Alex chama responsabilidade na 'final' para virar ídolo da Fiel

Alex chama responsabilidade na 'final' para virar ídolo da Fiel

Muito confiante na conquista do Brasileirão, Alex chama a responsabilidade na ‘final’ de domingo para ser, outra vez, decisivo em campo e ajudar o Corinthians a ficar com o pentacampeonato. Além disso, quer escrever um importante capítulo de sua história no clube, com a missão de ser um ídolo da Fiel. Confira o bate-papo exclusivo do camisa 12 com o MARCA BRASIL.

MARCA BRASILH: Dizem que o craque aparece na hora decisiva. Você tem sido determinante nos últimos jogos e, agora, tem a chance de repetir a dose na ‘finalíssima’ de domingo...

Alex: Fico feliz pelo que venho produzindo. Mas isso é mérito de todo grupo, do trabalho coletivo que estamos realizando. Estou procurando fazer o que eu sei que o torcedor do Corinthians espera de mim. Tem sido uma alegria enorme receber o carinho deles. Isso mexe muito comigo porque é meu objetivo ser ídolo da Fiel. Acredito que estou no caminho certo. Tomara que o título venha e me ajude a ganhar essa condição. Nem sempre vai ser possível ser efetivo como fui no jogo com o Figueirense, mas vou sempre me dedicar ao máximo. No Corinthians é assim: se não funciona na técnica tem que ser na raça, na vontade. É com esse espírito que estou indo para o campo.

MBH: A ‘decisão’ do título ficou para o clássico contra o Palmeiras. Está pronto para ser Alex que fora decisivo pelo Internacional ?

A: Nunca tive a pretensão de falar que sou o salvador da pátria, que ganho jogo sozinho. Todas as vitórias que tive na carreira, independente de ter sido decisivo, foram por causa do esforço de todo grupo. Aqui no Corinthians não é diferente. Não temos vaidade. Dividimos os méritos nos momento bons e nos ruins também. Não tem nenhum menino no nosso time. Todos somos capazes de ir para campo e dar uma resposta positiva, como vamos tentar fazer contra o Palmeiras.

MBH: A quem você dedica tanto essa sua ascensão no Corinthians?

A: Eu dedico à minha família, aos meus companheiros e amigos e também à diretoria do Corinthians, que confiou que eu poderia ser importante nessa campanha. Mas eu só vou estar 100% satisfeito e realizado quando esse título vier. Até lá, temos que manter o foco.

MBH: Por toda atmosfera das torcidas que não querem ver o Corinthians campeão, você acredita que o Palmeiras virá ‘babando’ para tirar a taça de vocês? Por tudo isso, a pressão aumentou para ficar com o título?

A: A maneira como o Palmeiras tratará o jogo não pode influenciar a nossa forma de jogar. Temos que fazer o que fizemos em todos os jogos da competição. A nossa preocupação maior tem que continuar a ser com o nosso trabalho.

MBH: Assim como vocês, o Vasco terá um clássico difícil pela frente. Pelo futebol que o Vasco tem apresentado, você acredita que eles vencerão o Flamengo?
A: O Flamengo também tem um grande time. Não tem como prever. É do jeito que todo mundo fala: clássico é clássico.

MBH: Sentem-se pressionados por não decepcionar de novo, depois da final do Paulista e Libertadores?

A: É impressionante a força do torcedor do Corinthians. Não dá para explicar. A gente sabe o quanto eles querem esse título. Eles são nosso combustível para alcançar esse objetivo. Voltei para o Brasil com o intuito de ser campeão no Corinthians. Tenho a certeza de que tomei a decisão correta de ter vindo. Fico feliz por ver que estou no caminho certo.

MBH: Mesmo com toda sua experiência no futebol, tem sentido o ‘frio na barriga’ por estar perto de conquistar seu primeiro título nacional?

A: A gente fica ansioso para chegar logo a hora do jogo, de estar no campo. Será maravilhoso se esse título vier pelo fato de ser inédito para mim e por ser logo na primeira competição que disputo pelo Corinthians. Sobre o que ocorreu na última rodada, ficamos naquela expectativa natural quando acabou o jogo do Figueirense, mas o Vasco fez a parte dele. Foi uma situação que chamou atenção pelo tempo que ficamos em campo esperando. Temos que tratar isso com naturalidade e focar em buscar o título contra o Palmeiras.

MBH: Com essa sua característica de ser um bom chutador já se imaginou fazendo o gol do título?

A: Rapaz, seria algo muito emocionante. Se eu já estava emocionado por poder ter sido meu o lance do gol do título pela jogada que fiz contra o Figueirense, que dirá fazer um gol dessa importância. Não tem como negar que seria algo que levaria para o resto da vida, assim como o torcedor corintiano. Mas se eu tiver que cruzar novamente, que roubar uma bola para o nosso gol sair, a minha felicidade vai ser a mesma. O importante é sermos campeões. Pode ser até com gol contra (risos).

MBH: Acredita que está desempenhando seu futebol próximo ao seu auge, quando foi decisivo no Inter?

A: Estou feliz com meu momento e acredito que estou próximo do rendimento que sei que posso ter. Lógico que sempre temos algo para melhorar, até porque se não tivéssemos, seríamos perfeitos. Todos os dias aprendo alguma coisa e tento levar isso para o jogo seguinte. Sinceramente, não sinto mais essa carga em relação ao retorno da minha contratação. Acho que essa fase de dúvida já ficou para trás. Futebol se resolve dentro de campo. Se as coisas estão bem do lado de dentro, do lado de fora também estarão.

MBH: O Fábio Santos o classificou como orador do Corinthians. Como vê essa sua liderança dentro do grupo?

A: Aqui no Corinthians tem muita gente vivida, de qualidade, capaz de representar o clube e falar algo produtivo para o time. Eu sou apenas mais que tenta contribuir de alguma forma. Mas fico feliz pelas palavras do Fábio. É legal saber que os companheiros ouvem o que você fala e reconhecem alguma qualidade sua de forma natural. O grupo está querendo muito. Vamos com tudo para essa partida.

MBH: Por toda repercussão que o Corinthians tem, acredita que ficará muito mais marcado no cenário do futebol brasileiro com a possível conquista nacional e isso o ajudará a retornar à seleção brasileira?

A: Lógico que sim. Sempre falei que Seleção Brasileira é um grande objetivo que tenho na carreira e sei que a oportunidade virá por consequência do que eu mostrar no meu clube. A visibilidade aqui no Corinthians é enorme. Vou trabalhar para continuar mostrando um bom futebol. Assim, as coisas acontecerão naturalmente.
 

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Guilherme Arana disputará Sul-Americano no Equador

    Corinthianos são convocados para Sul-Americano Sub-20; Jabá fica fora

    ver detalhes
  • Internacional foi alvo de gafe da Fifa

    Fifa comete gafe, troca escudo do Internacional e põe foto do Corinthians no lugar

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    [Teleco] Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    ver detalhes
  • Luidy foi nomeado o melhor jogador do estado de Alagoas em 2016

    Reforço do Corinthians é eleito melhor jogador do ano em AL

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes