Andrés não se garante no cargo e lamenta demissão de Mano: 'fui voto vencido'

Andrés não se garante no cargo e lamenta demissão de Mano: 'fui voto vencido'

Andrés não se garante no cargo e lamenta demissão de Mano: 'fui voto vencido'

Andrés não se garante no cargo e lamenta demissão de Mano: 'fui voto vencido'

O diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, explicou que a demissão do técnico Mano Menezes da seleção brasileira aconteceu por uma mudança de planejamento da entidade, a qual disse ter sido voto vencido. Ele também não assegurou que continuará no seu cargo.

'Não estou nesse contexto [da demissão]. Mas lá na frente a gente vai conversar?, explicou Andrés Sanchez, que foi quem comunicou a Mano Menezes a decisão de que ele foi demitido do cargo.

Andrés admitiu contrariedade com a decisão da cúpula da CBF de demitir Mano Menezes e reiterou que foi voto vencido. 'Não achava que era o momento, mas respeito a hierarquia. Entendo os critérios. Compreendi o novo planejamento?.

'Nunca foi contrariado? CBF é uma empresa é isso todo mundo tem seus argumentos. Se ele achou melhor, que fique assim?, rebateu Andrés a pergunta de um repórter.

Segundo Andrés Sanchez, a reunião realizada na tarde desta sexta-feira na sede da Federação Paulista de Futebol contou com a presença dele, o presidente da CBF José Maria Marin e o mandatário da FPF, Marco Polo del Nero. 'Estavam três pessoas, e a maioria decidiu por isso', explicou, muito irritado.

Mano Menezes assumiu o comando da seleção brasileira após a Copa do Mundo de 2010 e foi incumbido de realizar uma profunda renovação na equipe. No cargo, o treinador fracassou com a seleção na Copa América de 2011, quando caiu nas quartas de final, e na Olimpíada de Londres, quando ficou com a medalha de prata. O treinador sai sem vitórias contra as grandes seleções do futebol mundial.

A despedida foi com a conquista do Superclássico das Américas, com vitória nos pênaltis sobre a Argentina, na última quarta-feira em La Bombonera.

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes