Libertadores: Tite exalta empate, mas vê final ainda 'aberta'

Libertadores: Tite exalta empate, mas vê final ainda 'aberta'

Libertadores: Tite exalta empate, mas vê final ainda 'aberta'

Libertadores: Tite exalta empate, mas vê final ainda 'aberta'

O Corinthians conseguiu dar um passo importante rumo ao seu primeiro título na Libertadores na última quarta-feira, ao empatar por 1 a 1 diante do Boca Juniors, fora de casa, na primeira partida da decisão. Agora a equipe brasileira precisa apenas de uma vitória simples na próxima quarta, no Pacaembu, para conquistar a competição.


O resultado foi celebrado pelo técnico Tite (foto), que, no entanto, fez questão de garantir que o confronto continua aberto.

'Está em aberto. São duas grandes equipes que podem se enfrentar em igualdade na Bombonera e no Pacaembu. É igual, ambas têm experiência, qualidade técnica, a bola não queima no pé, agridem na marcação', afirmou o comandante corintiano, que não deu entrevistas após a partida e só falou nesta quinta.

A preocupação do treinador se deve pelo histórico do Boca. Das seis conquistas do clube argentino na Libertadores, quatro foram diante de adversários brasileiros (Cruzeiro, em 1977; Palmeiras, em 2000; Santos, em 2003; e Grêmio, em 2007) e em todas estas ocasiões o título foi vencido longe da Argentina.

'O Boca tem uma equipe muito madura e não vão sentir, dentro ou fora de casa. Eles têm toda uma história com brasileiros. A não ser contra o Santos, em 1963, eles conseguiram vencer todas. Estamos com o pé no chão, continuamos fortes, e precisamos ter humildade para reconhecer o adversário que temos', disse o treinador, lembrando da única derrota do adversário em finais contra brasileiros: diante do Santos de Pelé, em 1963.

Fator psicológico
Apesar do pé atrás, o próprio Tite admitiu que o Corinthians conquistou um bom resultado fora de casa e que tem a seu favor o fator psicológico de atuar diante de seus torcedores.

'O que temos a nosso favor é o aspecto emocional. Precisamos estar envolvidos para ficarmos concentrados, como viemos aqui e não sentimos o peso', completou Tite.

De acordo com Tite, o resultado poderia ter sido ainda melhor se não fosse a lesão de Jorge Henrique, ainda no primeiro tempo. Em seu lugar entrou Liedson e o esquema que vem sendo utilizado pelo Corinthians, com dois atacantes abertos e que ajudam bastante na marcação, precisou ser remodelado.

'A própria saída do Jorge Henrique, a mudança de esquema, fez a equipe sentir. Ganhamos um pivô, mas perdemos velocidade na transição. Não conseguíamos sair de trás, faltava a triangulação', analisou. 'Depois coloquei o Emerson para dentro e o Liedson para lado, em cima do Roncaglia, movimentando por dentro. Foi assim que saiu a jogada do gol: o Paulinho tocou e o Emerson, por dentro, deu a assistência', finalizou Tite.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Equipe feminina do Timão foi ao CT Joaquim Grava no início de novembro

    Corinthians renova parceria com Audax e confirma equipe feminina para 2017

    ver detalhes
  • Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    ver detalhes
  • Marlone foi o destaque do treino desta quinta-feira

    Marlone marca, Caíque ganha chance e Oswaldo volta a ensaiar escalação do Corinthians

    ver detalhes
  • Alessandro é homem de confiança do presidente corinthiano

    Diretor de futebol refuta saída de Alessandro do Corinthians: 'Picuinha'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes