Corintianos justificam tempos distintos com a ansiedade da estreia

Corintianos justificam tempos distintos com a ansiedade da estreia

Corintianos celebram a classificação para a final após a estreia. Foto: Alan Morici / Agência O Dia

Corintianos celebram a classificação para a final após a estreia. Foto: Alan Morici / Agência O Dia

 Nagoya, no Japão - Foram dois tempos completamente distintos. O Corinthians foi mais contundente na primeira etapa. Depois, na volta do intervalo, o emocional ficou aflorado e o Al Ahly melhorou em campo, fatores que comprometeram a atuação alvinegra em campo. Esta foi a análise geral dos jogadores após a vitória por 1 a 0 contra o time egípcio, nesta quarta-feira, em Toyota. 

'Teve a estreia, houve a ansiedade. Jogamos melhor no primeiro do que no segundo. No primeiro tempo, tivemos mais volume, mais posse, mas na segunda etapa a gente não conseguiu segurar e sofremos um pouco. Eles não tiveram tantas chances, mas o importante era a final. Agora é trabalhar para ela', analisou o volante Paulinho, na saída do gramado após o apito final. 

O discurso geral dos corintianos foi de valorização do resultado e classificação, sem analisar friamente o que é preciso melhorar para a partida final do Mundial de Clube, diante do Chelsea ou Monterrey (semifinal entre as duas equipes ocorre nesta quinta-feira). O zagueiro Chicão explicou por qual motivo o Timão caiu de produção na segunda etapa. 

'A responsabilidade era toda do Corinthians. Fizemos 1 a 0, descemos para o vestiário sabendo que iam atacar, que iam colocar dois ou três atacantes em cima da gente, que seria difícil. (Foi difícil) pela estreia, pelo clima, mas estamos felizes pelo resultado, que foi a classificação', disse o camisa 3, corroborado pelo experiente meia Danilo. 

'O primeiro tempo foi parelho, já no segundo eles tiveram mais posse de bola. Perdemos a bola muito rápido na frente. Mas o controle deles não era em chances, era mais no toque, e nosso time defendeu bem',  o meia corintiano.

'Hoje em dia não tem jogo fácil, eles tocam bem a bola, tem qualidade. Mas o importante era a vitória, independente de qualquer coisa. Não conhecemos jogadores, nunca vimos, tem a ansiedade do primeiro. Se eles empatam, muda o jogo. Mas soubemos nos defender bem', concluiu Danilo. 

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Jogadoras do Corinthians precisam vencer o Santos para garantir o título

    Corinthians enfrenta o Santos pela finalíssima do Brasileiro Feminino

    ver detalhes
  • Pablo deve assinar contrato de quatro anos com Corinthians, que agora conversa com Bordeaux

    Corinthians acerta permanência de Pablo; resta acordo com Bordeaux

    ver detalhes
  • Walter não será liberado pelo Corinthians

    Corinthians bate o martelo e não libera Walter para o São Paulo

    ver detalhes
  • Meia sentiu a costela após dividida com Betão

    Jadson tem fratura constatada e desfalca Corinthians por um mês

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes