Em 45 dias, Cássio vê vida mudar

Em 45 dias, Cássio vê vida mudar

Quando estreou pelo Corinthians, Cassio tinha apenas 19 jogos como profissional. Após oito partidas como titular do gol corintiano, o grandalhão de 1,95 já soma defesas importantes e a impressionante marca de apenas dois gols sofridos, ambos pelo Brasileiro.Já na estreia contra o Emelec mostrou seu cartão de visitas e foi elogiado pela boa atuação, evitando principalmente as bolas que vinham pelo alto, uma das falhas do antigo titular Julio Cesar e principal arma dos equatorianos.

Sempre mostrando muita confiança, Cassio não só passou pelo primeiro teste como também ganhou a torcida corintiana.

O ponto alto da até então da curta trajetória veio na partida contra o Vasco quando defendeu com a ponta dos dedos o chute de Diego Souza e evitou o gol que poderia selar a eliminação na Copa Libertadores nas quartas de final.

Os 45 dias como dono da posição não mudaram em nada a personalidade do goleiro. Funcionários do CT Joaquim Grava, do clube e até mesmo os jogadores elogiam a postura do jogador, que se lamenta apenas por não ter se acostumado com a fama.

“Estou vivendo o momento, sei que mudou bastante. Você sai na rua, sente o carinho das pessoas, até nas redes sociais tento responder. É diferente, quarta e quinta, recebi muitos telefonemas”, diz o goleiro, que não entra na onda dos jogadores pagodeiros e prefere ouvir um Rock’n’rool antes de vestir a camisa 24.

Educado, trabalhador, caseiro – ele mora sozinho em Tatuapé - e tranquilo são as principais qualidades apontadas por quem se arrisca a analisar a personalidade de Cássio.

O jeitão “na dele”, também ajudou a retirar ou pelo menos fazer com quem o apelido de Frankestein de Fiel não pegasse. “Todo mundo aqui chama de Cássio, nunca vi esse apelido, não”, disse um funcionários do CT.

“Tranquilasso, sempre trabalhando forte, quieto, muito tranquilo mesmo. Está vivendo um momento maravilhoso, espero que continue assim. É um cara na dele, não é chato igual uns e outros”, resumiu Willian, elogiando o companheiro que já pensa em fazer história no clube.

"Sair [para fora do país] de novo não é meu objetivo. Pretendo cumprir meu contrato, fazer historia no Corinthians e os títulos podem me ajudar a construir uma história por aqui".

Fonte: www.uol.com.br

Veja Mais:

  • Carlinhos marcou o seu décimo gol na competição

    Corinthians atropela Juventus na semifinal da Copinha e busca pelo décimo título

    ver detalhes
  • Filipe recebeu a maior nota da Fiel após partida contra o Juventus

    Disputa de craque da partida fica dividida entre goleiro e meia-atacante do Corinthians

    ver detalhes
  • Brendon teria nascido em 1994 e não em 1997 como diz seus documentos

    Adversário do Corinthians na final da Copinha pode ser eliminado da competição

    ver detalhes
  • Drogba quer conversa com técnico e presidente antes de decisão

    Avaliando proposta, Drogba quer contato direto com técnico e presidente do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes