Ídolos corintianos dão dicas para o Timão não cair na semifinal da Libertadores

Ídolos corintianos dão dicas para o Timão não cair na semifinal da Libertadores

Há doze anos, o panorama corintiano era o mesmo antes da segunda partida da semifinal da Libertadores. Decisão contra um clube brasileiro. Vitória no primeiro jogo por um gol de diferença. Corinthians com o título Brasileiro do ano anterior no currículo. E o adversário era o detentor da taça do torneio continental. O duelo entre o Timão e Santos, quarta-feira, resgata o clima que o próprio clube já viveu em 2000, quando disputou e foi eliminado da fase prévia da final pelo Palmeiras. Os corintianos que atuaram na fatídica partida passam dicas ao atual elenco para que erros do passado não se repitam e prejudiquem, mais uma vez, o caminho do clube ao topo da América.

'Esse time não pode achar que já está muito perto da classificação e ficar com muita confiança. Fizemos isso em 2000', contou o ex-atacante Luizão, que atuou nas duas partidas contra o Palmeiras. A primeira, o Corinthians venceu por 4 a 3. Na segunda, perdeu por 3 a 2 e foi eliminado nos pênaltis (5 a 4 para o Alviverde).

'Aquele nosso time entrou como favorito. Esse não. Então, entraram mais ligados e com os pés no chão. Eles têm mantido essa mesma pegada desde o começo. Por isso, já estão de parabéns. Se entrarem com a mesma vontade que estão apresentando, na quarta, estarão na final. Não pode pensar que já estão classificados ou com a confiança que podem matar o jogo à qualquer momento. Esse era um defeito nosso. Pela coletividade desse time, o Corinthians tem tudo para vencer', prosseguiu Luizão, maior artilheiro brasileiro em uma edição da Libertadores, quando marcou 15 gols, justamente no torneio de 2000.

Outro ídolo corintiano que estava presente na eliminação contra o Palmeiras, Vampeta enxerga o atual grupo com todas as qualidades necessárias para eliminar o Santos e chegar à decisão do torneio.

'Esse grupo não tem soberba. Em 2000, o panorama era parecido com esse, mas com situações diferentes. Naquele ano, nós jogávamos um futebol mais plástico. Tínhamos vários craques, assim como o Palmeiras. Esse time é melhor defensivamente e com mais vontade em todos os jogos. Nós jogamos um futebol bonito, mas não ganhamos', disse o ex-volante corintiano, que mandou ainda um recado.

'Esse time está no caminho certo. Mas só não pode achar que a vantagem de um gol é muita coisa, porque em 2000 também ganhamos de um gol de diferença no primeiro jogo.'

Vampeta, Luizão, Marcelinho Carioca, Edu, e os demais que atuaram na semifinal contra o Palmeiras, não conseguem mudar a história negativa de 2000. Apenas lamentar. E torcer para que, esse ano, as coisas sejam diferentes. Tite usa as lições do passado para deixar o grupo ciente que não tem chance para o equívocos contra o Santos, na busca por uma vaga na final da Libertadores. 'Temos que olhar para o passado, e para todos os erros, e aprender com eles', disse Tite.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes
  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes