No Dia dos Pais, Tite se emociona com data especial

No Dia dos Pais, Tite se emociona com data especial

Matheus com o paizão Tite

Matheus com o paizão Tite

Foto: Reginaldo Castro / Agência O Dia

Pilhado. Concentrado ao limite. Exigente. Trabalhador. Adjetivos que sempre acompanham o técnico Tite no dia a dia dentro do Corinthians. Agitação que muda quando o assunto é a família do treinador. Os olhos fixos do comandante piscam mais lentamente e se enchem de emoção. E, neste domingo, Dia dos Pais, o lado paterno fica mais forte. Em conversa com o MARCA BRASIL, Adenor Leonardo Bachi - nome do treinador -, precisou se controlar para evitar as lágrimas.

Por conta do futebol e das viagens, poucas datas comemorativas são vividas com a família.

'Ah... (pensa)... Não lembro. O último Dia dos Pais foi um jogo contra o Ceará. Eles empataram aos 41 minutos do segundo tempo. Saí muito nervoso', lembra o comandante.

Filho de ‘seu’ Genor, que faleceu em 2009, Tite precisa dosar a fala ao lembrar um grande presente que deu para seu pai.

'Ainda como atleta, voltei após uma série de lesões. Eu estava no Esportivo e fomos jogar contra o Caxias, um clássico local. Acho que era Dia dos Pais. Nós ganhamos o jogo e fiz um gol de cabeça. Eu fiz uma homenagem ao meu pai. É a primeira lembrança que me vem desta data', afirmou Tite, muito emocionado.

Se carrega no coração lembranças e ensinamentos do pai Genor, Tite tenta passar para seus dois filhos um pouco do que aprendeu. Pai de Gabriele, 17 anos, e Matheus, 23, o treinador vive duas relações diferentes. Diariamente recebe o carinho da filha, que mora com ele. Já o filho vive nos Estados Unidos, onde estuda e joga futebol. A distância se encurtou durante as férias de Matheus, que passou todo o mês decisivo da Libertadores lado a lado com o pai.

'O Matheus voltou para os Estados Unidos no começo da semana. Apelei com ele, larguei um monte de palavrão (risos). Ele me fez acostumar de novo com a parceria, ficou mais de um mês e meio. Esteve junto durante a conquista da Libertadores. Aí foi campeão, pegou e largou...', brincou Tite.

Por causa da viagem para Curitiba, Tite só receberá o abraço da filha e o presente de Matheus após a partida deste domingo. Uma dor que o técnico não esconde, já que tem até um acordo com a direção do clube para ficar mais tempo com a família, seu combustível.

'Fiz um único pedido. Fico em tempo integral, mas que quando chegasse na hora de dormir, quando não é fora, durmo em casa. Isso me deixa mais preparado e me sinto melhor. Fico fazendo a palestra no computador em casa, com a minha filha ao lado e a minha esposa, às vezes, como secretária.'

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes