Guerrero troca seleção por Corinthians

Guerrero troca seleção por Corinthians

Todo jogador diz ser uma honra defender sua pátria. O peruano Paolo Guerrero, porém, parece querer jogar mesmo é pelo Corinthians. Ele não esconde sua sede para herdar logo uma vaga na equipe e, após ser testado como titular em boa parte do coletivo ontem, o camisa 9 disse que até abre mão de defender seu país diante da Costa Rica - em amistoso, no dia 15 -, para estar em campo no dia seguinte defendendo o Timão, diante do Internacional, no Pacaembu.

Há a possibilidade de o Corinthians pedir sua liberação do amistoso e Guerrero esfrega as mãos. "Espero que o Corinthians entre em acordo com Federação Peruana para eu estar com a equipe. Mas (quero) que a decisão que seja boa para os dois e eu não tenha problemas", afirma o atacante. "Temos uma partida importante diante do Internacional e espero por um acordo."

Ontem, Emerson voltou a treinar. Algumas finalizações depois, deixou o campo novamente sentindo as dores no tornozelo esquerdo (leia mais nesta página). Ele não deve encarar o Vasco, domingo, e Tite já estuda as possibilidades para surpreender os cariocas em São Januário.

Começou com Jorge Henrique e Romarinho, depois trabalhou por longo tempo com um dos dois ao lado de Guerrero.

Cheio de estilo, com seu cabelo irreverente, bolsa e roupas de grife, apesar de não se definir como fashion, Guerrero até se colocou à disposição para ser titular no Rio, garantindo que já dá para começar uma partida.

"Acredito que sim. Venho trabalhando bem com a equipe. Aos poucos, o professor Tite tem me dado oportunidade. Me deu cinco minutos contra o Cruzeiro, depois mais 30 contra o Bahia, numa partida duríssima, com campo pesado, clima úmido. Venho me adaptando bem", disse.

Retribuição. Guerrero está louco para "retribuir o calor" da torcida com gols. Centroavante forte e também de velocidade, ontem deu uma demonstração no treino de que será duro um zagueiro ganhar uma disputa com ele. Marquinhos que o diga. Não conseguiu pará-lo nem na técnica e nem na velocidade, levando dribles humilhantes. Faltaram, apenas, as bolas na rede durante o treinamento.

Para Guerrero, não importa se o gol é bonito ou feio. O que interesse é a bola ir para a rede. "Pra mim, qualquer gol serve, sou centroavante e qualquer um será bonito e espero marcá-los. Mas não gosto de fazer projeções, se for 1 a 0 e o Cássio fechar o gol lá atrás, pra mim está bom."

Ele até brincou com os companheiros, que prometem raspar seu cabelo. "Quero ver quem tem coragem de encarar." Depois, disse que vai ser até imitado, caso os gols venham.

Fonte: Fábio Hecico - Estadão.com

Veja Mais:

  • Recuperado de lesão, Balbuena volta a compor zaga com Pablo; dupla terá de parar melhor ataque do Paulista

    Defesa x ataque: Corinthians e São Paulo buscam vitória e equilíbrio em clássico no Morumbi

    ver detalhes
  • Auricchio (à dir.) passou a integrar diretoria da base do Corinthians

    Corinthians nomeia ex-diretor de futebol para cargo na base

    ver detalhes
  • Após 1 a 1 na Arena, Timão volta a campo contra São Paulo na tarde deste domingo

    Rival tropeça, e Corinthians pode diminuir distância para primeira colocação geral

    ver detalhes
  • Carille não confirmou a equipe titular que enfrenta o São Paulo

    Rodriguinho não treina e Balbuena volta: veja provável escalação do Corinthians para o Majestoso

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes