Ampliação provisória pode ter dinheiro público, mas Corinthians quer obra definitiva

Ampliação provisória pode ter dinheiro público, mas Corinthians quer obra definitiva

Numa das reuniões que teve com a empresa responsável pelo projeto do futuro estádio do Corinthians, o Comitê Paulista para a Copa do Mundo acenou com a possibilidade de investir dinheiro público na ampliação temporária da arena. Seria uma maneira de garantir a capacidade para a abertura do Mundial.

Mas a resposta foi que não valeria a pena gastar com arquibancadas que seriam retiradas depois do evento. O gasto seria quase igual ao da construção permanente, segundo os autores do projeto. Por isso, a ideia não avançou dentro do governo paulista. Se o Corinthians aceitasse, ainda assim haveria muita discussão na prefeitura e no governo estadual. Teria de ser avaliada a reação da população.

O Corinthians vai insistir até o último minuto na ampliação permanente, sem colocar a mão no bolso. E o governo vai bater na tecla que desse jeito não tem como ajudar, já que seria ilegal colocar dinheiro em uma obra privada.

Fonte: Blog do Perrone

Enviado por: will2s

Ampliação provisória pode ter dinheiro público, mas Corinthians quer obra definitiva Ampliação provisória pode ter dinheiro público, mas Corinthians quer obra definitiva 0

Veja Mais:

  • De volta ao Timão, Marciel inicia duelo com Botafogo deste sábado

    Precisando vencer, Timão visita o Botafogo com Marciel entre novidades

    ver detalhes
  • Jadson pode ser o primeiro grande reforço do Timão em 2017

    [Marco Bello] Jadson pode ser o primeiro grande reforço do Timão em 2017

    ver detalhes
  • Roberto de Andrade tem buscado diminuir dívidas do Corinthians a longo prazo

    Corinthians abre números, mostra dívidas diminuírem e tem lucro parcial em 2016

    ver detalhes
  • De volta ao Timão, Marciel deve enfrentar Botafogo neste sábado

    Sem Cássio, Carille surpreende e promove duas mudanças no time para pegar Botafogo

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes