Após denúncia, o árbitro Gutemberg de Paula Fonseca diz sofrer intimidações

Após denúncia, o árbitro Gutemberg de Paula Fonseca diz sofrer intimidações

Após denúncia, o árbitro Gutemberg de Paula Fonseca diz sofrer intimidações

Após denúncia, o árbitro Gutemberg de Paula Fonseca diz sofrer intimidações

Rio de Janeiro, RJ, 10 (AFI) - Depois das denúncias de corrupção na arbitragem brasileira, o árbitro carioca Gutemberg de Paula Fonseca (foto) reforçou que tem provas que corroboram as acusações contra o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Sérgio Corrêa, e disse ainda que seus advogados estão sendo alvo de intimidações.


'Tenho um advogado que trabalha no caso desde 2007. Ele recebeu cerca de dez telefonemas, de um número restrito. A conversa teve a intenção de coagir o trabalho dele. A pessoa pediu o endereço dele, falou que queria enviar uma notificação', disse Gutemberg Fonseca, em entrevista à Rádio Paiquerê, de Londrina (PR).

'Esse tipo de notificação teria que chegar ao meu endereço, não no endereço do meu advogado. Já pedimos a quebra de sigilo telefônico. A ligação pode ser de um número restrito, mas ele fica armazenado na operadora. Eles querem me fazer calar, mas não vão', ameaçou o árbitro, que fez as acusações contra Sérgio Corrêa depois de ter sido retirado do quadro da Fifa em favor do também carioca Péricles Bassols, que havia perdido o direito ao escudo da entidade anteriormente justamente para Gutemberg Fonseca.

Na semana passada, Gutemberg Fonseca relatou que Sérgio Corrêa o teria pressionado antes de um jogo entre Corinthians e Goiás, pelo Campeonato Brasileiro de 2010. 'Ele me disse antes do jogo em que o Corinthians ganhou por 5 a 1 do Goiás: 'É jogo do Timão, hein?' O que eu posso entender com isso? Que se o Corinthians não ganha, eu posso nunca mais ser escalado', argumentou o árbitro.

A reportagem tenta contato com Sérgio Corrêa desde a última sexta-feira, quando foi feita a denúncia, mas ele não atende as ligações. O presidente da Conaf se pronunciou através de nota, divulgada no sábado pela CBF, antecipando que processaria judicialmente Gutemberg Fonseca nas esferas desportiva (ofensa moral), cível (responsabilidade civil para obtenção de reparo pecuniário por dano moral) e criminal (crime de injúria).

A nota divulgada por Sérgio Corrêa classifica as denúncias como 'absurdas e levianas' e trata Gutemberg Fonseca como ex-árbitro, ainda que ele não tenha oficializado sua aposentadoria do apito. O acusador chegou a qualificar o presidente da Conaf como 'mariquinha, mentiroso e corrupto' e prometeu 'contribuir para que essa sujeirada toda seja lavada'.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Universidade Brasil firmou acordo com Corinthians para primeiro jogo da final estadual

    Corinthians anuncia patrocínio pontual para final do Paulistão; veja como fica a camiseta

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não volta ao Corinthians em 2017

    Corinthians empresta Alan Mineiro para quarto clube diferente em menos de um ano

    ver detalhes
  • Corinthians encerrou preparação contra a Ponte Preta

    Clima bom, susto de Pablo e escalação do Corinthians: o último treino antes da Ponte Preta

    ver detalhes
  • Casuals foi derrotado nos pênaltis neste sábado; próxima temporada só em agosto

    Nos pênaltis, Corinthian-Casuals perde final e adia sonho de subir de divisão

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes