Corinthians x Emelec-EQU - Tabu de 12 anos incomoda o Timão

Corinthians x Emelec-EQU - Tabu de 12 anos incomoda o Timão

O Corinthians entra em campo nesta quarta-feira, a partir das 22 horas, diante do Emelec, no Pacaembu, com um sentimento que há tempos não vivia: a pressão. Cair diante dos equatorianos ainda nas oitavas de final da Libertadores, algo pouco provável, mas não descartado, pode causar enorme estrago na equipe, até então considerada uma das mais sólidas do Brasil. Nem o técnico Tite estaria livre em caso de vexame.


Obsessão do clube, a Libertadores é apontada como a 'competição do ano'. Cair diante de uma adversário tecnicamente mais frágil em pleno Pacaembu - sendo que já vem de decepção no Paulistão -, jogo no qual o Corinthians precisa de vitória simples, depois do empate sem gols no primeiro jogo no Equador, ressuscitaria as cobranças em cima do técnico Tite, bastante fortes após queda em 2011 diante do Tolima e também ao longo do Brasileirão.

Na época, Tite foi bancado pelo então presidente Andrés Sanches, após a eliminação na fase preliminar da Libertadores de 2011, e acabou retribuindo com a conquista do Brasileirão. Agora, num ano em que bate recordes e crava sua marca na história corintiana, o técnico e o time se veem no paredão. Não que o novo presidente, Mário Gobbi, vá demiti-lo, mas dificilmente conseguiria contornar nova queda.

Raça e luta, mas com cautela
O discurso é de raça e luta, misturado com certa cautela. Até a direção já se arma para um possível revés. A precaução é tão grande que o clube antecipou folga para todos do elenco na quinta-feira. Nada de correr o risco de enfrentar a fúria da torcida como no ano passado, quando um grupo de torcedores foi ao CT do Parque Ecológico para protestar, após a queda na Libertadores, e acabou depredando carros.

Tite sabe da missão. E não esconde sua meta para levar o time às quartas de final da Libertadores após 12 anos de jejum. 'Cada etapa serve para a história, cada grupo tem sua trajetória. Eu estou na minha sétima Libertadores e tudo menos que final já senti o sabor, quero a final. Para isso a bola não pode queimar, mas também não podemos apressar demais', afirmou o técnico, garantindo estar com a cabeça boa apesar da possibilidade de queda. '(A cabeça está) com a mesma tranquilidade e naturalidade do primeiro dia, mas com trabalho e exposição é sempre assim, foi no Grêmio, no Atlético-MG, no Palmeiras, no Inter e novamente vai continuar assim aqui.'

'Futebol não dá para colocar dessa forma (um mais forte que o outro), pois são pessoas que fazem Emelec e Corinthians. Só pela grandeza do clube sim, como a do Flamengo, do Santos, do São Paulo, mas no campo não é assim, senão não seria campeão com o Caxias. Tem de se impor dentro de campo e o Corinthians não pode ser julgado pelo resultado de um jogo', avaliou Tite.

Para evitar o vexame, ele promete ousadia. 'Vamos buscar o resultado desde o início, fazer valer o fator casa, buscar a vitória de forma consciente, a equipe está trabalhada, já jogou muito tempo junto, tem o lastro, a experiência para buscar o resultado', explicou o treinador.

Time calejado
No discurso dos jogadores, também tem um pedido de calma para a torcida, como fez o atacante Emerson. 'A pressão vem de todos os lados, não só por passar das oitavas, até por jogar aqui, mas o grupo está preparado e confiante, temos consciência do que temos de fazer e vamos com tudo para quebrar esse tabu', disse o jogador, ciente de que já são 12 anos sem avançar às quartas de final da Libertadores - a última vez foi em 2000, quando perdeu para o Palmeiras na semifinal.

Isso quer dizer que o time partirá para cima com tudo? 'Não, tem de ter cautela também, não ir com tudo e levar um gol, daí fica bem perigoso. Sabemos da obrigação da vitória, a torcida não pensa diferente da gente, é paixão. Mas o torcedor age diferente, em alguns momentos não consegue entender que a gente foi lá e conseguiu empate e até podia vencer, como também eles podem vir aqui e podem empatar ou nos vencer. É a partir daí que age de modo diferente em alguns momentos', disse Emerson.

Emelec quer fazer gols
Depois de empatar com o Corinthians em casa, o Emelec viajou para o Brasil querendo fazer gols. Isso porque o time equatoriano sabe a pressão que o Timão vive para conquistar uma Libertadores e um gol poderia complicar ainda mais a vida dos donos da casa, que teriam que ir em busca apenas da vitória.

A principal arma do técnico Júlio Marcelo Fleitas será nos contra-ataques e também nas bolas aéreas. A esperança de gols atende pelo nome de Figueroa, que espera balançar as redes do goleiro Cássio, coisa que não aconteceu no Equador. O Emelec desembarcou em São Paulo no domingo, devido a uma promoção nas passagens, e vem realizando treinamentos nos CTs de Palmeiras e São Paulo.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Farfán foi companheiro de Guerrero na seleção do Peru

    Jornalista revela interesse do Corinthians em atacante peruano

    ver detalhes
  • Camisa a ser usada pelo Corinthians contra o Cruzeiro tem escudo da Chapecoense

    Em ação no Twitter, Corinthians exibe uniforme em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Equipe feminina do Timão foi ao CT Joaquim Grava no início de novembro

    Corinthians renova parceria com Audax e confirma equipe feminina para 2017

    ver detalhes
  • Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes