Tite fala sobre novo patamar entre técnicos e, enfim, saboreia as caipirinhas

Tite fala sobre novo patamar entre técnicos e, enfim, saboreia as caipirinhas

Primeiro técnico a levar o Corinthians a uma final de Libertadores e conquistar o título continental, Tite teve pouco tempo para dormir após a vitória sobre o Boca Juniors, De volta ao CT Joaquim Grava nesta quinta-feira, onde cedeu uma entrevista coletiva, o comandante gaúcho admitiu que agora figura em um novo patamar entre os treinadores, principalmente aos olhos da imprensa e dos torcedores.

'Meu conhecimento e minha busca todos conhecem, mas o título chancela, um pouco mais na visão de vocês (jornalistas). É inevitável. É igual a passaporte. O título deixa essa marca, sim, mas venho me preparando para isso há muito tempo', comentou.

Apesar de ter entrado no seleto grupo de campeões da América, Tite minimizou o fato de entrar para a história do Timão e recordou Osvaldo Brandão, que tirou o clube da fila que já durava 23 anos ao conquistar o Campeonato Paulista de 1977.

'Não quero passar com propaganda enganosa. Teve o Brandão e aqueles títulos. O de 77 foi muito marcante. Todos estavam muito em busca disso. Era uma carga muito grande, e agora extravasou. Talvez naquele momento, foi mais importante. Quis o destino que eu fizesse parte disso. Mas ao longo vamos buscando', filosofou.

Ao lembrar como celebrou a conquista da Libertadores, Tite revelou que, enfim, conseguiu saborear a desejada caipirinha que pedia desde o início da competição continental. 'Demorei quase uma hora para chegar em casa. Tomei uma champanhe que me deram em casa. Que doce! era uma coisa que estourava. Isso pouco me importava. Eu queria uma caipirinha. Tomei duas assistindo aos lances na TV. Uma de maracujá e outra de limão. Deitei às 6h, dormi e acordei 7h30', relembrou.

Sobre o zagueiro Leandro Castá, um dos destaques do Corinthians na Libertadores e que está deixando o Timão para atuar na Roma (Itália), Tite demonstrou o quando o defensor é importante para o seu time. 'Se depender de mim, eu o amarro no pé da mesa e ele não sai daqui', brincou. 'Sempre disse que para se ter um bom time é preciso se esforçar pela manutenção dos atletas. A gente sabe que nem sempre é possível, mas manter peças é fundamental para se ter uma equipe forte', finalizou o novo dono da América.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Centroavante Jô, 'Rei dos Clássicos', voltou a deixar o dele neste domingo

    Corinthians despacha São Paulo e vai à final do Paulistão contra Ponte Preta

    ver detalhes
  • Clayson, de 22 anos, interessa ao Corinthians

    Dirigentes do Corinthians confirmam interesse em atacante da Ponte Preta

    ver detalhes
  • Sem ser relacionado há seis partidas no Timão, Guilherme tem acerto encaminhado com o Atlético-PR

    Presidente confirma: Corinthians encaminha empréstimo do meia Guilherme

    ver detalhes
  • Jô foi eleito o melhor em campo no clássico deste domingo

    Jô, Pablo e Jadson brigam pela melhor avaliação nas notas da torcida

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes