golaço

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes