Guerrero troca seleção por Corinthians

Guerrero troca seleção por Corinthians

Todo jogador diz ser uma honra defender sua pátria. O peruano Paolo Guerrero, porém, parece querer jogar mesmo é pelo Corinthians. Ele não esconde sua sede para herdar logo uma vaga na equipe e, após ser testado como titular em boa parte do coletivo ontem, o camisa 9 disse que até abre mão de defender seu país diante da Costa Rica - em amistoso, no dia 15 -, para estar em campo no dia seguinte defendendo o Timão, diante do Internacional, no Pacaembu.

Há a possibilidade de o Corinthians pedir sua liberação do amistoso e Guerrero esfrega as mãos. "Espero que o Corinthians entre em acordo com Federação Peruana para eu estar com a equipe. Mas (quero) que a decisão que seja boa para os dois e eu não tenha problemas", afirma o atacante. "Temos uma partida importante diante do Internacional e espero por um acordo."

Ontem, Emerson voltou a treinar. Algumas finalizações depois, deixou o campo novamente sentindo as dores no tornozelo esquerdo (leia mais nesta página). Ele não deve encarar o Vasco, domingo, e Tite já estuda as possibilidades para surpreender os cariocas em São Januário.

Começou com Jorge Henrique e Romarinho, depois trabalhou por longo tempo com um dos dois ao lado de Guerrero.

Cheio de estilo, com seu cabelo irreverente, bolsa e roupas de grife, apesar de não se definir como fashion, Guerrero até se colocou à disposição para ser titular no Rio, garantindo que já dá para começar uma partida.

"Acredito que sim. Venho trabalhando bem com a equipe. Aos poucos, o professor Tite tem me dado oportunidade. Me deu cinco minutos contra o Cruzeiro, depois mais 30 contra o Bahia, numa partida duríssima, com campo pesado, clima úmido. Venho me adaptando bem", disse.

Retribuição. Guerrero está louco para "retribuir o calor" da torcida com gols. Centroavante forte e também de velocidade, ontem deu uma demonstração no treino de que será duro um zagueiro ganhar uma disputa com ele. Marquinhos que o diga. Não conseguiu pará-lo nem na técnica e nem na velocidade, levando dribles humilhantes. Faltaram, apenas, as bolas na rede durante o treinamento.

Para Guerrero, não importa se o gol é bonito ou feio. O que interesse é a bola ir para a rede. "Pra mim, qualquer gol serve, sou centroavante e qualquer um será bonito e espero marcá-los. Mas não gosto de fazer projeções, se for 1 a 0 e o Cássio fechar o gol lá atrás, pra mim está bom."

Ele até brincou com os companheiros, que prometem raspar seu cabelo. "Quero ver quem tem coragem de encarar." Depois, disse que vai ser até imitado, caso os gols venham.

Fonte: Fábio Hecico - Estadão.com

Veja Mais:

  • Universidade Brasil firmou acordo com Corinthians para primeiro jogo da final estadual

    Corinthians anuncia patrocínio pontual para final do Paulistão; veja como fica a camiseta

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não volta ao Corinthians em 2017

    Corinthians empresta Alan Mineiro para quarto clube diferente em menos de um ano

    ver detalhes
  • Corinthians encerrou preparação contra a Ponte Preta

    Clima bom, susto de Pablo e escalação do Corinthians: o último treino antes da Ponte Preta

    ver detalhes
  • Casuals foi derrotado nos pênaltis neste sábado; próxima temporada só em agosto

    Nos pênaltis, Corinthian-Casuals perde final e adia sonho de subir de divisão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes