Receita de clubes da Série A cresce quase dez vezes mais que o PIB; custos também sobem

Receita de clubes da Série A cresce quase dez vezes mais que o PIB; custos também sobem

Receita de clubes da Série A cresce quase dez vezes mais que o PIB; custos também sobem

Receita de clubes da Série A cresce quase dez vezes mais que o PIB; custos também sobem

Vinícius Segalla
Do UOL, em São Paulo


A receita conjunta de 16 dos 20 clubes que disputaram a Série A do Campeonato Brasileiro deste ano teve um crescimento real de 20% entre os dois últimos balanços publicados pelas agremiações. No mesmo período, o crescimento do PIB brasileiro foi de 2,7%. Tal crescimento, porém, não significa que os clubes tiveram tamanho ganho de caixa. Isso porque, no mesmo período, a soma de custos e despesas dos mesmos clubes cresceu, de forma consolidada, 17%. Os clubes incluídos no estudo são Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Portuguesa, Ponte Preta, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro, Atlético-MG, Grêmio, Internacional-RS, Coritiba e Figueirense.

As informações constam em estudo 'Análise Econômico-Financeira dos Clubes de Futebol do Brasil', feito pelo banco Itaú BBA. As receitas dos clubes avaliados cresceram 29,7% (sem descontar a inflação) em 2011, com destaques para Santos (+62%), Vasco (+63%), Flamengo (+43%) e Corinthians (+36%). Na outra ponta da tabela, alguns clubes tiveram desempenho bem abaixo da média, como Grêmio (3%), Atlético Mineiro (+8%) e São Paulo (+15%). Em valores, os clubes faturaram R$ 1,9 bilhão em 2011 contra R$ 1,4 bilhão em 2010.

De acordo com o estudo do banco, este crescimento é baseado no aumento das receitas com direitos de televisão, que a cada ano aumenta sua participação no bolo de receitas (cerca de 36% das receitas em 2011 veio da TV, contra 18% de patrocínios e 15% da venda de direitos sobre atletas).

A exceção foi o São Paulo, que conseguiu agregar receita relevante através do aluguel do seu estádio, o Morumbi (18% das Receitas do clube).

O estudo do banco Itaú BBA aponta ainda que a receita está concentrada em poucos clubes ?' em 2010, os cinco clubes de maior receita tinham 53% do total. Já em 2011, este número aumentou para 54,4% - mas há alteração nos componentes deste grupo. Em 2010, as agremiações eram Corinthians, Flamengo, Internacional, São Paulo e Palmeiras, que em 2011 foi substituído pelo Santos, positivamente impactado pelo título da Libertadores e sua presença no Mundial de Clubes.

 Os técnicos do Itaú BBA que executaram o estudo entendem como positivo o crescimento de receitas dos clubes, fruto de um avanço na percepção do valor das marcas futebolísticas dentro de ações de marketing. Eles alertam, porém, que, junto com as receitas, as despesas e as dívidas dos clubes também vêm subindo, ainda que em menor proporção.

'Seria positivo se houvesse um investimento das novas receitas em projetos estruturais, como construção de centros de treinamentos e investimento em categorias de base, mas não é o que sempre ocorre. Muitos clubes estão consumindo as novas receitas em contratações milionárias de jogadores', aponta Mauro Martinez, gerente-geral de crédito do Itaú BBA e um dos autores do estudo.

As despesas dos clubes cresceram 17% em 2011. Na contramão dessa tendência está o Palmeiras. O clube paulista teve redução de 20% em seus custos, fruto da redução nos valores gastos na aquisição de atletas. Já os times que mais ampliaram seus gastos foram Figueirense (91%), Coritiba (68%), Santos (40%) e Botafogo (32%).

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Pelada registrada no Amapá, onde Caio presenciou o tradicional 'futilama'

    Do Amapá à Antártida: torcedor do Corinthians, fotógrafo percorre o mundo em busca de peladas

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes