Bairro San Telmo, em Buenos Aires, vira reduto dos torcedores do Corinthians

Bairro San Telmo, em Buenos Aires, vira reduto dos torcedores do Corinthians

O bairro San Telmo, em Buenos Aires, virou reduto de corintianos na capital Argentina. Boa parte dos torcedores que decidiram acompanhar a final entre Corinthians e Boca Juniors de perto se hospedou na região, a cerca de 10 minutos do estádio La Bombonera. Por aqui, o português dita o ritmo das conversas.


E por um motivo simples: a principal torcida organizada do clube, a Gaviões da Fiel, instalou-se no Bohemia Hotel. Com 800 dos 2.450 ingressos disponíveis, ela atraiu também os torcedores que viajaram sem ingresso.

Retorno

O empresário José Eduardo Nuin, 50 anos, chega a Buenos Aires para dar a volta por cima. Ele estava no Monumental de Núñez, em maio de 2003, quando o Corinthians perdeu para o River Plate pela primeira partidas das oitavas de final da Libertadores.
Guarda na memória as lembranças daquela derrota por 2 a 1. Precisou esperar quase uma década para voltar para a Argentina.
Ele embarcou na tarde de ontem numa viagem que espera ter um final bem diferente daquele. A começar pelo adversário, que, desta vez, será o Boca Juniors.
“Agora, será uma final de campeonato. E esse time do Corinthians tem outra cara. Ficou melhor”, conta.
“O clima era outro naquela época e tinha bem menos torcedor. Tanto que, horas antes da partida, o (ex-dirigente Antonio Roque) Citadini saiu distribuindo ingresso para um monte de gente”, completou o torcedor, que mora na capital, mas visita o Vale do Paraiba com frequência, já que o filho morou em Ilhabela.
Nuin, que tem uma empresa de distribuição de peixes, investe o quanto pode para acompanhar o Corinthians. “Vou a todos os jogos pelo Brasil. Mas essa viagem vou guardar para o resto da vida. O sonho vai se concretizar”, concluiu.

Festa corintiana. Por conta dele e de outras centenas de fanáticos, as ruas de San Telmo ganharam um colorido alvinegro, bem diferente do restante da cidade, que promete empurrar o Boca Junior no duelo de logo mais.

Alex pede coragem para triunfar

Corinthians desembarcou no Aeroporto Internacional Ezeiza no início da noite da segunda-feira e já se dirigiu ao Hotel Intercontinental. O meio-campista Alex, vencedor da Libertadores de 2006 com a camisa do Internacional, pediu “coragem e personalidade” ao time que atingiu a primeira decisão continental de sua história para duelar contra um time que já conta com seis títulos, além de nove finais.
“A gente tem que encontrar os espaços, as possibilidades do jogo e isso só acontece dentro de campo, não tem muito segredo. Estar na final da Libertadores é um privilégio, uma honra para todo mundo que está aqui representando o Corinthians. Vamos fazer tudo com coragem, personalidade, que é a nossa marca”, afirmou o meio-campista, pregando a manutenção da postura tática que fez o Timão chegar à final sem derrotas e com apenas três gols sofridos.
“Temos que trabalhar muito bem, sempre, porque o Boca Juniors é muito perigoso. Eu lembro com carinho da Libertadores de 2006” disse.

Time treina sem pressão

Sem ser atrapalhado ou intimidado como em fases anteriores do mata-mata da Copa Libertadores da América, o elenco corintiano trabalhou durante pouco mais de uma hora no gramado de La Bombonera no início da noite desta terça-feira.
Diferentemente dos reconhecimentos em São Januário (para as quartas de final, diante do Vasco) e na Vila Belmiro (seguinte, para enfrentar o Santos), desta vez o time foi ‘esquecido’ pelos torcedores adversários, que povoam todo o entorno do estádio, mas não criaram hostilidade.
O treino começou com aquecimento de aproximadamente 30 minutos, período em que a iluminação da Bombonera era precária – os principais holofotes só foram acesos a partir da segunda metade da atividade, quando os jogadores já disputavam rachão em metade do campo.
“A Bombonera tem uma mística especial. O torcedor fica muito próximo, mas a essência é ficar concentrado no jogo. Focar nessa situação. No Pacaembu é assim também, na Vila Belmiro é assim, o equilíbrio emocional se foca no jogo”, avaliou.

APOSTAS DO TIMÃO
Características do Corinthians
- Solidez defensiva
- Aplicação tática
- Trabalho eficiente dos dois volantes
- Crescimento gradativo durante a competição
-Superação de obstáculos que
lembram traumas passados na Libertadores
-Motivação pela chance de uma conquista histórica e ainda inédita

Fonte: Jornal Ovale - São José dos Campos

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes