Rivaldinho de 17 anos, atleta do Corinthians, carrega DNA de craque

Rivaldinho de 17 anos, atleta do Corinthians, carrega DNA de craque

Rivaldinho joga no sub20 do Corinthians

Rivaldinho joga no sub20 do Corinthians

Rivaldo Vitor Borba Ferreira Júnior. 17 anos. Destro. Centroavante da categoria sub-20 do Corinthians. Esta é a ficha de uma aposta do Timão para o futuro. Se o nome de craque já seria o suficiente para chamar a atenção, o garoto carrega nas costas uma pressão ainda maior, ser filho de Rivaldo, ídolo internacional que foi campeão mundial pela seleção brasileira em 2002. Ainda em fase de adaptação ao clube, Rivaldinho conversou com o MARCA BRASIL antes do treino da equipe no Parque São Jorge, nesta sexta-feira.

Destaque no sub-17 do Mogi Mirim, o garoto assinou contrato com o Timão até 2015 e logo pulou para a categoria sub-20.

'Foi uma felicidade enorme sair do Mogi e vir para o Corinthians, maior clube do Brasil. Estou me adaptando bem, espero encontrar meu espaço no sub-20 e chegar ao profissional', afirmou Rivaldinho.

Apesar de ainda não ter estreado pelo Corinthians, o garoto é elogiado pelo treinador Zé Augusto.

'Ele promete ser um bom centroavante', diz o técnico, que teve algumas conversas para dar tranquilidade a Rivaldinho, que precisa conviver diariamente com as comparações.

'Não tem como não ter os comentários. Eu procuro sempre ter a cabeça no lugar. Meu pai foi o maior de todos os tempos para mim. Procuro não levar isso para o campo. Tenho que fazer o meu futebol e a minha história, meu pai já fez a dele', comentou.

O problema é quando a comparação é na qualidade da perna esquerda, que consagrou Rivaldo por onde passou.

'Vixe, sou destro. Não tive sorte. Todos os meus irmãos são canhotos como meu pai', brinca Rivaldinho, que espera que o DNA de craque se comprove na perna direita.

'A habilidade pode ser coisa de berço. Se eu fizer 1% do que ele fez, está de bom tamanho', disse.

Rivaldinho reconhece que ser filho de quem é o ajuda em alguns momentos.

'As pessoas olham de outro jeito, acreditam mais.'

No entanto, a moeda tem dois lados.

'Outros, em qualquer coisinha que erro, já falam: ‘não é igual ao pai, não serve. É assim', destacou.

E, vivendo com a sombra do próprio pai, Rivaldinho segue trabalhando para, quem sabe, trilhar os passos de seu ídolo.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes
  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes