Final entre Corinthians e Palmeiras no Paulistão completa 100 dias; rival segue pedindo impugnação

Final entre Corinthians e Palmeiras no Paulistão completa 100 dias; rival segue pedindo impugnação

2.6 mil visualizações 52 comentários Comunicar erro

Palmeiras ainda tenta reverter o resultado do Dérbi de mais de um mês atrás

Palmeiras ainda tenta reverter o resultado do Dérbi de mais de um mês atrás

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Há exatos 100 dias, Corinthians e Palmeiras se enfrentavam na final do Campeonato Paulista de 2018. O clássico terminou com uma vitória alvinegra nos pênaltis, que concretizou o bicampeonato estadual da equipe. O Dérbi, contudo, segue repercutindo nos tribunais até hoje. O rival segue tentando a impugnação do título corinthiano nos bastidores, se apoiando na teoria de que a arbitragem recebeu informações externas no jogo.

Leia também: Acabou a Copa, e agora? Saiba tudo sobre a volta do Corinthians aos gramados

Nesta data simbólica de um dos Dérbis mais repercutidos da história das equipes paulistas, o Meu Timão resolveu relembrar passo a passo a conquista do Timão e, consequentemente, as reclamações do rival Palmeiras após a derrota. Confira!

A virada e o pênalti anulado

Voltando ao início de toda esta confusão, o pontapé inicial da disputa pelo título do Estadual aconteceu no dia 31 de março deste ano, na Arena Corinthians. Mesmo jogando em casa, o Corinthians mostrou pouco perigo no ataque e viu o rival levar a vantagem na final pelo placar de 1 a 0 - com gol de Miguel Borja. A história, no entanto, mudou de figura quando as equipes entraram em campo no Allianz Parque, casa do Palmeiras, no jogo de volta.

O Dérbi decisivo se mostrou eletrizante do início ao fim, e o Corinthians conseguiu o empate no placar agregado nos primeiros minutos do jogo. Rodriguinho marcou um gol relâmpago, após uma linda jogada de Mateus Vital pela esquerda. O Palmeiras teve dificuldades de mostrar perigo ao ataque do Timão e, aos 20 minutos do segundo tempo, o clássico ganhou proporções monumentais.

Ralf desarmou Dudu na grande área e o árbitro Marcelo Aparecido de Ribeiro Souza, de maneira equivocada, sinalizou o pênalti. A decisão gerou revolta entre os corinthianos e o juiz consultou uma segunda, terceira e não se sabe mais quantas opiniões dos companheiros de arbitragem...Até voltar atrás na marcação da penalidade. Os jogadores do Palmeiras se revoltaram e até mesmo a Polícia Militar entrou em campo para apaziguar a situação. A confusão paralisou a disputa por longos sete minutos, até que a bola voltou a rolar.

Ralf tocou a bola em lance com Dudu

Ralf tocou a bola em lance com Dudu

Reprodução/TV

O empate permaneceu após a disputa dos acréscimos - em um clima hostil entre os rivais. A decisão do título foi para as penalidades e foi a vez do goleiro Cássio brilhar. O corinthiano defendeu duas batidas e o Timão faturou seu segundo título no Paulistão de maneira consecutiva, em pleno Allianz Parque.

Revolta palmeirense

Presidente do Palmeiras se revoltou com a vitória do Corinthians na final do Paulistão

Presidente do Palmeiras se revoltou com a vitória do Corinthians na final do Paulistão

Divulgação/SE Palmeiras

Mesmo com as reclamações em campo, foi nos bastidores que a revolta dos palmeirenses tomou proporções ainda maiores. Os jogadores não falaram com a imprensa após o apito final, e o presidente do clube, Maurício Galiotte, passou a alegar interferência externa na decisão do árbitro em reverter o pênalti a favor do Palmeiras. O mandatário chegou a se referir ao campeonato como "Paulistinha".

"Sentimos vergonha, esqueçam esse campeonato, o Palmeiras é muito maior que um Paulistinha. Vamos brigar por coisas grande. Foi uma vergonha o que esse senhor fez aqui. Ele teve uma reunião dentro de campo, uma vergonha, para nós e para o futebol brasileiro", disse o presidente palmeirense na ocasião. A atitude gerou uma suspensão de 45 dias pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), além de uma multa de R$ 10 mil ao time da Barra Funda.

Do lado corinthiano da confusão, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disparou contra o palmeirense e ironizou o "chororô" do rival. "O Maurício está chorando aí, mas é duro... Ele não pode reclamar. Eu o cumprimentei, tudo, faz parte. Não deixei dar volta olímpica por respeito ao Palmeiras e porque não tinha torcedor do Corinthians. Não pode falar que é Paulistinha. Até a semifinal era Paulistão. Aí é duro!", apontou o mandatário do Timão na ocasião.

Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, rebateu as reclamações dos palmeirenses

Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, rebateu as reclamações dos palmeirenses

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

As reclamações do Palmeiras foram "oficializadas" em um comunicado oficial do clube, com "provas" da interferência. O clube divulgou imagens de câmeras de segurança do Allianz Parque mostram Dionísio Roberto Domingos, diretor de arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF), próximo a demais integrantes da equipe de arbitragem e ao técnico Fábio Carille. A alegação é que o indivíduo soprou o erro ao árbitro, que reverteu a decisão de sinalizar o pênalti.

A busca palmeirense, por uma impugnação ao título do Corinthians, seguiu para os tribunais.

Rival recorre aos tribunais

Dias após a vitória do Corinthians na final do Paulistão, o Palmeiras decidiu acionar Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) para reverter o resultado. A impugnação foi pedida por meio de um documento de cerca de 100 páginas que, segundo o clube da Barra Funda, prova que o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza voltou atrás em sua decisão de marcar pênalti de Ralf em cima de Dudu por conta uma interferência externa. O órgão decidiu pelo arquivamento do inquérito e até mesmo ironizou o pedido.

O clube da Barra Funda entrou com recurso, para tentar ganhar no famoso "tapetão". Porém, no dia 11 de junho, o órgão regional voltou a rejeitar o pedido. A avaliação da instituição se manteve a mesma nos dois casos: no momento do pedido ao TJD, o prazo para a diretoria a alviverde entrar em contato com o tribunal havia sido expirado. A reivindicação só poderia ser feita até 10 de abril, dois dias após o jogo, mas foi realizada no dia 25 de abril.

O caso seguiu se desenrolando no TJD até a última quinta-feira, quando o órgão publicou o acórdão da decisão e enviou ao Palmeiras. A publicação dá margem para outro recurso do clube, desta vez no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A diretoria pode entrar com o pedido até o próximo final de semana.

Em meio a toda essa confusão nos bastidores, uma coisa é certa: o Corinthians segue dono do título do Campeonato Paulista de 2018.

Corinthians segue campeão do Paulistão 2018

Corinthians segue campeão do Paulistão 2018

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Veja mais em: Dérbi e Campeonato Paulista.

Veja Mais:

  • Romero marcou o único gol da partida de ida; Timão tem vantagem mínima por vaga nas semifinais

    Corinthians tenta afastar crise e se classificar às semifinais da Copa do Brasil; saiba tudo

    ver detalhes
  • Pedrinho (à frente) será titular nesta quarta-feira; Jonathas, opção no banco

    Loss define escalação do Corinthians para decisão contra Chapecoense, mas pode ter baixa

    ver detalhes
  • Ricardo Fischer foi o cestinha da partida com 29 pontos anotados

    Corinthians se impõe no Parque São Jorge e vence a primeira no Paulista de basquete

    ver detalhes
  • Daniel Marcos assinou seu primeiro contrato profissional com o Corinthians

    Ex-Palmeiras, lateral-direito de 16 anos assina contrato profissional com o Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes