Faltam R$ 370 milhões para Itaquerão, e Orlando Silva pressiona

Faltam R$ 370 milhões para Itaquerão, e Orlando Silva pressiona

Por Meu Timão

Orlando Silva, Gilberto Kassab, Geraldo Alckmin, Andrés Sanchez e Luciano Coutinho, presidente do BNDES, reuniram-se ontem à noite no Palácio dos Bandeirantes.

A Odebrecht havia informado o Corinthians poucas horas antes que o valor da obra do Itaquerão nos moldes exigidos pela Fifa para a Copa do Mundo custará a fortuna de R$1.070.000.000,00 (Um bilhão e setenta milhões de reais).

O encontro serviu para o presidente corintiano repassar a informação ao governador.

Durante a reunião, o ministro Orlando Silva tentou convencer Geraldo Alckmin a liberar os R$370 milhões que faltam para a construção do Itaquerão.

O ministro lembrou Geraldo Alckmin do impacto político negativo na carreira dele caso São Paulo não receba a abertura da Copa.

Entenda a conta

A Odebrecht vai pegar R$400 milhões emprestados no BNDES.

Outros R$300 milhões sairão do CID (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) e já foram confirmados pelo prefeito Gilberto Kassab.

Faltam os tais R$370 milhões que Orlando Silva cobrou do governo paulista.

Vale lembrar que Geraldo Alckmin sempre se posicionou contra a o uso de verba pública no estádio particular.

Aplaudo o governador pela portura e torço para que continue firme.

Opinião

Sempre defendi que a Copa do Mundo só poderia ser no Brasil se as obras, tirante as de infra-estrutura, fossem pagas pela iniciativa privada

Sou radicalmente contra o uso de verba pública em estádios de futebol, sejam públicos ou privados.

O país tem outras prioridades.

Se a lei permite o devaneio, os brasileiros que se incomodam com filas em hospitais, fome, frio e problemas na educação pública, além de tantos outros urgentes, sabem que sob o ponto de vista humano é uma vergonha torra dinheiro em estádios.

Não vejo problemas em pegar empréstino no BNDES caso o mesmo seja devidamente pago.

E discordo do uso do CID.

É verba pública sim, pois a administração municipal abre mão do dinheiro de impostos.

Outra coisa: a quantia parece muito elevada se observarmos a lei do CID para a zona leste.

Veja:

Os incentivos fiscais serão limitados a:

I – 20% (vinte por cento) do valor do investimento em aquisição de terrenos,
execução de obras, melhoramento
de instalações, e aquisição e instalação de equipamentos, e a 10% (dez por
cento) das despesas anuais de
salários e encargos trabalhistas, quando a beneficiária for microempresa ou
empresa de pequeno porte;
II – 10% (dez por cento) do valor do investimento em aquisição de terrenos,
execução de obras, melhoramento
de instalações, e aquisição e instalação de equipamentos, e a 5% (cinco por
cento) das despesas anuais de
salários e encargos trabalhistas, quando a beneficiária for empresa não
enquadrada no inciso I deste artigo.

Fonte: UOL

Veja Mais:

  • Pablo é titular absoluto do Corinthians finalista do Paulistão

    Rival faz consulta por Pablo e acompanha situação do zagueiro no Corinthians

    ver detalhes
  • Com contas aprovadas, Roberto de Andrade evitou novo processo de impeachment

    Em votação tensa, gestão de Roberto de Andrade tem finanças aprovadas por Conselho do Corinthians

    ver detalhes
  • Timão prepara novo mosaico para ser exibido na decisão do Paulista

    Corinthians prepara novo mosaico para final do Campeonato Paulista

    ver detalhes
  • Wladimir será o mais novo colunista do Meu Timão

    Herói de 77 será colunista do Meu Timão

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes