Cambista são presos vendendo ingressos por R$1.000

Cambista são presos vendendo ingressos por R$1.000

Quanto vale um ingresso para a decisão da Libertadores? Com milhares de corintianos interessados e dispostos a pagar valores absurdos por uma entrada, os cambistas estão aproveitando para cobrar valores absurdos para o jogo contra o Boca Juniors, no Pacaembu. No início da noite desta quarta-feira, a Polícia Militar prendeu dois cambistas vendendo bilhetes falsos por R$ 1.000, na Avenida São João (região central da capital paulista).

Além da preocupação com a venda ilegal de ingressos e a existência de um grande número de bilhetes falsificados, o delegado Fernando Schimit organiza uma ação para combater a ação de flanelinhas, que estão cobrando de R$50 à R$ 150 por uma vaga nas proximidades. Até às 18 horas, quatro pessoas já haviam sido presas por esta conduta.

'Não paguem estas pessoas, eles estão fazendo uma atividade ilegal', comentou o delegado.

Desde maio, quando aconteceu a primeira operação já foram presos 342 flanelinhas, sendo que 170 já tinham passagem pela polícia. A investigação é realizada por policiais em carros à paisana. Todos os infratores detidos são levados para a delegacia e são liberados posteriormente. Eles respondem um processo depois.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Juninho é um dos destaques do Bahia

    Corinthians altera moeda de troca e faz contraproposta por lateral do Bahia

    ver detalhes
  • Gramado da Arena foi retirado e o estádio está sendo montado para o Monster Jam

    Gramado 'irreconhecível' da Arena Corinthians chama atenção em foto que circula nas redes sociais

    ver detalhes
  • Tréllez foi autor do gol da Vitória sobre o Corinthians na Arena no BR-17

    Corinthians nem nenhum outro clube fez proposta por Tréllez, alega novo presidente do Vitória

    ver detalhes
  • Estádio do Pacaembu receberá jogos do Corinthians em janeiro de 2018

    São Caetano altera estádio, e Corinthians atuará os quatro primeiros jogos no Pacaembu

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes