Como em 2005, Corinthians pode comemorar conquista sem troféu

Como em 2005, Corinthians pode comemorar conquista sem troféu

Por Meu Timão

O Corinthians pode ter uma festa modesta no domingo se conquistar título antecipado diante do Figueirense, em Florianópolis. Além da carga reduzida de ingressos para seus torcedores, a equipe deverá dar volta olímpica sem troféu se confirmar lá seu pentacampeonato brasileiro.

O mesmo aconteceu com os últimos campeões, que receberam a taça somente na cerimônia de premiação da Confederação Brasileira (CBF) no dia seguinte à última rodada da competição. Foi assim com o Corinthians de Tevez e companhia, na edição de 2005, seis anos atrás. A primeira solução poderia partir da Federação Paulista de Futebol (FPF), que providenciou taça simbólica para que o Santos pudesse festejar a conquista nacional de 2004, em São José do Rio Preto.

Procurado pela reportagem, o presidente da federação, Marco Polo Del Nero, disse não saber confirmar se a ação seria repetida desta vez. 'Isso não foi analisado, não sei ainda', limitou-se a dizer o dirigente paulista, que também não quis comentar se aprovaria a ideia da taça alternativa. 'Não posso dizer sim se isso não foi analisado, não faço avaliações antes da hora', completou.

Outra saída seria o próprio clube encomendar troféu, como fez o São Paulo, em 2006, quando venceu o campeonato com duas rodadas de antecedência, no Morumbi. Na ocasião, o capitão Rogério Ceni recebeu uma taça de 1,15m estilizada, em que vinham amarradas fitas nas cores preto, branco e vermelho. Mas o Corinthians alega não ter intenção de repetir o rival paulista.

'Não sei se a federação ou a CBF vão levar, mas nós não iremos. Não podemos pensar em outra coisa a não ser em fazer um jogo. Só assim poderemos comemorar depois, com ou sem a taça', justifica o gerente de futebol, Edu Gaspar, que não vê problema em uma eventual volta olímpica sem o objeto para carregar. 'Fui campeão inglês pelo Arsenal, na casa do Tottenham (em 2004). É o principal dérbi de Londres, e a sensação foi a mesma. Brincamos com taças de plástico que os torcedores levaram ao estádio, e nossa alegria pelo título foi a mesma', minimiza o ex-volante.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes