Vetado pela Fifa, Guilherme 'participa' do Mundial: 'Vou ganhar medalha'

Vetado pela Fifa, Guilherme 'participa' do Mundial: 'Vou ganhar medalha'

Vetado pela Fifa, o volante Guilherme está no Japão com a delegação do Corinthians que disputa o Mundial de Clubes. Ele só não pode jogar, mas, de resto, faz tudo. Convidado pelo técnico Tite para acompanhar o time, depois que o órgão que comanda o futebol entendeu que a sua contratação à Portuguesa foi feita fora do prazo, o atleta aceitou de imediato e viajou com os colegas. Agora, o 24º elemento da delegação, assim como os outros 23, vive a expectativa da final de domingo, diante do Chelsea, às 8h30m (horário de Brasília). Se o Timão sair do estádio de Yokohama como vencedor, ele também irá se considerar campeão do mundo.

- Serei campeão, é claro. Já me falaram que vou ganhar bicho e medalha igual aos outros - disse, em uma conversa reservada com o Globoesporte.com após o jantar desta sexta-feira no hotel em que o Corinthians está concentrado.

A rotina de Guilherme no Japão é praticamente igual a dos demais. De diferente, o fato de não ter credencial de atleta faz com que precise de um ingresso para entrar nos jogos. Na semifinal, em Toyota, ele assistiu à vitória de 1 a 0 sobre o Al Ahly num setor reservado aos dirigentes do clube. No mais, é praticamente como se não tivesse existido o veto da Fifa. O volante fica junto dos companheiros, participa das reuniões e preleções, treina junto... Apenas em alguma movimentação mais específica para quem vai jogar que Tite o deixa separado.

- Eu achei que seria pior, sabe? Quando decidi que iria para o Japão fiquei pensando no que poderia e não poderia fazer. Quando o Tite me convidou eu aceitei e falei para ele que não iria atrapalhar em nada.

A confusão começou no dia 26 de novembro, quando o Timão consultou a Fifa sobre a inscrição do volante. Isso porque ele foi contratado no dia 15 de agosto, depois da janela da transferências do órgão, que havia se encerrado no dia 20 de julho. A entidade não considera os períodos de negociações de cada país, apenas os seus - assim, Guilherme pôde jogar o Brasileirão normalmente, mas não o Mundial. No ato de preparar a lista dos 23 atletas, o Corinthians, prevendo o pior, divulgou que Guilherme corria o risco de ser cortado. O jogador foi avisado e foi para casa tentar descansar após mais um duro dia de treino.

- Foi uma noite longa aquela. O Paulinho me chamou para jantar e saímos para que eu pudesse me distrair um pouco - lembra.

Mas não teve jeito. Na manhã seguinte o Corinthians recebeu a negativa da Fifa e inscreveu Willian Arão em sua vaga.

- Era um sonho para mim. Claro que fiquei triste. Mas foi passando aos poucos. Se não era para eu jogar é sinal que tinha algum motivo.

No Japão, completamente entrosado e à vontade com os companheiros, Guilherme às vezes até esquece que foi cortado e que está ali como um convidado. Jogar, com os incansáveis Ralf e Paulinho no time, ele dificilmente jogaria. Seria mais um entre os 12 reservas que integram o grupo. Ou seja, se der Corinthians no domingo, o volante não tem dúvida nenhuma de que também terá escrito o seu nome na história do clube. De alguma ele sabe que ajudou...

Fonte: Globo Esporte

Veja Mais:

  • Jadson vestiu a camisa 10 do Corinthians durante o hexa brasileiro

    Com proposta do Corinthians em mãos, Jadson anuncia retorno ao Brasil

    ver detalhes
  • Torcida do Internacional parece não aguentar mais enfrentar o Corinthians

    Torcedores do Internacional 'choram' nas redes sociais e admitem freguesia contra Corinthians

    ver detalhes
  • Representante do Timão por Drogba volta ao Brasil e se encontra com Roberto de Andrade

    Representante do Timão por Drogba volta ao Brasil e se encontra com Roberto de Andrade

    ver detalhes
  • Pedrinho e Carlinhos marcaram na partida contra o Internacional

    Corinthians supera Internacional e conquista vaga para as quartas de final da Copinha

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes