Nos mínimos detalhes, Timão analisa os pontos fortes do Cruz Azul

Nos mínimos detalhes, Timão analisa os pontos fortes do Cruz Azul

Conhecer o adversário é um dos preceitos básicos de Tite antes de organizar sua equipe. Por este motivo, a comissão técnica corintiana fez uma análise detalhada do Cruz Azul, rival desta quarta-feira, que é o principal inimigo pela liderança do Grupo 6 da Libertadores. Afinal, os mexicanos venceram suas duas primeiras partidas na competição - 2 a 1 no Nacional (PAR) e 4 a 0 no Deportivo Táchira (VEN). Em conversa com Mauro da Silva, olheiro alvinegro, o MARCA BRASIL aponta os principais pontos entregues ao técnico do Timão.

'É uma equipe que não tem um ponto fraco exposto. É um time que costuma se impor dentro de casa. Precisamos ter muita concentração', afirmou o olheiro corintiano.

De volta à disputa da Libertadores após nove anos ausente, o Cruz Azul é um papa-título no México, sendo o maior vencedor da Liga dos Campeões da Concacaf, que é o torneio mais sonhando no país. Com o América (MEX), o clube já conquistou cinco. Na história, teve em 2001 sua melhor participação, quando chegou até a decisão e perdeu para o Boca Juniors nos pênaltis.

Sob o comando do técnico Enrique Mezza, o Cruz Azul vive um bom momento na competição continental, mas vai aos trancos e barrancos no Campeonato Mexicano, no qual ocupa apenas a nona colocação. Um dos motivos na oscilação pode estar na troca constante dos jogadores titulares.

'O treinador alterna muito a escalação. Só o goleiro, os dois zagueiros e o volante Castro não entram neste revezamento', ressaltou Mauro, que acredita na presença do artilheiro Orozco como titular.

'Ele costuma revezar as duplas de ataque. Na Libertadores ele tem usado o Perea e o Orozco. Deve manter', disse.

Outra peça do time mexicano que chamou a atenção da comissão técnica corintiana foi o meia argentino Cristian Gímenez.

'É um meia que joga armando pela direita. Está no México há várias temporadas e dita o ritmo da equipe', analisou.

Mesmo com a troca dos titulares e da oscilação, um padrão é mantido pelo Cruz Azul. A equipe trabalha muito a bola até encontrar espaço na defesa adversária (estilo parecido com o corintiano) e procura marcar com intensidade o jogador que tem a bola nos pés. Ao estilo mexicano, é normal ver dois defensores na mesma bola.

'É um time que valoriza muito a posse de bola. São muito rápidos. Aqui no México, eles impõem um ritmo acelerado, rodam muito a bola', ressaltou.

Tudo isso será apresentado pelo técnico Tite aos jogadores na palestra antes do confronto. Tudo nos mínimos detalhes...


Reportagem de André Pires e Daniel Carmona

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Wladimir será o mais novo colunista do Meu Timão

    Herói de 77 será colunista do Meu Timão

    ver detalhes
  • Dudu revelou que jogadores do Palmeiras tinham conhecimento de confusão feita pelo árbitro no clássico

    Atacante palmeirense diz por que não avisou árbitro de erro em expulsão de Gabriel

    ver detalhes
  • Jadson treinou nesta quinta-feira e não será problema para final no Moisés Lucarelli

    Jadson volta, e Carille ensaia escalação do Corinthians para primeira decisão do Paulista

    ver detalhes
  • Fiel esgotou bilhetes colocados à venda no Fiel Torcedor

    Em menos de uma hora, torcida do Corinthians esgota ingressos para decisão do Paulista

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes