Presidente do Santos se irrita com respostas de Andrés e Rosenberg

Presidente do Santos se irrita com respostas de Andrés e Rosenberg

A reação corintiana às críticas do Santos sobre suposto favorecimento de Mano Menezes ao time do Parque São Jorge fez Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro subir ainda mais o tom.

O presidente do Santos não gostou de declarações dadas pelo vice corintiano, Luís Paulo Rosenberg, e por Andrés Sanchez, diretor de seleções da CBF.

“Rosenberg disse que eu agi por motivo torpe. Não engulo essa palavra. Repudio veementemente. Se encontrar com ele vou pedir para que me explique o que quis dizer com isso. O que é torpe para ele? É chamar o próprio time de medíocre e depois querer culpar o adversário, jogando para torcida? Não foi uma atitude de quem tem nível universitário”, disse Laor, como é conhecido o dirigente santista, ao ser indagado pelo blog.

Ele se refere à declaração atribuída a Rosenberg na edição desta sexta-feira da Folha de S.Paulo. “Seria injustiça responder com minha cabeça gelada a manifestação provocada sob emoção violenta e por motivo torpe”, teria dito o corintiano.

Laor também reclama de afirmação de Rosenberg, revelada pelo blog, de que o presidente santista estava sendo muito irônico e muito à vontade com seu time de iluminados quando o vice corintiano respondeu em palestra dizendo que o time do Corinthians é medíocre.

“Ele foi infeliz, referiu-se ao time dele como medíocre diante de uma equipe com Neymar e Ganso, e agora quer dizer que eu contei vantagem. Não é verdade, eu disse que o Corinthians tinha mais chance de ganhar a eliminiatória, jogando o favoritismo para eles. Agora, ele distorce o que eu falei. Mas os estudantes que estavam na palestra são testemunhas de que o Rosenberg chamou o time dele de medíocre porque quis”, afirmou o santista.

Em sua defesa Rosenberg diz que falava para um público de estudantes que precisa de uma linguagem mais direta. E que usou a expressão medíocre no sentido de mediano, de um time sem estrelas, mas que foi campeão brasileiro.

Laor também se irritou com o fato de Andrés dizer que suas queixas sobre Mano não ter convocado jogadores do Corinthians, ex-time do treinador, deveriam ter sido feitas antes.

“Andrés atenta contra a verdade. Reclamei antes do jogo, e ele respondeu dizendo que eu precisava pensar um pouco no Mano e menos em mim. Eu estava pensando no Santos. Não estou acusando ninguém, mas posso ligar os pontos. O Tite disse que ganhou o jogo porque treinou, treinou e treinou. E o Santos não treinou com seu time completo por causa da seleção. O técnico da seleção é ex-treinador do Corinthians, campeão brasileiro e que faz excelente campanha na Libertadores, mas não teve nenhum convocado. O diretor de seleções é ex-presidente do Corinthians, e trabalhou com Mano no clube. Estou com a pulga atrás da orelha e meto a boca no trombone”, falou Laor.

Apesar do atrito, o dirigente santista afirma que sua relação com Mário Gobbi, presidente corintiano, não está abalada. Declarou que os dois conversaram cordialmente por telefone na quinta-feira.

Fonte: Blog do Perrone

Veja Mais:

  • Yago volta ao Corinthians na primeira semana de janeiro

    Após empréstimo, zagueiro é reintegrado ao Corinthians; Del'Amore no radar

    ver detalhes
  • Scarpa tem reunião marcada com empresários neste sábado

    Alvo do Corinthians, Scarpa agenda reunião com representantes para decidir futuro

    ver detalhes
  • Promoção da empresa Apito Promocional na camisa durante o Brasileirão 2012

    Corinthians mantém cobrança milionária contra ex-patrocinador; calote chega a cinco anos

    ver detalhes
  • Corinthians sabe da vontade do atacante e espera sinal do clube para avançar

    Corinthians aguarda sinal do Vitória para decidir situação de Tréllez até segunda-feira

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes