Paulo Castilho aposta em queda de presidentes de Corinthians e Palmeiras em caso de briga

Paulo Castilho aposta em queda de presidentes de Corinthians e Palmeiras em caso de briga

Por Meu Timão

43 mil visualizações 199 comentários Comunicar erro

Paulo Castilho se posicionou de forma contrária aos treinos abertos de Corinthians e Palmeiras

Paulo Castilho se posicionou de forma contrária aos treinos abertos de Corinthians e Palmeiras

Foto: Reprodução/TV

Promotor do Ministério Público, Paulo Castilho não está disposto a ceder em relação aos treinos abertos já anunciados por Corinthians e Palmeiras para sábado, véspera da final do Campeonato Paulista, na Arena Corinthians e no Allianz Parque, respectivamente. Defensor da extinção de torcidas organizadas, ele aposta até em destituição de Andrés Sanchez e Maurício Galiotte caso haja briga entre corinthianos e palmeirenses no deslocamento até os estádios.

Na visão das autoridades, se os clubes, arquirrivais, abrirem seus estádios na mesma manhã, haverá risco de casos de violência. A principal preocupação tanto de Polícia Militar como de Ministério Público está no sistema metroferroviário da Região Metropolitana de São Paulo. As organizações lembram que civis também não estarão imunes caso os treinos aconteçam.

“Seria uma irresponsabilidade ter cerca de 90 mil torcedores transitando pela cidade de São Paulo. A chance de que pessoas inocentes sejam afetadas é real. Isso sem falar na possibilidade de depredação, considerando que o efetivo do metrô é reduzido aos sábados”, opinou Paulo Castilho ao site Globoesporte.com.

Leia também:
Torcida do Corinthians faz longas filas na Arena e no PSJ por ingressos para treino aberto
Corinthians ignora PM, confirma treino aberto e divulga instruções à Fiel

Para evitar que Corinthians e Palmeiras treinem ao lado de suas torcidas na véspera da decisão estadual, o promotor do MP dá o recado: se houver briga entre torcedores, os presidentes das equipes, Sanchez e Galiotte, serão responsabilizados, podendo até serem destituídos de seus cargos. Castilho se baseia no artigo 73 do Estatuto do Torcedor, que trata da segurança de torcedores em jogos de futebol – e não em treinamentos, cabe frisar.

“Sendo avisados de que não há condições de segurança para realizar os treinos abertos no mesmo horário, os dirigentes estão assumindo a responsabilidade por eventuais danos aos torcedores e ao patrimônio público. É fácil uma ação para destituir os presidentes de seus cargos. Duvido que qualquer juiz não dê uma liminar afastando os dirigentes. Estou fechando aposta”, afirmou o promotor, desta vez ao blog do Perrone, do portal Uol.

A polêmica se arrasta desde segunda-feira, quando o Corinthians anunciou que abriria seu estádio às 10h de sábado para a Fiel. O Palmeiras, mandante do segundo jogo das finais, promete fazer o mesmo. Do lado da Polícia Militar, o entendimento é de que não é possível garantir a segurança da população com duas torcidas de massa se deslocando pela capital paulista ao mesmo tempo.

Corinthians e Palmeiras se enfrentam domingo, às 16h, no Allianz Parque, valendo o título do Campeonato Paulista. Ao menos por ora, ambos realizarão treinos com público presente um dia antes da finalíssima.

Veja mais em: Torcida do Corinthians, Torcidas organizadas, Dérbi, Campeonato Paulista, Arena Corinthians, Diretoria do Corinthians e Andrés Sanchez.

Veja Mais:

  • Gustavo Silva foi apresentado oficialmente nesta terça-feira

    Com pedido por mudança de apelido, Corinthians apresenta Gustavo Silva no CT

    ver detalhes
  • Andrés Sanchez bancou Jair Ventura para a temporada 2019

    Andrés garante Jair Ventura em 2019, mas admite preocupação com situação do Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians conquistou o Paulistão-2018 em pleno Allianz Parque

    Corinthians conhece seu grupo no Campeonato Paulista de 2019; mata-mata terá VAR

    ver detalhes
  • Romero tem contrato até metade de 2019 e já discute renovação com o Corinthians

    Sem esquecer Balbuena, Andrés admite conversas em andamento por renovação de Romero

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes