Diante de 30 mil pessoas, Corinthians bate o Cruzeiro

Diante de 30 mil pessoas, Corinthians bate o Cruzeiro

O Corinthians voltou a encantar sua fiel torcida nesta quarta-feira, no Pacaembu, pela 12ª rodada do Brasileirão. Encantou do jeito "Corinthians" de ser, com muita disposição, entrega e marcação em cada canto do campo, como queria Tite durante a semana, como jogava o time campeão da Libertadores. A equipe alvinegra venceu o Cruzeiro por 2 a 0, gols de Chicão, de pênalti, e Paulinho, e figura agora no G-10, com 15 pontos, em 10º lugar. O Cruzeiro permanece em sexto lugar com 20 pontos.

A partida foi truncada, com vantagem para o estilo de jogo corintiano. No primeiro lance de perigo, Ceará tentou surpreender Cássio cobrando falta por cima, mas sem efeito. O jogo continuou pegado, com ambas as equipes fazendo faltas pontuais e impedindo um ritmo mais intenso do confronto. Na primeira jogada de perigo do Corinthians, Danilo assustou o Cruzeiro com jogada pessoal na intermediária, aos 17 minutos, em chute com efeito para defesa difícil de Fábio.

Na melhor chance do Cruzeiro no primeiro tempo, Leandro Guerreiro concluiu para fora do gol de Cássio, na entrada da pequena área, após escanteio perigoso e falha da zaga corintiana, a única do jogo.

Mas como a bola pune, o time que abriu o marcador foi o Corinthians no Pacaembu. Em bobeira na saída de bola ao lado da área, Sandro Silva esticou demais o passe, perdeu a bola e teve de derrubar Jorge Henrique na entrada da área. Pênalti. Chicão cobrou com classe e marcou para o alvinegro de Parque São Jorge. Os jogadores corintianos pediram a expulsão de Sandro Silva, que já tinha cartão amarelo, mas o árbitro gaúcho da Fifa, Leandro Vuaden, não atendeu aos pedidos alvinegros.

Com a desvantagem no placar, o Cruzeiro começou a abusar das faltas e truncou ainda mais o jogo. Celso Roth colocou Fabinho no lugar de Sandro Silva e tentou dar mais ofensividade ao time mineiro. Aos 30, Romarinho recebeu na entrada da área e disparou para o gol, assustando Fábio.

Com foco na marcação, em lance típico do Corinthians de Tite, Romarinho impediu cruzamento de Wellington Paulista no campo de defesa corintiano. Sinal de que o Corinthians da Libertadores estava de volta. No fim do primeiro tempo, Emerson enfiou bola primorosa para Romarinho, que tocou por cima na saída de Fábio. O goleiro cruzeirense fez ótima defesa e impediu o segundo gol do time da casa.

No início do segundo tempo, o Corinthians quase ampliou em bobeira de Fábio, que saiu jogando errado. A bola pegou em Fábio Santos, que cruzou para o meio da área. Sheik perdeu o gol mais feito da partida. O Cruzeiro só assustou aos 20, com bela cobrança de falta de Montillo, que passou à direita de Cássio.

Aos 24, Romarinho, outra vez, cabeceou para fora, raspando a trave de Fábio em escanteio bem cobrado por Danilo. Já aos 37, foi a vez de Romarinho servir Emerson, que cabeceou para outra importante defesa de Fábio. Com as ações da partida controladas a todo momento pelo Corinthians, Tite começou a mexer no time.

No fim do jogo, o técnico corintiano promoveu a estreia do peruano Paolo Guerrero, que entrou no lugar de Emerson. O ex-atacante do Hamburgo, da Alemanha, tocou na bola algumas vezes e fez tabela com Fábio Santos. Mas não saiu disso.

Como prêmio por sua determinação, Paulinho, no último lance do duelo, acertou uma bomba para fazer um golaço de fora da área, sem defesa para Fábio. Ao fim da partida, Paulinho revelou o segredo da volta da boa fase. "É um grupo muito forte, campeão invicto da Libertadores. Mostramos isso."

Outro que comemorou a volta da pegada da Libertadores foi Danilo. "O grupo é muito bom, sabemos do nosso potencial, cada um tem sua qualidade", declarou o meia. "Nossa equipe mostrou a cara do Corinthians", finalizou.

O Corinthians, agora em 10º, encara no domingo o Bahia, em Salvador, e o Cruzeiro recebe o Palmeiras, em Minas Gerais.

CORINTHIANS 2 X 0 CRUZEIRO

CORINTHIANS - Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Jorge Henrique, Romarinho (Edenílson) e Emerson (Paolo Guerrero). Técnico: Tite

CRUZEIRO - Fábio; Ceará (Marcelo Oliveira), Léo, Matheus e Diego Renan; Leandro Guerreiro, Sandro Silva (Fabinho)(Souza), William Magrão e Montillo; Borges e Wellington Paulista. Técnico: Celso Roth.

GOLS - Chicão (pênalti), aos 22 minutos do primeiro tempo; Paulinho, aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Alessandro, Paulo André (Corinthians); Sandro Silva, Ceará, Léo (Cruzeiro)

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS).

RENDA - R$ 891.923,00

PÚBLICO - 28.759 pagantes (30.058 no total)

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Fonte: Estadão.com

Veja Mais:

  • Giovanni Augusto treinou como lateral nesta terça-feira

    Giovanni na lateral, mudança na zaga e susto de Rildo: o treino desta terça do Corinthians

    ver detalhes
  • Índio deu a vitória ao Corinthians/UNIP

    Com gol no fim, Corinthians vira para cima do Sorocaba e se aproxima do título nacional

    ver detalhes
  • Terceiras camisas de Corinthians e Boca Juniors chamam atenção pela semelhança entre si

    Corinthians 'inspira' Boca Juniors, e time argentino lança camisa quase igual

    ver detalhes
  • Oya é um dos destaques do Timão na disputa no Sul do Brasil

    Timão joga bem, mas não impede segunda derrota na Copa Internacional Sub-20

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes